Colapso em cães: o que fazer?

Problemas cardíacos, reação alérgica à picadas de insetos e outros problemas podem ser a explicação para o colapso nos cachorros.


Um cão pode ter um colapso por diversas razões, e para você socorrê-lo da melhor forma possível é necessário descobrir a procedência do problema. Um choque elétrico, a ingestão de venenos ou de produtos tóxicos para animais, podem ser explicações para um colapso. Cães podem cair repentinamente por falta de respiração, devido a uma queda ou elevação de temperatura corporal, bem como um sangramento interno por pancada ou tumor.

Problemas cardíacos, reação alérgica à picadas de insetos e outros problemas podem ser a explicação para o colapso nos cachorros. Para cada situação descrita, há uma maneira adequada de atender o animal nos primeiros socorros. Mas, seja qual for a razão o médico veterinário deve ser procurado imediatamente para que as medidas necessárias sejam tomadas a fim de preservar a vida do seu pet.

O que deve ser feito?

Quando você ver seu cão cair de repente e perceber que ele não consegue se levantar, analise de imediato a respiração e os batimentos cardíacos dele. Respiração ofegante ou fraca não é um bom sinal, assim como pulsações rápidas demais ou lentas também não. Se o peludo não consegue respirar, você deve fechar bem a boca dele e soprar rapidamente no nariz, por duas vezes. Observe se ele reage expandindo o peito, se isso não ocorrer continue o processo realizando de 15 a 20 sopradas por minuto, até ele respirar sozinho ou até chegar ao veterinário.

Colapso em cães: o que fazer?

Foto: Reprodução/ internet

Se o animal estiver com o coração e o pulmão funcionando normalmente, tente aplicar algo doce na gengiva do pet. O mel poder ser bastante útil nesses casos. Desta forma, você evita que a taxa de açúcar caia e, por conseguinte, alguns motivos para o colapso, como a falência de órgãos, hipotermia, insolação ou até mesmo o choque elétrico.

Você também pode manter seu animal em um ambiente frio, pois o colapso pode ser ocasionado devido a insolação. Para saber se essa medida é cabível, use um termômetro clínico para medir a temperatura corporal do pet. Se estiver a cima de 41°C leve-o para o veterinário o mais rápido possível, buscando sempre resfriar o animal com água gelada. Em dias de sol muito quente, tenha mais cuidado com o peludo.

Danos no dorso pode impossibilitar seu animal de andar, por essa, razão cuidado como irá socorrê-lo. O modo como você o pega pode atrapalhar ainda mais o tratamento do animal na chegada ao veterinário. Pegue o cachorro com o auxílio de mais pessoas, para que o corpo do cão fique reto e sem curvaturas. Atenção também aos carrapatos, caso o pet esteja com esse parasita no momento do colapso, leve-o para o veterinário e não se preocupe em retirar o hospedeiro no momento do socorro.

Importante

É de suma importância lembrar, que o os primeiros socorros são essenciais para a recuperação do animal, mas que eles não substituem a ida ao veterinário. Só um médico especializado saberá escolher o melhor tratamento para que evitar futuros colapsos.


Reportar erro