Dicas para armazenar corretamente a ração do seu pet

O calor e a luz do sol, a umidade, roedores e micro-organismos podem comprometer a qualidade da ração, independente da marca


Você pode não saber, mas muitas das doenças que o cachorro adquire ao longo da vida possui alguma relação com o tipo de alimentação e em quais condições esta é ofertada ao animal.

Por esta razão, é importante conversar com um veterinário de confiança a respeito de qual a melhor marca para ser administrada para cada peludo, levando em consideração, é claro, as suas necessidades nutricionais.

Contudo, de nada adianta escolher a melhor ração do mercado e não saber como armazená-la corretamente. Isto porque, se estocada da maneira errada, a alimentação poderá perder as qualidades nutricionais, ficar exposta aos agentes infeciosos e aos insetos causadores de patologias nos cães. Além disso, outros fatores externos podem comprometer as propriedades destes alimentos, como sol, chuva e a umidade.

Dicas para armazenar corretamente a ração do seu pet

Foto: depositphotos

Dicas para armazenar rações

1. Proteja do sol

Tanto o calor como a luz do sol podem afetar a qualidade do produto, mesmo que este seja a melhor opção para determinado pet. Isto porque, os raios solares provocam a aceleração de processos enzimáticos, o que por sua vez fazem com que a ração perca os nutrientes mais rapidamente. Por esta razão, é importante abrigar o alimento em locais que sejam protegidos do sol e arejados.

2. Mantenha a embalagem

É importante destacar que as rações precisam permanecer fechadas, mesmo após abertas. Por esta razão, muitas marcas optam pelo sistema “zíper”, que permite um fechamento mais seguro das embalagens. No entanto, alguns tutores preferem armazenar o produto em um recipiente com tampa, que pode ser feito, mas ainda assim é interessante guardar a embalagem.

Outras produtoras de ração optam por elaborar embalagens fracionadas, isto é, que possuem pacotes de 500 g já prontos e que assim não é preciso abrir de uma só vez a embalagem e nem é necessário descartar o saco. Um exemplo deste é o caso da Linha de produtos Fórmula Natural, da Magnus.

De acordo com a responsável pela Gestão de Qualidade da marca, Valéria Salustiano, manter a embalagem é necessário “pois nela estão impressas informações importantes de rastreabilidade, como lote de produção, data de validade e informações nutricionais”.

3. Evite o contato da embalagem com o chão

Da mesma forma que é importante lacrar o saco de ração e mantê-lo protegido do calor e da luz do sol, é necessário também evitar que ele tenha contato com o chão. Isto porque, o produto pode absolver a umidade do ambiente e isso vai danificar as rações, bem como empobrecer o alimento dos nutrientes e propriedades que ele possui.

Além disso, existe outro problema grave que pode aparecer quando o saco está em contato direto com o chão, isto é, o surgimento de roedores. Atraídos pelo cheiro das rações, ratos podem achar o produto e se urinarem podem transmitir leptospirose, doença séria não só para os cães, mas também para os tutores.

4. Cuidados com o comedouro

Mesmo que essas dicas anteriores sejam colocadas em prática, talvez elas não consigam proteger o pet de doenças se esta última não for levada em consideração. Por isso, é importante que o tutor siga algumas recomendações com relação aos comedouros, por exemplo lavá-o após a refeição do cachorro com água e detergente neutro e, principalmente, não deixar o recipiente com ração exposto ao sol ou esperando que o peludo coma, tendo em vista que esta prática também pode atrair roedores.

Problemas causados pela má conservação da ração

Quando a ração não é bem armazenada e fica exposta a todos os fatores já citados, o cachorro que a consome pode ficar exposto à diversos problemas de saúde como:

  • Diarreia;
  • Apatia;
  • Vômito;
  • Outros quadros graves de intoxicação alimentar.


Reportar erro