Como cuidar de cães deficientes?

Devido a acidentes ou problemas de saúde, um cão pode se tornar deficiente, necessitando assim de uma atenção especial


Devido a acidentes ou problemas de saúde, um cão pode se tornar deficiente físico, apresentando paralisia, cegueira, surdez ou a perda de membros. Algumas pessoas pensam que, com isso, o animalzinho não terá mais qualidade de vida, o que é falso. Os cães costumam se adaptar rapidamente a problemas físicos, mas os tutores têm um papel fundamental, é claro, dando amor e atenção ao animal.

Caso o cachorro tenha se tornado cego, cadeirante ou adquirido outra deficiência, ele pode ficar deprimido no início, e a melhor terapia é continuar com as caminhadas e brincadeiras. O papel do tutor é fundamental, sendo necessário conhecer um pouco sobre cada deficiência para poder cuidar bem do pet, garantindo o seu bem estar.

As deficiências físicas

Paralisia

A paralisia dos membros posteriores pode ocorrer devido a um problema na coluna do cão, a hérnia de disco. Os sintomas do problema são: não querer andar, andar com dificuldade, permanecer arqueado, não conseguir se levantar, falta de apetite e dificuldade de respirar. Ao notar algo incomum, o tutor deve procurar um veterinário urgentemente.

O médico veterinário mantém o cão em uma gaiola, para que ele não possa se movimentar muito e não sentir dor, e indica uma medicação com analgésicos e anti-inflamatórios.

Para garantir mais qualidade de vida ao cão, o tutor pode incluir sessões de acupuntura e fisioterapia, sendo que em muitos casos o uso de carrinho é indispensável.

Como cuidar de cães deficientes?

Foto: Reprodução

Cegueira

São várias as causas da cegueira em cães, incluindo doenças como catarata, glaucoma, lesões de córnea, doenças da retina, diabetes e outras. Se o problema for detectado no início, existem chances de se preservar a visão, por isso, o tutor deve ficar atento, observando se o cão lacrimeja excessivamente, se tem coceira na região dos olhos, olhos vermelhos e piscadas exageradas.

Para garantir o bem estar do animal, deixe a água e comida à disposição, mantenha os móveis organizados e não deixe de realizar as atividades do cotidiano, como passeios e brincadeiras.

Surdez

Em alguns casos, cuidar bem da saúde dos ouvidos do cão pode prevenir a surdez; em outros, os cães podem ficar surdo devido à idade avançada.

No caso do cão surdo, o tutor deve educar o animal por meio dos sinais com as mãos. Dar o sinal com a mão e oferecer um petisco reforça um comportamento positivo e, após várias repetições, ele entenderá a recompensa.

Para repreender, o tutor aponta firmemente o dedo para o cão, com expressão de insatisfação. Depois de várias repetições, o animalzinho entenderá o significado do gesto.

Dicas para cuidar de cães deficientes

  • É muito importante socializar o cão, sendo que o ideal é conviver com ele dentro de casa;
  • Verifique os ambientes para remover qualquer objeto que possa prejudicar o cachorro, como tábuas soltas, galhos baixos, escadas ou rampas muito lisas etc.;
  • Evite as mudanças frequentes ou drásticas para que o animal não fique muito perdido;
  • Converse com o animal sempre que possível, falando em um tom alegre;
  • O cão deficiente precisa de mais atenção e cuidado, mas não de piedade. Por isto, evite paparicar e proteger excessivamente. O cão também precisa ter liberdade para se divertir!


Reportar erro