Saiba se você pode ou não levar seu cachorro na praia

A água salgada, sol, calor e areia podem ser um prato cheio para aparecimento de lesões de pele, coceira e danos no corpo do animal


Está perto de quem se gosta é um fato que não está restrito somente aos seres humanos, com os amigos, parentes e conhecidos.

Os cachorros e demais animais de estimação também entram nessa lista. Mas, não é todo lugar que é apropriado ou que permite que seu companheiro animal passeie à vontade.

Na praia, por exemplo, levar seu cãozinho pode acarretar em vários problemas vinculados a saúde do animal.

A água salgada, sol, calor e areia pode ser um prato cheio para aparecimento de lesões de pele, coceira e até danos a outras partes do corpo do animal.

Saiba se você pode ou não levar seu cachorro na praia

Foto: depositphotos

Cuidados que devem ser tomados

Para que o seu passeio não se transforme em um problema, vale a pena prestar atenção a algumas dicas que darão segurança para você e principalmente para o seu cachorro.

Permissão

Antes de seguir viagem com o cãozinho, procure saber se a praia escolhida para o passeio permite a entrada de cachorros pois algumas delas não aceitam.

Caso seja permitido, não esqueça de ter em mãos o cartão de vacinação do seu cão, pois algumas cidades litorâneas seguem regras de fiscalização severas quanto a presença de animais nas praias.

Atenção ao sol

Não é somente os seres humanos que precisam de atenção redobrada quanto a exposição solar. Os cachorros podem sofrer um bocado por conta disso.

Primeiro de tudo, procure observar se o seu cão gosta de ficar no sol. Aqueles animais que apresentam pelos mais densos podem sofrer mais devido ao calor.

Para evitar isso, tenha sempre a mão um guarda-sol que proporcione sombra também para o seu cão.

Evite passear com seu cachorro na praia entre o horário de 10h às 16h, essa é a hora que o sol está mais intenso e pode ocasionar queimaduras no animal, sobretudo na região das patas.

Lojas específicas de produtos para cachorros dispõem de protetores para as patas, caso seja inevitável o horário escolhido.

Hidratação

Devido ao calor forte e realização de atividades físicas, os cachorros tendem a ficar desidratados, assim como acontece com os seres humanos.

Nesse caso, é bom sempre ter um recipiente para que o cachorro se hidrate. Manter a água sempre fresca também é importante.

Transtornos

A partir do momento que você resolve levar o seu cachorro a locais abertos, sua responsabilidade para com ele deve ser redobrada. Pois eles podem se perder ou atacar pessoas. Procure ficar de olho para que isso não aconteça.

Água do mar

Se seu cachorro é daqueles hiperativos que não resiste a levar a brincadeira para dentro d’água, preste atenção. Se puder, evite.

A água do mar pode entrar dentro do ouvido do cão, misturando-se a areia, sal e calor, cria o ambiente perfeito para a proliferação de microrganismos, como: bactérias e fungos.

Além do mais, o processo também pode se repetir na região dos olhos, causando conjuntivite.

Coco na areia

Diferentemente dos seres humanos, estando fora de casa, os cachorros não tem como controlar a frequências das necessidades fisiológicas.

Nesse caso, se algum ser humano tiver contato com dejetos de animais, pode transmitir doenças.

Proteção animal

Para evitar alguns problemas de queimadura ou proliferação de vermes, os donos devem ficar atentos as melhores formas de proteger seu cãozinho.

Compre um protetor específico para o uso animal e também procure recorrer a um veterinário para imunizar o animal com vacinas específicas, geralmente administradas 30 dias antes do passeio.


Reportar erro