Como lidar em casos de choque elétrico em cães?

Os cuidados não devem ser limitados aos primeiros socorros e a ida ao veterinário. Nessas situações, o pós-acidente é também bastante importante


Filhotes adoram mordiscar o que encontram pela frente e isso inclui até mesmo fios elétricos. Para os cães, tudo que for interessante serve para diversão, não fazem ideia do quanto algumas coisas podem ser extremamente perigosas e que colocam suas vidas em risco. Em casos de choques elétricos, o estado clínico dos animais pode ser determinado de acordo com o tempo em que ele passou conectado às correntes e a intensidade do acidente. As consequências, portanto, podem variar entre queimaduras e, em situações mais sérias, uma parada cardiorrespiratória.

A procura por um veterinário deve ser feita imediatamente, mas alguns cuidados devem ser tomados ainda em casa. Garantindo não só a integridade do seu peludo, como também a sua. No desespero, as pessoas tomam atitudes erradas, que ao invés de ajudar, atrapalham ainda mais o socorro. Veja como agir durante o pronto atendimento e depois do acidente.

Como lidar em casos de choque elétrico em cães?

Foto: Reprodução/ internet

O que deve ser feito em casos de choque elétricos?

Quando um cachorro recebe uma descarga elétrica forte, ele, geralmente, não irá soltar o fio da boca. Pelo contrário, os espasmos musculares provocados pelo choque fazem com que o animal morda com mais firmeza os fios. Levando em consideração essa condição, os tutores precisam desligar a força, e a melhor forma é desligando a chave geral.

Caso você não saiba onde ela fica, ou esteja muito distante dela, desligue a tomada. Porém, é necessário cuidado para não tomar um choque também. Vale salientar também, que jamais deve tentar retirar o animais de cima dos fios com a força ligada, assim você também será vítima de um choque, o que vai complicar ainda mais a situação.

Feito isso, observe se o animal está respirando ou com os batimentos cardíacos regulares. Ele pode encontrar dificuldade em respirar, devido a eletricidade que pode danificar os vasos sanguíneos do organismo e provocando um vazamento que enche os pulmões. Isso pode desencadear uma tosse e agravar a situação. Além disso, a descarga elétrica pode atrapalhar o batimentos cardíacos.

Tendo em vista essa situação, o responsável precisará realizar compressões no peito do animal e praticar a respiração artificial no pet. Comece envolvendo a boca do animal, selando-a e, em seguida, sopre duas vezes no nariz do cachorro. Espere ver se o peito dele infla e afaste o rosto para deixar o ar escapar. Se o animal não responder a esse estímulo, continue o processo junto com a massagem cardíaca. Intercale cinco compressões no peito do cão com uma soprada no nariz.

Em algumas situações, o choque elétrico pode causar convulsão no cachorro. Para tratá-las, use um pano escuro para tampar a visão do cão e não se comunique com ele, qualquer barulho ou até mesmo a luz pode prolongar as convulsões para mais de três minutos, limite do considerado “normal”. Após os primeiros tratamento necessários, é preciso ir ao veterinário com urgência. Na clínica é possível detectar outros problemas que podem ter sido causados pela descarga elétrica.

Cuidados posteriores

Inevitavelmente, o cão que levou um choque elétrico terá sua língua ou partes da boca queimadas. Para o tratamento, o médico deverá passar alguns antibióticos, mas isso não ajudará o cachorro a querer comer. Essa situação pode dificultar a alimentação do pet, por isso, prepare alimentos mais pastosos ou passados em liquidificador.


Reportar erro