Raças de cachorros brasileiros

Entre as raças de cachorros brasileiros, sete são as mais conhecidas e podem ser encontradas no site da Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC). Contudo, apenas duas dessas são mencionadas pela Federação Cinológica Internacional (FCI).

Fila brasileiro e terrier brasileiro são as duas raças de cães originadas no Brasil e oficializadas pela FCI. As outras quatro são classificadas no grupo 11 da CBKC intitulado de “Não reconhecidas pela FCI”.

Apesar disso, as sete principais raças nacionais podem ser encontradas no país. Nesse artigo, trouxemos as imagens e as principais características desses animais. Confira!

Raças de cães brasileiros

1. Terrier brasileiro (Fox paulistinha)

O terrier brasileiro foi a primeira raça do país a ser reconhecida pela FCI. Em maio de 2007 esse cão foi classificado no Grupo 3-Terriers e tinha como funções iniciais a caça de animais pequenos, guarda e companhia.

Terrier brasileiro no fundo azul

O terrier brasileiro também é chamado de fox paulistinha (Foto: depositphotos)

De acordo com as informações da CBKC, a raça teria surgido através de jovens brasileiros que iam estudar em países como França ou Inglaterra. Durante essa temporada europeia, muitos estudantes casavam e quando voltavam, as esposas traziam pequenos terriers.

Geralmente, os jovens formados voltavam para as fazendas da família. Nessas localidades, os cães europeus teriam cruzado com cadelas locais. Assim, surge o terrier brasileiro, também chamado de fox paulistinha.

Atualmente, a raça tem uma personalidade ativa e esperta, já o comportamento é incansável e alerta. Excelente cão de guarda, é desconfiado com estranhos. Já com os membros da família é amigável e gentil.

2. Fila brasileiro

Na classificação da FCI, o fila brasileiro pertence ao Grupo 2 intitulado de “Pinscher e Schnauzer, Molossoides, Boiadeiros e Montanheses Suíços e raças assemelhadas.” É a segunda e última raça brasileira reconhecida pelo órgão.

Publicado em 2016, esse pet era utilizado como guarda e boiadeiro. Segundo o autor do livro “Cães” e PhD em medicina veterinária, Bruce Fogle, essa raça é descendente dos mastiffs portugueses e espanhóis, e ainda tem uma herança do bloodhound.

Para a CBKC, o fila brasileiro é dócil e obediente com as pessoas da família. Em contrapartida, possui aversão com estranhos. Trata-se de um animal dotado de coragem, determinação e valentia. 

Fila Brasileiro sentado

Apesar do porte gigante assustar, o fila brasileiro é dócil e carinhoso com as pessoas da família (Foto: depositphotos)

3. Rastreador brasileiro

A história do rastreador brasileiro na Federação Cinológica Internacional é trágica. Em 1967, a raça foi registrada no órgão como caçadora de onça e de porco do mato. No entanto, em 1973 havia apenas machos distribuídos no país e isso serviu para a FCI declarar a extinção desse tipo.

Contudo, os machos sobreviventes foram encaminhados para fazendeiros. Nesses locais, cruzaram com cadelas da raça foxhound inglês. “Sabe-se que os RB’s [rastreador brasileiro] atuais no geral são produtos de heranças deixadas de pai para filhos e netos”, declara a CBKC em artigo.

De uma maneira geral, é um cão de excelente olfato, por isso é usado em caças. Também é forte, rústico, resistente e persistente, podendo correr por um longo período mesmo em péssimas condições ambientais.

Com o tutor, a raça é tranquila e equilibrada. Na presença de estranhos pode ser reservada, mas não agressiva. Apegado à família, o rastreador brasileiro é dócil e autoconfiante.

Rastreador brasileiro no parque

Rastreador brasileiro possui um excelente olfato,por isso é utilizado em caças (Foto: Reprodução | Site Rastreador Brasileiro)

4. Dogue brasileiro

Utilizado como cão de guarda no Brasil, o dogue brasileiro é uma raça ativa, atenta e observadora. Segundo a descrição da Confederação Brasileira de Cinofilia, o animal desse tipo não é agressivo e é uma raça que se dá bem com outros cães.

O temperamento de um dogue brasileiro deve ser equilibrado e destemido. Responde bem aos comandos quando adestrado corretamente e é apto à disciplina. Com os tutores, é um cachorro meigo e dedicado.

Dogue brasileiro filhote

Essa raça é muito utilizada como cão de guarda no Brasil (Foto: Reprodução | Instagram)

5. Ovelheiro gaúcho

Como o próprio nome já induz, essa raça foi criada para trabalhar diretamente com os animais ovinos e, em paralelo a isso, surgiu no Rio Grande do Sul. O ovelheiro gaúcho tem como funções: transferir as ovelhas de pasto, guardá-las e protegê-las.

Em alguns casos, os cães desse tipo podem trabalhar cuidando de um rebanho bovino, se for necessário. Por serem animais descendentes de cães de pastoreio, são delicados com as ovelhas.

Inteligente e adepto para atender novos comandos, o ovelheiro gaúcho não precisa ser agressivo com o rebanho. Com as pessoas que convive a raça é dócil, amigável e fiel.

Três ovelheiros gaúchos

Ovelheiro gaúcho tem uma aparência semelhante aos cães da raça collie (Foto: Reprodução | Instagram)

6. Veadeiro pampeano

De acordo com a CBKC, o cachorro veadeiro pampeano é encontrado em todas as regiões do Brasil, mas é mais comum no Rio Grande do Sul. Ainda segundo o órgão brasileiro, a raça é usada para seguir rastros e para caçar outros animais.

Com o tutor, é obediente e tranquilo, e com crianças é de fácil convívio. Pode demonstrar-se agressivo, mas esse tipo de comportamento deve ser repreendido. Já na presença de estranhos pode ser arredio.

Veadeiro pampeano na grama

Veadeiro pampeano é uma raça ideal para crianças (Foto: Reprodução | Instagram)

7. Buldogue campeiro

Como era de se esperar, o buldogue campeiro é descendente da raça buldogue inglês, que chegou no Brasil através dos europeus no século XVIII. Na região Sul do país, essa raça foi desenvolvida com o intuito de servir para diversas atividades envolvendo bois.

Buldogue campeiro em pé

Essa raça brasileira não tem tendência a latir (Foto: Reprodução | Site IBC)

No início de sua criação, o cão era usado para capturar bois selvagens, em tropeadas ou até mesmo em matadouros, para segurar bovinos mais bravos. Desta forma, é um cachorro versátil.

Essa raça brasileira é guardiã, fiel ao dono e corajosa. Tem um temperamento vigilante e tranquilo, sendo ainda um cão companheiro. Além disso, é possível dizer que trata-se de um animal de fácil adaptação, tranquilo e que late pouco.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.