Cão idoso – Como alimentá-lo de maneira saudável?

Uma atitude simples e essencial é preferir comida natural, assim seu dog consumirá menos conservantes


O cardápio de alimentação de animais domésticos requer atenção especial praticamente igual ao dos seres humanos. É essencial o cuidado de dosar adequadamente os nutrientes necessários em cada um das fases da vida. Assim, venha conosco e saiba como alimentar um cão idoso. Vamos lá?

O envelhecimento dos órgãos de um cachorro é decorrente, na maioria desses animais, das reações de oxidação. De tal modo que nos dias atuais o mercado já disponibiliza diversos alimentos com propriedades antioxidantes, que atuam como agente retardador desse processo.

Todavia, é importante saber que qualquer descuido que promova uma má alimentação do bicho – em qualquer idade da vida – poderá acelerar o processo de envelhecimento.

Cão idoso - Como alimentá-lo de maneira saudável?

Foto: Reprodução

O cardápio ideal

Dê preferência a uma alimentação natural, uma vez que esta não possui – ou possui baixa quantidade – de adicionais químicos como conservantes, palatabilizantes e corantes.

Uma dieta natural para um cachorro idoso deverá fornecer uma extensa quantidade de nutrientes essenciais. A exemplo de antioxidantes, esses que ampliam a imunidade do animal e atuam contra enfermidades crônicas e na prevenção ao aparecimento de tumores.

Dietas naturais para bichos da terceira idade também são de extrema importância para evitar a inapetência desses animais já pós-adultos. Alimentos úmidos ou a ingestão de líquidos como a água favorece a micção, o que baixa o risco de cálculos e infecção urinária nesses cães.

Uma alimentação balanceada que contenha proteínas nobres e de elevada digestão, por sua vez, irá reduzir a perda massa muscular, esta que ocorre, com maior predominância, durante a terceira idade desses animais.

Normas para a ração de cão idoso

  • Redução quantitativa integral de aproximadamente 20% em decorrência da diminuição da atividade física
  • Pequena elevação da proporção de proteínas – entre 27% e 28% – para que o equilíbrio nutricional ideal seja mantido
  • Maior ingestão de vitaminas e de fibras

Formulando e suplementando a alimentação

Dieta crua: Meaty bones (50%); carboidratos (20%); carnes (15%); vegetais (10%); e vísceras (5%).

Dieta cozida: Carnes (35%); carboidratos (30%); vegetais (30%); e vísceras (5%).

Importante!

Para estimular a apetência do animal, varie o cardápio com refeições leves e frequentes e de sabores vigorosos. Para manter ou realçar os sabores dos alimentos, não os exponha ao ar por um longo período ou ao calor – no caso de produtos úmidos. Dica: para amaciar alimentos secos, coloque um pouco de água morna nos mesmos por alguns minutos ou no caso dos industrializados esquente-os.


Reportar erro