, , ,

Bull terrier – Saiba tudo sobre esta raça

Além do cachorro de porte normal, esta raça possui uma versão menor conhecida como bull terrier miniatura

O nome bull terrier revela as origens de cruzamentos dessa raça. De um lado os bulls, do outro os terriers. De acordo com o site da American Kennel Club (AKC), as cruzas que resultaram neste cão combinaram a determinação e a coragem do bulldog com a agilidade natural e a intensidade dos animais terriers.

Além do cão de porte normal, variando de 53 centímetros até 56 centímetros, há ainda uma versão menor da raça. Com uma altura que varia de 25 centímetros a 35 centímetros, o bull terrier miniatura possui as mesmas características que o maior, porém ainda mais acentuadas.

Temperamento e personalidade do bull terrier

Por ter sido criado para participar de lutas de cães, o bull terrier preserva um lado agressivo com outros cachorros, principalmente com animais da mesma raça. No entanto, os treinamentos podem ser feitos quando o animal é ainda filhote, tornando-o um pet mais sociável com os demais da mesma espécie.

O bull terrier preserva um lado agressivo com outros cachorros por ter sido criado para lutar

Entre todas as raças que existem, esta é uma das que mais sofreu com alterações físicas (Foto: depositphotos)

A sociabilização e a obediência são duas características conquistadas com treinos. Ao alcançar sucesso nestes dois aspectos, o tutor pode aproveitar de um cãozinho muito amigável, completamente afetuoso com as pessoas da casa e extremamente leal.

Já quando o assunto é a personalidade deste cão, pode-se dizer que ele é determinado, temperamental e teimoso. O treinamento pode ser um pouco difícil, principalmente por causa dessas características citadas anteriormente. Sendo assim, é recomendado que o adestramento seja iniciado desde filhote.

Dúvidas recorrentes

1. Quanto custa um bull terrier?

Esta raça está entre as mais caras que existem, pois podem custar de R$ 2.500 a R$ 6 mil. Mas, é sempre importante lembrar que a compra de cães só deve ser feita após conhecer as circunstâncias nas quais se encontram as mães dos filhotes. Infelizmente, alguns canis exploram as fêmeas e deixam os animais viverem em situação desumanas. 

2. Adapta-se em apartamento?

O cachorro dessa raça pode viver bem em apartamento, mesmo sendo um animal muito animado. O pouco espaço dentro de casa pode ser recompensado com caminhadas, brincadeiras em parques ou até mesmo jogos que estimulam o cachorro mentalmente.

3. É um bom companheiro para crianças?

O bull terrier é ideal para casas onde há adolescentes, isto porque ele é um cão muito forte. Desta maneira, crianças menores não vão conseguir dar conta das brincadeiras e nem dos passeios ao lado de um cachorro dessa raça.

4. Bull terrier late muito?

Esta raça não late sem necessidade. Trata-se de um cachorro silencioso e preciso. Por estas razões, este cão não vai emitir sons sem motivo aparente. Sendo assim, é indicado ficar atento quando um bull terrier decidir latir, pois alguma coisa está realmente fora do normal.

5. Apresenta problema ao ficar sozinho em casa?

Por ser um cachorro afetuoso, ele não gosta de passar longos períodos em casa sozinho. Para um cão desta raça a presença do tutor é essencial no dia a dia. A relação entre cão e dono é tão forte, que ao chegar em casa do trabalho o tutor com certeza será recepcionado com alegria e várias lambidas no rosto.

6. Tem tendência a soltar muito pelo?

A pelagem de um bull terrier é lisa, sedosa e simples. Exige poucos cuidados, pois os pelos só costumam cair em grandes quantidades na época onde há a troca. De uma maneira geral, esta raça não apresenta tendência a soltar muito pelo. 

Comportamento do bull terrier

O comportamento determinado deste cão combina com a estrutura forte e musculosa que ele possui. Mas, mesmo assim é um cachorro que prefere passeios mais lentos, pois não é um bom corredor. Apesar disto, é cheio de energia e é necessário que o tutor separe momentos do dia para brincar com o cãozinho.

Caso o dono não se dedique as brincadeiras com o bull terrier, é possível que o animal apresente um comportamento inadequado. Por ter necessidade em gastar a energia com jogos, ele pode acabar destruindo coisas em casa em busca de satisfação. Neste sentido, é mais aconselhável oferecer brinquedos resistentes a esses peludinhos. 

O bull terrier miniatura é ainda mais agressivo com outros cães, principalmente com relação a comida quando são possessivos. Essa versão menor dessa raça tende a morder se provocado. No entanto, é um ótimo cachorro para guarda, pois protege a família. Além disso, é companheiro e brincalhão com as pessoas da casa.

Características físicas

Cuidados específicos

Um dos problemas mais comuns nesta raça é o câncer. Entre todos os tipos, o mais frequente é o de pele, principalmente nos cães que possuem a pelagem branca. Por esta razão, é mais aconselhável vigiar os caroços que aparecem nos cães de forma inexplicável e buscar auxílio veterinário sempre que necessário.

Outros problemas de saúde que afetam o bull terrier são: problemas cutâneos, surdez, luxação na patela e cardiopatias. Especialistas recomendam que a castração deva ser feita logo que possível, diminuindo a agressividade contra outros cães e reduzindo as chances de câncer tanto em fêmeas como em machos.

Veja também: Cães de guarda – Principais raças para proteção

Filhotes

Na fase filhote do bull terrier, o tutor precisa investir em um treinamento firme e consistente. Desta maneira, é possível que quando adulto o cachorro seja mais equilibrado, tranquilo e obediente.

A saúde é outro ponto importante que deve ser levado em consideração pelos tutores, principalmente porque os filhotes estão em uma fase em que precisam de cuidados específicos. A exemplo disso estão as vacinas polivalentes, os remédios contra vermes e uma alimentação adequada para garantir um crescimento saudável.

Curiosidades desta raça

De acordo com o autor especialista em animais de estimação, David Alderton, no livro “Cães”, o bull terrier com pelagem branca e manchas pretas são derivações de cruzamentos com dálmatas. Este tipo de cruza, promovida na década de 1850,  foi feita para aumentar o vigor dessa raça.

Entre todas as raças que existem, esta é uma das que mais sofreu com alterações físicas. Ao longo de 100 anos, o bull terrier deixou de ser um cachorro com corpo atlético e saudável. Atualmente apresentam um crânio grande, em formato de ovo, e um abdômen avantajado.

Veja tambémAs mudanças manipuladas nas raças de cães durante 100 anos

Nos séculos XVIII e  XIX, os cães desta raça eram utilizados em um entretenimento popular da época: lutas. Dois cachorros da raça eram colocados em um ringue e brigavam até a morte. Em muitos países este tipo de “esporte” cruel é ilegal, mas ainda há quem pratique de forma clandestina. Por isso é importante que as pessoas denunciem ao saberem de algum evento com esse propósito.

Expectativa de vida: 10 a 12 anos. Podendo variar para mais ou menos, dependendo do estilo de vida que o cachorro leva.

Origem do bull terrier

Galeria de fotos

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: Pixabay)

(Foto: Pixabay)

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.