Como dar comprimidos para o cachorro?

Separamos dicas para deixar a tarefa mais simples e menos cansativa para o dono e para o cão

Dar comprimidos para o cachorro é uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos tutores. Isto porque, muitos donos não possuem um manejo para colocar o remédio na boca do cãozinho ou o próprio animal cria mecanismos para despistar o tutor e cuspir as cápsulas.

Mas, de acordo com o veterinário Giuliano Palha Amado, existem duas técnicas simples para dar comprimidos para o cachorro. Uma envolve técnica do tutor e a outra esperteza. E além de saber como introduzir os remédios na boca do animal, é preciso ficar atento as formas de administração.

Segundo o veterinário Márcio Becacici, em um vídeo publicado pela Clínica Veterinária Centro Vet, a forma correta de dar comprimidos para o cachorro é um assunto importante, porque isso está diretamente relacionado com a expectativa de tratamento do animal.

Duas técnicas para dar comprimidos para o cachorro

Existem duas técnicas simples para dar comprimidos para o cachorro

Alguns cães espertinhos cospem o remédio fora, mas existem técnicas para isso não acontecer (Foto: depositphotos)

Além dos cães “espertinhos”, que cospem o remédio fora depois de fingirem tomar, há outras circunstâncias que dificultam a atividade de dar comprimidos a esses pacientes. “Têm cães que não aceitam tomar medicamento. Têm raças que são carinhas achatadas, são raças braquicefálicas que você já tem um pouco mais de dificuldade pela anatomia. Têm cães que o proprietário não tem um certo manejo, são cães mais agressivos. Mas a gente precisa fazer o tratamento”, explica o veterinário Márcio Becacici.

1. Usando petiscos

Alguns tutores tentam dar comprimidos para o cachorro misturando-os em comida. Entretanto, alguns pets acabam descobrindo essa façanha , por isso comem o petisco e cospem fora o remédio. Para evitar esta situação, o veterinário Giuliano dá uma dica para melhorar esta tática.

Primeiro, pegue dois pedaços de petiscos que o animal mais gosta. Em um deles, enrole o comprimido. Com os dois na mão e próximos ao focinho do cão, ofereça o que está “premiado” com o remédio e, logo em seguida, dê o outro petisco. Desta forma, o cachorrinho estará com tanta vontade de comer o outro pedaço, que vai engolir o primeiro mais rápido.

2. Dando na boca

Outra dica dada pelo veterinário Giuliano, em vídeo publicado no canal Animais em pessoa, é forçar a administração desse remédio na boca do animal. Caso a primeira tentativa não dê certo, esta segunda será sua solução. Para realizá-la é necessário ser preciso no movimento de empurrar a cápsula na garganta do pet.

Primeiro, tente imobilizar o animal. Com as duas mãos, abra a boca do cachorro e coloque o remédio com os dedos no final da garganta do paciente. Feche a boca do cãozinho e faça uma massagem na garganta do peludo, estimulando que ele faça o movimento de deglutição. Outra técnica é soprar o nariz do animal, enquanto ele ainda estiver com a boca fechada.

Para saber se o animal engoliu, preste atenção se o cachorro lambeu a boca. Este é um sinal de que a cápsula desceu pela garganta do cachorro.

Como dar comprimidos para o cãozinho

Com muitas tarefas no dia a dia, as pessoas passam a fazer tudo o que é mais cômodo. Desta forma, até o ato de dar comprimidos para o cachorro é feito da forma mais fácil possível. “Amassar [o comprimido] é mais fácil, colocar na água, no alimento que o cãozinho gosta é mais fácil, mas até que ponto esse comodismo nosso não tem uma interferência direta com a quem a gente tá promovendo isso?”, indaga Becacici.

Assim, o veterinário da Centro Vet recomenda que os tutores realizem o tratamento da forma como o médico prescrever. Pois só desta maneira é possível fazer com que o animal se recupere das patologias apresentadas. Neste sentido, Becacici separou algumas dicas de como fazer a administração das cápsulas de forma correta. Confira:

  • Não quebrar o comprimido: Os únicos remédios que podem ser quebrados, sob orientação médica, são os comprimidos sucados. Ou seja, são as cápsulas que possuem uma linha no meio. “O objetivo é facilitar o fracionamento de dose, para que a gente não tenha nem desperdício e nem caia em potenciais efeitos”, conta o veterinário.
  • Nunca dissolver: Se o veterinário não indica esta apresentação, então não é indicado fazê-la. Dissolver um remédio que não deveria ser administrado desta forma, pode implicar na não eficácia do medicamento.
  • Respeitar as administrações: Mesmo que o cachorro tome mais de um comprimido por dia, não é aconselhável fazer uma administração única para facilitar sua vida. “As vezes é um cão cardiopata, toma medicações a longo prazo, toma quatro, cinco medicações diferentes ao dia. E alguns proprietários, por comodismo, junta tudo e faz uma administração única. E isso vai implicar diretamente com o sucesso do tratamento”, alerta Becacici;
  • Não amassar o remédio: Existem alguns medicamentos chamados de drágeas, que são os que possuem uma cera em volta. “Os medicamos que tem cera são para proteção. Você não pode amassar isso, dissolver. Você pode promover uma gastrite no seu cão“, explica o especialista em saúde canina;
  • Não abrir cápsulas: Geralmente alguns remédios receitados pelos veterinários são manipulados. Por esta razão, o pó que vem dentro da cápsulas são doses fracionadas por peso e uma daquela é uma dose perfeita para o paciente. “Não abra essa cápsula e não misture esse pozinho em um queijinho, seja em qualquer outro alimento. Isso é para ser feito nessa apresentação”, recomenda.

Cuidado – Remédios humanos podem ser letais em cães

De acordo com Becacici, dar comprimidos para o cachorro é uma tarefa séria e que por isso o tutor deve obedecer as instruções do médico veterinário. Quando isso não ocorre da maneira correta, o paciente acaba recebendo um tratamento ineficaz e voltando para a clínica sem apresentar melhoras.

O veterinário do Centro Vet explica que existem três situações bem comuns quando o tratamento não é feito corretamente: intoxicação, inativação e o surgimento de outras doenças. O primeiro caso ocorre quando o paciente é exposto à uma quantidade muito maior ou à uma velocidade de absorção. Esta situações ocorrem quando o comprimido é quebrado ou dissolvido em água.

“Amassar, dissolver comprimido, são coisas que a gente não deve fazer. Quando você quebra as pontes de ligação entre o princípio ativo, você expõe o princípio ativo a um contato muito maior ao ácido clorídrico e isso inclusive pode levar a casos de intoxicação”, explica Becacici.

Em outra situação, há a inativação do medicamento. Isto ocorrer quando o tutor não dar o comprimido da maneira correta ao cachorro. “A outra possibilidade que pode acontecer, além de intoxicação e de você criar o potencial de inativação, é você criar gastropatia. Ou seja, reações inflamatórias que podem cursar com vômito, isso se for evolutivo tende uma piora”, finaliza o veterinário.

Desta forma, é imprescindível seguir as orientações do médico a respeito de como dar comprimidos para o cachorro, sejam eles antibióticos, anti-inflamatórios, vermífugos etc.