Como fazer os cães gostarem dos gatos?

Não vai ser da noite para o dia, mas com esforço de sua parte, eles podem sim viver em harmonia


Seu cão não se entende com os gatos? Sempre que vê um deles late e quer correr atrás – ou fugir dele? Hoje vamos explicar como fazer com que os dois animais se entendam sem problemas sendo grandes amigos ou no mínimo tendo uma convivência harmoniosa.

Por que cães correm atrás de gatos?

Os cachorros correm instintivamente atrás de objetos em movimento, seja um gato, rato ou outros animais por serem caçadores natos, e os gatos fogem por sentirem-se ameaçados. Isso, no entanto, não significa que eles não se gostam ou não conseguem conviver. Apenas estão deixando que os instintos falem mais alto.

Outro motivo dessa perseguição contínua, típica de histórias de desenhos animados, é que os cães e gatos possuem posturas corporais semelhantes, mas que em suas linguagens passam mensagens diferentes. Por exemplo, um sinal que demonstra agressividade para os cães, como quando eles elevam o rabo e colocam suas orelhas para frente, é o mesmo que o gato usa para demonstrar que tem boas intenções e quer brincar. Já pensou na bagunça que vai dar se o gato quiser brincar com o cachorro?

Já com os gatos, quando abaixam o rabo e colocam suas orelhas para trás, isso indica que podem atacar a qualquer momento, e para os cachorros, abaixar o rabo e abaná-lo significa que quer brincar. Enfim, já deu para ver a confusão que isso pode gerar né? Mas como resolver esse problema?

Como fazer com que cães e gatos se deem bem?

Como fazer os cães gostarem dos gatos?

Foto: Reprodução/Pixabay

Mesmo com tantos sinais que emitem mensagens totalmente opostas, os dois podem se dar bem e começar a entender os sinais uns dos outros. Quando são filhotes, o relacionamento é mais fácil, mas isso também é possível quando adultos. O cachorro enxerga melhor a presença de um gato, desde que não carregue experiências negativas relacionadas ao animal, pois está acostumado a viver em matilha, vendo-o como um novo membro. O gato, por sua vez, é mais territorialista, enxergando o cão como uma ameaça.

O importante mesmo é que os donos forneçam muito carinho aos dois e tenham paciência durante o período de apresentação e adaptação. É importante não forçar situações desagradáveis entre eles, e dar espaço para que entendam como se comunicam. Lembre-se de nunca achar bonitinho os comportamentos dominantes de seu cão. Ele vê você como um membro da matilha e, se quiser mudar o comportamento dele, seja o líder para que ele se comporte melhor. Faça a apresentação de forma lenta, mostrando o cheiro, depois deixando o cão ver você com o gato, mostrando que ele não é um invasor, mas sim um novo membro da família. Deixe-os, enfim, no mesmo espaço, mas com sua supervisão. Repreenda qualquer sinal de briga.

Não vai ser da noite para o dia, mas com esforço de sua parte, até mesmo os cães mais difíceis podem aceitar a presença de gatos no mesmo espaço e conviver como amigos – ou tolerando-o. É importante também que você sempre passeie com o cão, e brinque com ele para manter seus níveis de energia baixos antes de interagir com o gato. Treinamentos com profissionais e áreas separadas podem ajudar também no período de adaptação.

Alerta: Nunca tente separar fisicamente uma briga entre eles, pois você pode acabar se machucando. Use sempre a água: esguichos ou copos. Isso fará com que eles se separem.


Reportar erro