Como saber se seu cachorro está ficando cego

Existem diversas razões que podem explicar a cegueira em um cachorro, desde problemas oftalmológicos até mesmo a diabetes

É importante que o tutor procure formas de como saber se seu cachorro está ficando cego. Isso porque a falta de visão é uma condição preocupante na vida dos animais e requer acompanhamento médico especializado.

De acordo com informações do Centro Veterinário Vet Quality, existem diversas causas que explicam a cegueira em cães. Assim, há também uma diversidade de sintomas que caracterizam esse problema.

Portanto, quem deseja entender mais sobre a falta de visão do cão, precisa estar atento a todas as doenças possíveis. Consequente, buscar ajuda veterinária com urgência.

Como identificar se o cachorro está ficando cego?

Para saber se o cão está mesmo ficando cego, o tutor deve levar em consideração os sintomas apresentados pelo animal. Por exemplo, é necessário estar atento as alterações de aspectos do olho e em mudanças comportamentais do pet.

Você tem como saber se seu cachorro está ficando cego a partir de alguns sintomas

O lacrimejamento excessivo e a desorientação no ambiente podem ser indícios de cegueira (Foto: depositphotos)

Segundo a Vet Quality, a cegueira nos cães pode iniciar a partir de alguns sinais, são eles: secreção ocular, olho fechado ou piscando muito, coceira nos olhos e olho vermelho.

Outros indícios que levam a crer que o cão está ficando cego são o lacrimejamento excessivo e a desorientação no ambiente. Por isso que alguns cães podem ter receio de andar em ambientes estranhos ou escuros.

Também podem ser sinais da cegueira a assimetria entre os olhos ou qualquer alteração no seu aspecto. Sendo assim, é necessário que o tutor fique atento para todos esses fatores e busque o auxílio veterinário o quanto antes.

Teste rápido para ver se o cão enxerga

A veterinária especialista em oftalmologia, Juliana Rodrigues, ensina uma técnica para identificar se o cão está ou não enxergando. Para realizá-la, a profissional recomenda observar o animal andando no escuro.

Veja também: Como agir em caso de vermelhidão nos olhos do meu dog?

“Ele encontra os objetos facilmente? Apresentou dificuldade de andar para alguns dos lados? Anda com o focinho mais no chão, ‘cheirando o tempo inteiro’? Tente jogar uma bolinha de algodão na frente dele, ele percebe?”, questiona a veterinária.

Dependendo das respostas para essas questões, é possível determinar qual o grau de visão que o pet apresenta. Isso porque se o animal encontra os objetos facilmente e não apresentou dificuldades para se locomover, é um indício de que ele está bem.

Já se o cachorro usa muito do focinho para tentar identificar os objetos ou não consegue se locomover com muita facilidade, é recomendado buscar ajuda médica.

Causas da cegueira no cachorro

Catarata, glaucoma e úlcera de córnea são algumas das doenças que podem desencadear a cegueira

A catarata é uma das principais causas de cegueira animal (Foto: depositphotos)

Existem diversas razões que podem explicar a cegueira em um cachorro. Entre as principais causas estão os problemas oftalmológicos, como a catarata, glaucoma, úlcera de córnea e outras doenças degenerativas.

Além desses problemas que afetam diretamente os olhos, há ainda outras causas que justificam o cão ficar cego. Segundo a Vet Quality, a Diabetes Mellitus é um exemplo de doença que prejudica a saúde geral dos cachorros, incluindo a visão.

Portanto, diante desses problemas é necessário entender um pouco mais sobre cada um deles. Desta maneira, o tutor pode reconhecer a doença com mais facilidade. Consequentemente, pode aumentar as chances do animal voltar a enxergar.

Veja também: Infecções nos olhos dos cães: o que pode ser e como tratar?

Olho do cachorro ficando branco: catarata

Para a veterinária e oftalmologista Daniela Pereira, a catarata é uma das principais causas de cegueira animal. “A catarata é a opacidade da lente ou da sua cápsula, comum nos animais, com maior frequência em cães”, explica a médica.

Além do olho esbranquiçado, o cachorro pode apresentar muita dor local como sintoma da catarata. E, entre as principais causas desse problema estão: diabetes, fatores genéticos ou até mesmo a idade avançada.

Por fim, o tutor deve saber que o único tratamento nesse caso é a cirurgia. Segundo Daniela, não existem colírios que possam prevenir ou tratar a catarata.

Devido a isso, é necessário a intervenção médica o quanto antes. “A não realização do procedimento cirúrgico poderá levar a graves complicações oculares como: uveíte, luxação da lente (a lente fica solta dentro do olho) e glaucoma, causando muita dor e as vezes até a perda do olho”, alerta a oftalmologista de animais.

Uveíte: cachorro ficando com o olho azul

Em primeiro lugar é importante salientar que a uveíte é uma inflamação nos olhos. Assim, pode causar “dor ocular, olhos vermelhos (a parte branca do olho fica vermelha), olhos com aspecto azulado e lacrimejamento“, esclarece Daniela.

Como resultado, o tutor deve buscar ajuda médica. Caso contrário a doença pode progredir para um glaucoma, deslocamento da retina e até mesmo a cegueira rápida.

Portanto, vale ficar atento às possíveis causas da uveíte que podem ser: traumas, úlcera de córnea, infecções virais, doenças hormonais, infecções bacterianas e tumores.

Cão nasceu cego

Infelizmente, alguns cães já nascem sem visão. Isso porque podem ter ocorrido problemas na gestação ou de formação. Contudo, esses animais têm maior facilidade de se adaptar ao ambiente ao contrário dos que perdem a visão depois de um tempo.

Úlcera de córnea

“A úlcera é uma lesão que inicia na superfície da córnea (parte transparente e mais externa do olho)”, explica Daniela Pereira. Já com relação aos sintomas, o animal fica com sensibilidade a luz, lacrimejando e com presença de secreção no olho.

Veja também: Remela nos olhos do cachorro: o que pode ser e como tratar?

“Uma úlcera de córnea simples deve cicatrizar em 4 a 7 dias, no máximo. Muitas vezes as úlceras superficiais progridem para as camadas mais profundas da córnea podendo causar a perfuração com saída do líquido do interior do olho.”

Ainda segundo a oftalmologista, existem raças mais predispostas. Cães como shih tzu, lhasa apso, buldogue, pug, pequinês e boxer têm mais tendência em apresentar esse problema.

Por fim, o tratamento deve ser feito o quanto antes. E, dependendo do diagnostico, o tratamento pode ser de duas formas: tópico, com o uso de colírios ou através de cirurgias.

Visão do cão idoso e a esclerose

Além das doenças já citadas, o tutor pode descobrir manchas brancas e achar que o animal está cego. Diferentemente do que as pessoas acreditam, o olho esbranquiçado pode significar outra condição.

“Nem todo olho branco é catarata. Muitas vezes o problema está na córnea. E outras situações também, principalmente animais de idade, existe a esclerose que é o envelhecimento natural do cristalino. A gente vê branco, mas isso [catarata] não seria, o animal está enxergando naturalmente”, explica o veterinário Joelson Cavalcanti, em vídeo publicado no canal Animais em Pessoa.

Dicas para cuidar de um cão cego

Confirmando que seu cachorro está ficando cego é preciso que alguns cuidados especiais sejam tomados

Guiar o pet a partir de sons e por comandos de voz vai facilitar sua orientação (Foto: depositphotos)

Mesmo depois de descobrir que o cão está cego, é preciso ter cuidados com o animal especial. A seguir é possível encontrar algumas dicas de como cuidar de um cachorro após saber que o cão está ficando cego:

  • Provavelmente o médico veterinário irá sugerir que a mobília da casa permaneça igual. Isso porque, o cachorro já vai estar adaptado ao ambiente;
  • Além da mobília, os lugares do cão devem permanecer onde eram. Por exemplo, o lugar de dormir, onde ele bebe água, onde come e até mesmo o lugar das necessidades fisiológicas;
  • Também é importante que o tutor consiga orientar o cachorro cego através de sons, principalmente pela própria voz. Assim o pet pode ter mais confiança no que está realizando.

Veja também: Cães com olhos de cores diferentes que vão roubar seu coração

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.