Saúde dos pugs: doenças e cuidados básicos

Dermatites, problemas respiratórios e até oculares são algumas das situações mais comuns na vida de um pug

O pug é um dos cães mais amados pelos brasileiros, mas poucos conhecem as peculiaridades da raça. Por exemplo, a saúde do pug é muito comprometida, uma vez que esse cão tem tendência a apresentar diversas doenças.

Infelizmente, muitos dos problemas que afetam a saúde dos pugs são consequências da estrutura física desses animais. Focinho achatado, olhos saltados, cabeça grande e o corpo coberto por dobras são algumas das razões para tantas doenças.

De acordo com a Associação Britânica de Veterinária (BVA, sigla em inglês), 75% dos possíveis tutores desconhecem os problemas de saúde dos pugs antes de decidirem sobre cães braquicefálicos, a exemplo dessa raça.

Por ser braquicefálico, o pug precisa de cuidados específicos com a saúde, pois é propenso a várias doenças

Dificuldades respiratórias, doença ocular, infecções na pele são alguns dos problemas dessa raça (Foto: depositphotos)

Problemas de saúde dos pugs

Visando a falta de conhecimento das pessoas e o bem-estar dos animais, a BVA lançou uma campanha para conscientizar sobre a saúde dos animais que possuem braquicefalia, como o pug.

Chamada de #Breeadtobreathe (“Raça para respirar” ou “Criar para viver”), a campanha indica que os veterinários e as pessoas famosas conscientizem os possíveis tutores.

“Muitos desses animais de estimação ‘fofos’ vão lutar com problemas de saúde sérios e, muitas vezes, limitativos de vida”, alerta o presidente da BVA, John Fishwick.

Veja tambémPug – Saiba tudo sobre esta raça

Segundo o órgão britânico, os possíveis problemas de saúde em raças como o pug são: dificuldades respiratórias, doença ocular, infecções na pele, problemas dentários e até mesmo dificuldades no parto.

Problemas na respiração do pug

“Braquicefalia refere-se a uma forma curta do crânio, que dá a aparência de um rosto achatado. Pode afetar cachorros, gatos, coelhos e outras espécies animais”, explica um artigo da BVA.

Com essa condição, os pugs apresentam um focinho muito menor do que o apresentado por outros cães. Por essa razão, não conseguem normalizar a temperatura do ar antes de enviá-lo para os pulmões.

Essa falha pode provocar superaquecimento nos cães e levá-los à morte. Assim, é indicado que os animais sejam criados em ambientes climatizados e os passeios devem ser feitos em horários mais frescos.

Roncos altos, barulhos ao respirar ou até mesmo uma respiração ofegante podem ser comuns em cães dessa raça.

Problemas de pele no pug

Dermatites caninas são problemas comuns em cães da raça pug. Tudo isso porque eles possuem excesso de pele e dobras no corpo. 

Veja também: Raças de cães que não crescem muito

Quando o tutor não mantem uma higienização correta, secagens minuciosas ou escovações recorrentes, o cão pode apresentar esses problemas. As infecções na pele ocorrem devido ao acúmulo de fungos ou bactérias no cão.

Dermatite na dobra nasal é a mais comum e pode ser evitada com limpeza constante nessa região do pet. Além desse problema, o pug pode apresentar sarna, acne ou reações alérgicas. 

Dificuldades no parto

Cães que possuem a cabeça grande, como o pug, podem exigir partos cesarianos. Impossibilitando que a cadela dê a luz de forma natural. Além disso, esses animais também apresentam dificuldade em acasalar.

Doenças oculares

Os olhos saltados da raça são alvos de agentes externos. Por isso é comum encontrar pug com olhos vermelhos ou lacrimejando.

Como estão suscetíveis a ação de elementos do ambiente, qualquer ferimento na região pode causar sérias consequências, como à cegueira. Prolapso do globo ocular é uma das situações mais complicadas, pois devido a um trauma o globo ocular pode sair da órbita do animal.

Outras doenças que afetam o pug

Além das doenças já citadas, o pug pode apresentar problemas dentários, ósseos e no canal auditivo. Outra grave situação é a obesidade canina, uma vez que o cão dessa raça é preguiçoso e gosta de comer.

“Estes problemas hereditários são angustiantes para os animais e podem ser dispendiosos para os proprietários tratarem. Se você está procurando por um cachorro, pense em escolher uma raça mais saudável ou cruzada em vez disso”, recomenda John Fishwick.

Veja também: Por influência humana, pugs sofreram modificações

Cuidados básicos para pugs

  • O veterinário deve ser o melhor amigo de um cachorro pug. Consultas a cada seis meses ou quando se fizer necessário;
  • Cuidado com a dieta do pug para não contribuir com o aumento de peso. Além disso, esse controle nutricional deve ser associado a passeios, evitando o sedentarismo;
  • Passeios nunca devem ser feitos entre 10h e 16h, evitando superaquecimento nesses cães;
  • É importante castrar fêmeas antes do primeiro cio, além de evitar dificuldades na gestação e no parto, a cadela fica livre de câncer de útero e ovário;
  • Banhos semanais ajudam a manter a pele do pug limpa e livre de dermatites. Além disso, é necessário escovar os pelos e os dentes do animal. Na hora de enxugar o cão, é recomendado dar uma atenção maior as dobras. Assim, evita-se doenças nos pugs.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.