Sinais de ansiedade em cães

Cachorros com sinais de ansiedade podem exibir comportamentos diferenciados e passar despercebidos por seus donos. Saiba o que é e como tratar.


Cachorros com ansiedade podem exibir comportamentos diferenciados em que muitas vezes podem passar despercebidos por seus donos ou até mesmo serem mal interpretados.

O comportamento negativo de um cachorro é muitas vezes resultado de medos e ansiedades que podem ser corrigidos através de terapia de redirecionamento. A ansiedade é considerada uma forma de estresse que compromete o bem-estar do cão, afetando seus hormônios, neurotransmissores e outras substâncias químicas dentro do organismo do animal.

Ainda que muitos donos de cães acreditem ser este o comportamento do seu animal, classificando-o como “normal”, é muito importante que o cão seja tratado, garantindo mais qualidade de vida. Neste artigo, o Clube Para Cachorros traz alguns dos principais sinais emitidos por estes animais, confira!

Sinais de ansiedade em cães

Foto: Pixabay

Postura corporal do cão

De um modo geral, cachorros ansiosos apresentam seus músculos constantemente tensos, principalmente quando se sentem ameaçados. Podem permanecer imóveis ou até mesmo buscam se afastar do que é considerado um risco, perigo e ameaça para eles.

Alguns cães também apresentam a ansiedade agachando o corpo de um modo geral no chão, mantendo a cabeça baixa. Também podem rolar no chão com a finalidade de expor a barriga e urinar como sinal de submissão.

Os olhos do cão

Apresentam comportamentos agressivos e olham fixamente para o seu alvo, deixando parte do branco dos olhos bem aparente. Neste caso, não troque o olhar com este animal e lentamente se afaste, sem dar as costas em nenhum momento, do contrário o cão provavelmente irá atacar.

Outros não focam a visão no indivíduo amedrontador, se distanciando ao máximo, alguns cães podem piscar os olhos constantemente chegando ao ponto de fecharem os olhos completamente.

Posicionamento das orelhas

Cães ansiosos tendem a manter o posicionamento das orelhas para trás demostrando submissão, medo e ansiedade. Em situações assim, busque ajudar o cão removendo ele do local ou de quem o estiver incomodando.

Este comportamento demonstra insegurança, em que muitas vezes se volta como forma de agressividade. A cauda abaixada (entre as pernas) combinada com as orelhas para trás é outro indício que fortalece ainda mais a linguagem corporal negativa do animal.

Falta de apetite

A ansiedade canina traz estímulos desagradáveis aos sentimentos do cachorro, inclusive fazendo o cão perder o apetite, igualmente como ocorre com os seres humanos que se encontram em altos níveis de ansiedade ou depressão.

Por exemplo, cães que são forçados a fazerem algo que não querem como andar na grama, em piso escorregadio ou até mesmo a se socializar com ouros cachorros, podem perder o apetite em decorrência deste ataque de ansiedade.

É muito importante buscar ajuda de um profissional em comportamento canino, a fim de corrigir este comportamento que tende muitas vezes a agravar com o tempo.

Medo de chuva e trovão

Cães que apresentam ansiedade e fobias de barulhos de chuva e de trovão mostram sintomas de tremor, ritmo e respiração ofegante em pânico.

Alguns dados científicos já demonstraram que este problema afeta quase 30% dos cães. Neste caso, uma ótima dica é desviar a atenção da chuva, realizando alguma outra atividade com o cão durante a tempestade.

Tédio

Animais entediados arranham o sofá, mastigam o sapato ou saltam sobre as mobílias da casa, destruindo-as durante este processo de ansiedade com tédio.

Neste caso, o dono precisa ficar atento ao comportamento do animal. Passeios diários e brincadeiras são uma ótima sugestão para focar a energia e ansiedade do cachorro em outras atividades.

Afinal, você conhece o seu cachorro?

  • Quais são os gostos do cachorro?
  • Do que ele realmente não gosta?
  • O cachorro é tímido na presença de pessoas estranhas ou com outros animais?
  • Gosta/não gosta de carinho em quais partes do corpo?
  • O que você fez pelo seu cachorro hoje?
  • Quanto tempo você dedica ao seu pet por dia?

Estas são algumas perguntas que os donos de cães precisam se fazer diariamente, buscando sempre melhorar a qualidade de vida do animal.

Como solucionar os problemas de ansiedade?

Constatando todos estes sintomas ou algum destes, busque a ajuda de um médico veterinário sobre como solucionar ou ao menos amenizar estes problemas de ansiedade.

Soluções como:

  • Passear com o cachorro até duas vezes ao dia;
  • Dedicar boas horas de atenção com brincadeiras variadas com o animal;
  • Escovar o pelo do animal diariamente, mantendo um elo mais íntimo de confiança;
  • Garantir uma alimentação saborosa e de qualidade (consulte o veterinário);
  • Conversar com o seu cachorro. O ato de conversar com o cão aumenta a ligação entre dono e cachorro. Qualquer tipo de comunicação é bem-vinda. Por exemplo, contar sobre o seu dia de trabalho;
  • Não forçar o animal a fazer algo que o amedronte (busque ajuda profissional);
  • E se preciso, através de acompanhamento médico dê o medicamento correto para o tratamento de saúde do pet.


Reportar erro