Como cruzar seu cachorro? Veja dicas e cuidados

O período fértil, a saúde e as características físicas dos cães são alguns dos fatores que devem ser levados em consideração no cruzamento


Cruzar um animal e o processo de gravidez que vem depois são duas fases na vida do pet que precisam de tempo, dinheiro e cuidados essenciais para que tudo ocorra bem. Além disso, muitos tutores não sabem como planejar esse acontecimento na vida de seus cães e precisam de uma orientação, a fim de que o cruzamento ocorra da forma esperada e sem surpresas ruins.

Alguns fatores devem ser levados em consideração, primeiramente o período fértil dos cães, a saúde dos envolvidos, as características físicas do macho e da fêmea e o local onde vai acontecer o acasalamento. Todas essas respostas devem estar bem esclarecidas antes do cruzamento, e só assim esse procedimento pode ser tranquilo para os animais.

Pense bem antes de optar pelo cruzamento

Você deve avaliar se essa é a melhor opção tanto para o pet, quanto para você. Isso porque o cruzamento requer dinheiro antes e depois, uma vez que os animais precisam passar por exames no momento anterior ao acasalamento e as fêmeas, quando estão grávidas, têm que fazer pré-natal, radiografias, ultra-sonografias abdominias e devem se alimentar da melhor forma. Além disso, quando nascem os filhotes eles precisam de vermifugação, vacinas e outros processos laboratoriais.

É preciso ter tempo e espaço em casa para criar os filhotes até que eles possam ser separados da mãe. Aliás, algumas cadelas rejeitam filhotes e não os amamentam, sendo assim você terá que alimentá-los várias vezes durante o dia. Você terá essa disposição? Além desses fatores, a cadela pode ter problemas durante e depois da gravidez, é necessário que o tutor saiba quais são esses possíveis problemas para tentar ajudá-la.

Muitos tutores também optam pela castração. Esse procedimento passa, por vezes, por uma discriminação grande por parte dos tutores. Porém, essa prática é uma solução muito saudável para o pet. Nas fêmeas, além de eliminar o incômodo que é o cio e as dores que as cólicas provocam, a castração evita casos de câncer no útero ou no ovários. Nos machos, a chance de desenvolver câncer de próstata é nula. Em ambas as situações, você tem a chance de prolongar ainda mais a vida do cachorro.

Como cruzar seu cachorro? Veja dicas e cuidados

Foto: Reprodução/ internet

Aspectos cruciais no cruzamento do cão

Antes de qualquer coisa é preciso esperar o tempo de maturidade sexual dos cães, não forçando o cruzamento dos animais. Tanto a fêmea, quanto o macho devem querer acasalar um com o outro e isso é algo que só depende deles. A cruza das cadelas só é indicada no terceiro cio, já os cachorros podem iniciar as atividades no 18º mês. Outro fator que pode afetar o cruzamento é a interação dos animais, as fêmeas podem rejeitar os machos só por serem desconhecidos.

É necessário também, atentar para a saúde dos cães. Eles precisam está vermifugados, com as vacinas em dia e devem ter passado por exames clínicos para saber se está tudo em ordem com a saúde. Cães debilitados, com alguma doença transmissível ou hereditária, não devem cruzar. Evitando assim ninhadas doentes e até mesmo complicações no parto para a cadela.

Os machos e as fêmeas deve ser similares no comportamento e também é ideal que sejam animais dóceis, o que ajuda a evitar agressões durante o cruzamento. Os cachorros devem ser do mesmo tamanho que as cadelas, isso porque cães muito grandes podem machucar as fêmeas e também é um risco na hora do parto. Lembre-se de não acasalar animais com algum parentesco, isso porque a chance de nascer filhotes doentes, com deformações e sem alguns órgãos é enorme.

Escolher previamente o local onde vai ocorrer o cruzamento é essencial. O lugar ideal é onde o macho mora, tendo em vista que as fêmeas exalam um cheiro característico que atrai outros machos. Se essa opção não for possível, opte por um lugar novo, mas apresente-o ao cão semanas antes para que ele possa marcar o território.


Reportar erro