Meu cão está com manqueira. O que pode ser?

É imprescindível que o tutor saiba reconhecer o problema do pet e saiba como agir

O cão anda e corre tanto que as vezes fica difícil para o tutor explicar o porquê de alguns machucados e ferimentos. Um bom exemplo disso é quando o animal surge mancando, situação muito comum na vida do cachorro, mas que não são tão fáceis de entender pelos responsáveis.

Por esta razão, é ideal levar o pet ao veterinário, para que ele seja examinado e diagnosticado com a causa da manqueira.

De acordo com Amy D. Shojai, no livro “Primeiros Socorros para Cães e Gatos”, existem vários motivos que leva o animal a mancar.

“A manqueira pode indicar um problema sério, tal como uma fratura ou um deslocamento da pata, que acontece quando um osso sai da articulação. Mas o mais comum é que gatos e cachorros manquem depois de torcerem ou estirarem algum músculo, quando se exercitam demais ou quando se contundem batendo em alguma coisa”, explica a autora.

A manqueira em cachorros pode se dar depois do animal contundir algum músculo

As causas da manqueira precisam ser investigadas (Foto: depositphotos)

Dentre tantas possibilidades de machucados, é imprescindível que o tutor saiba reconhecer o problema do pet. Isto porque, ao buscar ajuda veterinária o dono auxiliará no diagnóstico. Portanto, acompanhe a seguir as possíveis razões para a manqueira em cachorro, levando em consideração as pesquisas feitas por Amy Shojai.

Por que o cachorro está mancando?

Para a autora, são pelo menos seis causas possíveis que levam o cachorro a apresentar manqueira. Cada uma delas precisa de uma atenção médica especial, pois podem resultar em machucados ainda mais preocupantes se não houver o tratamento ideal. São exemplos delas:

  • Problemas degenerativos: Cães que possuem artrite ou outros distúrbios nas articulações podem apresentar dor e dificuldades em se locomover;
  • Infecções nas patas: Causadas por ferimentos não tratados, as infecções podem impedir que o animal se locomova normalmente. Elas são caracterizadas por áreas vermelhas, moles e quentes. Ainda podem causar febres e dor no pet;

Veja também: Edema na pata do cão: como devo tratar e quais cuidados devo ter

  • Luxações e fraturas: São duas situações muito graves, pois deformam a pata do cachorro, deixando ainda a região descorada e a musculatura contundida. Por isso, o animal não coloca peso nesta área, evitando encostar a pata no chão;
  • Torções e estiramentos: Nestes casos o animal não sente muita dor e pode colocar a pata no chão com mais frequência. Acontece, geralmente, quando o cachorro faz muito exercício ou bate em algo;
  • Riqueticioses: Doença transmitida pela picada de carrapato pode deixar o animal mancando por alguns dias;
  • Problemas na espinha dorsal e nos nervos: Há duas maneiras de acontecer este dano, ou através de uma degeneração ou por trauma. Nestes casos não há dor, mas o animal irá mancar.