,

Chocolate para cachorro: existe algum saudável para o pet?

O único chocolate saudável para cachorro deve ser feito sem cacau e sem adição de açúcares

Alguns tutores desejam oferecer chocolate para cachorro, mas esse é um dos exemplos de tantos alimentos que não podem ser destinados aos animais. Tanto o chocolate branco, como o ao leite e, principalmente, o amargo, são doces que causam problemas de saúde nos cães.

Por essa razão, não devem ser oferecidos aos pets, independentemente da quantidade. De acordo com veterinários, o único chocolate saudável para cachorro deve ser feito sem chocolate e sem adição de açúcares.

Em outras palavras, trata-se de um “doce” especialmente preparado para os cães. Assim, evita que o cão fique doente e apresente sintomas que prejudicam a qualidade de vida do animal.

Além de não oferecer vitaminas ou outras propriedades benéficas, o chocolate ainda coloca em risco a vida do cachorro. Dependendo da quantidade ingerida, cães podem passar mal e até mesmo morrer devido a ingestão desse alimento.

Para proteger a vida do cão e ainda assim dar um agrado ao peludinho, o tutor pode contar com algumas receitas de doces para cães. Descubra algumas delas nesse artigo!

Receita de chocolate para cachorro

No mercado pet é possível encontrar produtos com o nome chocolate envolvido. No entanto, esses itens apenas usam o nome para chamar a atenção, uma vez que nenhum produto destinado ao cão leva cacau em sua composição. 

Cachorro com chocolate na boca

Tanto o açúcar como o cacau podem prejudicar a saúde dos cães (Foto: depositphotos)

Contudo, é possível que o tutor faça o “chocolate” do seu melhor amigo em casa mesmo. Para isso, são necessários alguns ingredientes, mas o modo de preparo é simples. Acompanhe!

Ingredientes

  • 1/2 xícara de alfarroba em pó
  • 1/2 xícara de farinha de aveia
  • 1/2 xícara de água
  • 2 envelopes de gelatina em pó sem sabor
  • 10 colheres (de sopa) de água fria.

Modo de preparo e consumo

Em primeiro lugar, é necessário juntar a alfarroba em pó com a farinha de aveia. Aos poucos, a água deve ser adicionada à mistura. Enquanto isso, é preciso mexer a massa. O objetivo inicial é deixá-la totalmente homogênea.

Em seguida, é hora de hidratar a gelatina sem sabor. Para isso, basta misturá-la com a água. Depois é só adicionar à mistura inicial e mexer até que todo o “chocolate” esteja uniforme.

Por fim, basta preencher as forminhas com o conteúdo da receita e levá-las ao congelador. Para que o doce do cão fique pronto é necessário esperar aproximadamente duas horas. No entanto, existem exceções, pode ser que ele fique pronto antes ou depois do tempo estipulado. Isso vai depender da geladeira.

Já para servir ao cachorro, o tutor deve sempre optar pelo bom senso. Não é indicado dar em horários próximos da refeição, para não inibir o apetite do cão.

Além disso, a quantidade oferecida ao cachorro por dia deve ser pouca. Por fim, o que sobrar da receita deve ser colocado na geladeira e armazenado por até uma semana.

Alimentos gostosos para comprar que substituem o chocolate

Para quem não tem tempo de cozinhar, mas mesmo assim quer oferecer um petisco diferente ao cachorro, pode encontrar produtos no mercado pet. Mas, antes de comprar é importante conversar com o médico veterinário.

Entre os produtos, o tutor pode encontrar biscoitos, bolinhos e até mesmo ovo de chocolate. Porém, todos os itens são feitos especialmente para os cães, levando em consideração as características desses animais.

Muitos dos produtos possuem corantes, açúcares e gorduras. Por isso, nem todo veterinário recomenda a adoção desses itens na vida do cão. Mas se mesmo assim você deseja presentear o seu bichinho, seguem algumas opções. Confira!

Pet Dog: petisco muffin de chocolate

O muffin da Pet Dog possui o sabor chocolate. Trata-se de um bolinho que pode servir como petisco para o cão. Esse produto pode ser encontrado na loja Cobasi e cada unidade custa em torno de R$ 2, sem contar com o frete.

Deliciosso: palito fino de chocolate

Uma outra opção de “doce” para cães é o palito fino de chocolate. Esse item é produzido pela Deliciosso e também serve como petisco. A loja PetLove comercializa esse produto e ele custa R$ 14,90.

Chocodog: Snack tablete

Os cães também podem saborear um tablete de chocolate. Esse produto é da empresa Chocodog, que faz muitos produtos para substituir esse tipo doce na vida do cão. A loja Petz vende o snack por R$ 10,99.

Por que o chocolate faz mal para o cachorro?

O chocolate faz mal para o cachorro por dois motivos: a presença de açúcar e de um substância chamada teobromina. Ambos os itens citados trazem malefícios para a vida do cachorro e por isso esse doce deve ser evitado.

“Chocolate, além do açúcar que pode levar à obesidade, diabetes e outros fatores, tem substâncias que podem intoxicar o cão, afetando diretamente o Sistema Nervoso Central”, explica a zootecnista e nutricionista de pets da Cão Integral, Aline Motta.

Ainda segundo a especialista em nutrição, a teobromina é uma substância presente no cacau. Como os chocolates, principalmente o amargo, possuem quantidades de cacau, esses doces podem provocar uma série de complicações na vida do cãozinho.

Já segundo a médica veterinária da PremieRpet®, Keila Regina de Godoy, a gravidade do caso vai depender da quantidade de chocolate ingerida pelo animal. Outros fatores também podem influenciar, como o porte do cão e a situação de saúde em que ele se encontra.

“O fígado dos cães e gatos não metaboliza direito uma substância presente no chocolate, chamada teobromina, que está relacionada com a quantidade de cacau. Quanto mais cacau, mais teobromina o produto contém e mais tóxico ele é”, explica Keila.

Para Aline Motta, “somente a alfarroba pode ser utilizada em receitas para os peludos.” Nesse caso, ela pode substituir o cacau nas receitas de doces para cães.

O que acontece quando o cachorro come chocolate?

Como já visto anteriormente, o chocolate pode causar intoxicação no organismo do cachorro. De acordo com veterinários, esse tipo de situação começa a demonstrar os primeiros sintomas quatro ou cinco horas após o consumo.

Vale ressaltar que cada animal reage diferente ao consumo. Os sinais de intoxicação dependem da quantidade ingerida do alimento, o tipo dele, a sensibilidade do cão e o quadro clínico que ele apresenta.

Para o veterinário da Virbac, Ricardo Cabral, quanto menor o cão maior é o efeito sobre ele. Por exemplo, estima-se que para um pug com 9 kg, a dose tóxica seja em torno de 150 gramas de chocolate. Já no caso de um cão de porte grande, como o golden retriever com 34 kg, a quantidade considerada tóxica é de aproximadamente 400 gramas.

Mas de uma maneira geral, os cães podem apresentar sinais como indisposições gastrointestinais, problemas no sistema nervoso e outras dificuldades. Confira a seguir mais detalhes:

Indisposições gastrointestinais

Vômitos e diarreia são bem comuns em casos de intoxicação por chocolate. Ao se deparar com essas situações, o tutor deve procurar um médico veterinário. E nunca, administrar medicamentos em casa sem a orientação de um profissional.

Problemas no sistema nervoso

Também podem surgir desordens no sistema nervoso do cão, como as convulsões. Esse tipo de sintoma é mais sério e o tutor deve buscar por atendimento emergencial.

Outros sintomas de intoxicação por chocolate

“Como a teobromina age intensamente no organismo, pode ocorrer aumento de contrações musculares, excitação nervosa, micção em excesso, elevação da temperatura corporal, respiração acelerada, taquicardia, vômitos e diarreia”, explica a veterinária Keila Regina.

Prevenção contra a intoxicação por doce

Diante de tudo que foi mencionado, fica claro que chocolate para cachorro não é indicado. Por isso, o tutor que deseja evitar os sintomas que esse doce pode provocar no cachorro, deve escolher preparar um tipo de doce mais saudável.

Além disso, é possível encontrar no mercado pet algumas opções de “chocolate” para cachorro. Sem cacau e consequentemente evitando a intoxicação no cão.

É importante também armazenar os chocolates de humanos em lugares que o cão não tenha acesso, para evitar que ele roube e consuma escondido do dono.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.