Buldogue filhote com deformidade tem apenas metade do corpo

Filhote de quase seis meses sofre da “síndrome do cachorro nadador”


Força, garra, luta e determinação. Essas quatro palavras descrevem a história de vida de Bonsai, um filhote de buldogue que nasceu com problemas congênitos e, em decorrência disso, tem somente metade do corpo.

Nascido em 27 de abril deste ano no estado de Arkansa, nos Estados Unidos, o cão irá completa seis meses agora em outubro. O proprietário do animal, entretanto, não quis criar Bonsai e o deixou aos cuidados de uma ONG que abriga animais no estado do Texas, a “Friends of Emma”.

Doença

Entre outros problemas, o filhote sofre da “síndrome do cachorro nadador”. Essa doença afeta cães os deixando deitados e com as patas esticadas, semelhante como esses animais ficam quando estão nadando. Tal problema pode ser revertido, mas exige tempo e tratamento.

Buldogue filhote com deformidade tem apenas metade do corpo

Foto: ‘Bonsai – Half A Bulldog, Twice The Love’/ Facebook

Cirurgia

Bonsai teve que passar por uma cirurgia em junho deste ano, para retirada das patas traseiras, uma vez que tais membros causavam dor ao animal. Em decorrência do procedimento, Bonsai acabou ficando com praticamente metade do corpo. Atualmente, o filhote passa por um delicado processo de tratamento, o qual deve durar toda a vida.

Campanha

Em decorrência da situação, o abrigo o qual Bonsai é interno lançou uma vaquinha online para arrecadar fundos para custear o tratamento médico do filhote. Para impulsionar a campanha, a “Friends of Emma” criou uma espécie de diário no qual são postadas fotografias e informações atualizadas sobre a saúde do animal. Esse material pode ser conferido no site e também na página no Facebook de Bonsai.

Ao todo, o filhote já conquistou mais de 48 mil seguidores no Facebook. Tal conquista é comemorada pela ONG, que ao mesmo tempo ressalta a importância do envolvimento das pessoas cada vez mais para a evolução do quadro clínico de Bonsai. “Amor, orações, cliques e compartilhamentos vão todos fazer a diferença para essa preciosidade [o cão]’’, afirma o abrigo.


Reportar erro