,

Paralisia em cães: causas e tratamentos

Existem muitas causas que explicam a paralisia em cães. Por isso, também há diversos tratamentos para resolver ou amenizar esse problema.

Além disso, o tutor que possui um cachorro paralisado precisa tomar alguns cuidados para dar mais qualidade de vida ao pet.

Mas, em primeiro lugar, é preciso entender que existem três tipos de paralisias, são elas: tetraplegia, o cão não consegue locomover as quatro patas; paraplegia, quando apenas as patas traseiras são afetadas; e a paresia, uma paralisia parcial, o cão se locomove, mas com dificuldade.

Confira a seguir o que pode causar esses sinais e o que pode ser feito para tratar essa condição nos cães afetados.

Quais são as causas da paralisação nas patas do cachorro?

De acordo com o médico da clínica Veterinária Petrópolis, Ragnar Schamall, existem diversos problemas que causam a paralisação nas patas do cachorro.

Entre as principais causas estão: hérnia de disco, traumas, inflamações na medula espinhal, neoplasias e problemas ortopédicos.

Cão filhote deitado

A paralisia em cães pode ser provocada por traumas, neoplasias e outras doenças (Foto: depositphotos)

Especializado em neurologia e ortopedia veterinária, Ragnar aborda alguns desses problemas. Em vídeo publicado no canal da clínica, o médico explica mais detalhadamente as principais causas.

Hérnia de disco

Para o veterinário, a hérnia de disco é uma causa que provoca a paralisia repentina no cão. Ainda segundo Ragnar Schamall, esse problema é um dos mais frequentes.

“Basicamente, é um deslocamento de um material que está entre as duas vértebras e tem a função de amortecimento, permitir elasticidade e mobilidade dessas vértebras”, explica o profissional.

Com o deslocamento, as movimentações do dia a dia podem desencadear um processo de degeneração do disco. Trata-se de um quadro que pode ser agudo, subagudo ou crônico.

Ainda segundo o veterinário, como consequência desse problema, os cães podem parar todos os membros. Enquanto em alguns casos, a paralisação pode afetar apenas os dianteiros ou somente as patas traseiras.

“Os cães que apresentam hérnia de disco, via de regra, têm uma dor associada muito forte. […] o cachorro fica mais triste, mais apagado e logo depois vem os sintomas da paralisia”, complementa o especialista.

Traumas

“A segunda causa mais comum e fácil de diagnosticar seria o trauma. Um cão que é atropelado, que cai de uma laje, que cai de uma escada. E que então tem uma fratura ou uma luxação na coluna vertebral”, esclarece o Ragnar Schamall.

Nessas situações, a paralisia pode ser instantânea ou adquirida pela falta de tratamento devido. Por isso, os médicos aconselham que nesses casos a emergência veterinária seja procurada o mais rápido possível.

Atropelamentos ou quedas podem causar paralisia nas patas do cães (Foto: depositphotos)

Inflamações na médula espinhal

Uma das maiores causas de inflamação na medula espinhal é a cinomose. Esse problema surge devido ao desenvolvimento de um vírus no organismo do animal, afetando diversos sistemas do corpo, inclusive o nervoso.

De acordo com a veterinária Juliana Marini, os sintomas da cinomose dependem da fase da doença.

Por exemplo, eles podem ser: respiratórios, com corrimento nasal e tosse; oculares, desenvolvendo conjuntivite e uveíte; dermatológicos, com pústulas e hiperqueratose digital; e gastroentéricos, provocando diarreia e vômito no pet.

Além desses casos, a doença pode causar sinais neurológicos nos cães. Situações como convulsões, cegueira, rigidez cervical e paraplegia podem ser comuns.

Doenças crônicas

As doenças crônicas também podem provocar problemas de locomoção nos cães. Isso porque, algumas delas afetam o sistema nervoso dos animais.

Entre as possíveis doenças, o médico da clínica Veterinária Petrópolis ressalta duas representantes importantes: as hérnias de disco crônicas e as neoplasias (os tumores).

“Os dois têm curso muito parecido. E esse curso basicamente começa com o animal que anda mal. Anda um pouco, mas bambo, depois tem um pouco mais de dificuldade de se levantar, um pouco de fraqueza nas pernas, seja nas pernas de trás, nas quatro pernas ou em um membro só”, alerta Ragnar Schamall.

Problemas ortopédicos

Ainda segundo o especialista em ortopedia e neurologia, artrose e artrite também podem ser explicações para essa condição. Além delas, pode-se destacar a poliartrose e a poliartrite.

Outras causas de paralisia em cães

  • Mielopatia degenerativa
  • Inflamações e degenerações dos músculos
  • Picadas de carrapato ou as doenças causadas por esse ectoparasita
  • Inflamações e degenerações dos nervos periféricos
  • Displasia coxofemoral, doença que pode surgir em qualquer animal, mas algumas raças são mais propensas. Por exemplo: labrador, golden retriever, pastor alemão, rottweiler, pit bull etc.
Pastor alemão adulto

Pastor alemão é uma raça com predisposição à displasia coxofemoral (Foto: depositphotos)

Tratamentos para cães paralisados

Diante de tantas causas para explicar a paralisia em cães, é comum que existam diversos tratamentos. Por isso, antes de mais nada, o veterinário precisa diagnosticar qual é o real problema do cão.

Após descobrir a causa da paralisia, o profissional deve iniciar o tratamento mais adequado.

Em algumas situações, pode ser necessária cirurgia. Já no caso da cinomose, por exemplo, é preciso o uso de medicamentos que combatam a ação do vírus.

Por fim, o especialista pode recomendar métodos alternativos para combater a paralisia.

Assim, com o objetivo de fazer o cão voltar a andar, o médico pode indicar fisioterapia, acupuntura e até hidroterapia para o pet.

Cão fazendo acupuntura

Dependendo da causa da paralisia em cães, a acupuntura pode ser uma forma de tratamento (Foto: depositphotos)

Cuidando do animal paraplégico em casa

Enquanto o animal ainda está se recuperando, é preciso que o tutor tenha alguns cuidados com o pet em casa. Tudo isso para garantir que o cão viva com mais qualidade de vida possível.

Veja nos tópicos a seguir alguns exemplos de como cuidar de cães deficientes!

Cadeiras de roda ou coleiras especiais

Para garantir os passeios do cão, cadeiras de roda ou coleiras especiais são indicadas. Inclusive, os passeios são muito importantes para animais paralisados.

Esses e outros produtos para animais nessa condição podem ser encontrados em lojas veterinárias.

Cão na cadeira de rodas

Cadeiras de rodas são necessárias durante o passeio (Foto: depositphotos)

Higienização constante

Como os animais estão em constante contato com o chão, precisam de cuidados especiais com relação à higienização.

Por exemplo, banhos semanais ou quinzenais e escovações diárias dos pelos ajudam a diminuir a sujeira.

Adaptação da casa

Outro cuidado que merece atenção é a adaptação da casa. Isso porque, a locomoção do animal é comprometida e por isso a casa deve estar preparada para as necessidades do cão.

Entre as mudanças, é recomendado usar mais tapetes em casa ou até mesmo passadeiras. Com essa alteração, o animal não corre o risco de machucar as patas ao rastejar pela casa.

Gerenciamento da bexiga

Por último, o tutor deve ter uma atenção especial com a bexiga dos cães. Isso porque, alguns pets perdem o controle da bexiga, fazendo as necessidades involuntariamente.

Por essa razão, recomenda-se o uso de fraldas em animais paralisados, evitando que eles se sujem constantemente.

Cão dormindo de fralda

As fraldas dão mais qualidade de vida aos cães com paralisia (Foto: depositphotos)

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.