Animais pretos e deficientes são os que mais sobram na adoção

Alguns abrigos realizam campanhas de adoção específicas para tentar dar melhores condições para esses cães e gatos


Parece que o preconceito de cor também é uma triste realidade para os animais de estimação.

Isso porque, os cachorros e gatos que mais sobram nos abrigos para adoção são os de cor preta ou que sofrem algum tipo de deficiência física.

Geralmente eles chegam a esses locais de amparo por terem sofrido algum tipo de desprezo dos próprios donos, sendo jogados nas ruas.

Em outros casos, desde o nascimento, quando apresentam alguma deficiências, também sofrem algum tipo de desprezo.

Animais pretos e deficientes são os que mais sobram na adoção

Foto: Pixabay

Para mudar essa realidade, alguns abrigos estão realizando campanhas de adoção específicas para tentar dar melhores condições para esses cães e gatos. Porém, encontrar alguém comprometido, não é tarefa das mais fáceis.

Quando se trata da coloração, o preconceito também é grande. Os gatos pretos são os que mais sofrem, pois já foi criado um estereótipo de que eles trazem asar, ou que tem algum tipo de envolvimento com as forças ocultas, já que eram usados em rituais na antiguidade.

Mudando essa realidade

Sabendo dessa dificuldade dos animais de pelo negro e com deficiência em serem adotados, um grupo de defensores de animais lançou, em São Paulo, uma campanha chamada #AdoteUmPetComDeficiencia.

Pelo visto, a campanha já vem surtindo efeito, tanto que já foi promovida também em Brasília.

A campanha foi idealizada por Lívia Clozel, juntamente com as amigas Luiz Scalea e Giuliana Stafanini, do projeto Proteção Animal.

Segundo Lívia, o mote principal do projeto é gerar oportunidades de adoção para esses animais, partindo da parceria com outras ONGs, uma vez que a chance deles conseguirem um lar é mínima, quebrando preconceitos e promovendo a conscientização.

Barreiras do preconceito

A título de esclarecimento, são considerados pets com deficiência todos aqueles que apresentam problemas motores ou que sofreram algum tipo de amputação.

Aqueles acometidos por problemas de saúde, tais como mentais, renais, cegos, que tomam medicações constantes ou que necessitam de tratamento periódico também se encaixam nessa classificação.

Já entre os animais de cor preta, o interesse para a adoção chega a ser quase erro, se comparado a animais de outras cores. Na maioria das vezes, eles sequer apresentam problemas de saúde.

A idealizadora do projeto estima que, do total de animais que se enquadram nessas características e são disponibilizados para adoção, cerca de 90% acabam vivendo por toda a vida nos abrigos.

Os preferidos

Os animais que são alvos de adoção nos abrigos e eventos específicos são aqueles que apresentam coloração mais clara, gozam de boa saúde e tem olhos claros, segundo constatação da protetora Lívia Clozel.

Sobre a possibilidade de expandir a campanha para outras cidades e estados, Lívia se diz a procura de parcerias.

Para os interessados em conseguir mais informações a respeito da campanha #AdoteUmPetComDeficiencia, basta acessar o Facebook do projeto: facebook.com/adoteumpetcomdeficiencia/


Reportar erro