,

Colírio para cachorros: como aplicar

Com apenas três passos você consegue colocar o colírio no cão sem maiores problemas

O colírio para cachorros é necessário em algumas doenças oftalmológicas. Mas saber como aplicar esse tipo de medicamento pode ser um desafio para muitos tutores.

Para ajudar esses donos, esse artigo traz algumas dicas de como aplicar colírio no cão. Além disso, com a ajuda de veterinários especializados em oftalmologia, o tutor pode entender melhor sobre os possíveis problemas oculares.

Como colocar colírio no olho do cachorro?

Em primeiro lugar, para colocar o colírio no olho do cachorro, o tutor precisa estar com as mãos esterilizadas. Para isso, é necessário lavar com água e sabão neutro. Por fim, enxugá-las perfeitamente.

Aplicando colírio no cão

Antes de aplicar, mantenha a tranquilidade e as mãos higienizadas (Foto: depositphotos)

Outro ponto importante é manter a calma, por mais emergencial ou difícil que seja essa tarefa. Com o tutor tranquilo, é possível aplicar o colírio sem nenhum problema.

Mas além dessas dicas, é necessário outros passos para aplicar corretamente o colírio no cão. Confira a seguir um passo a passo dessa tarefa e veja que ela não é tão difícil quanto parece ser.

Escolher um ambiente calmo

Depois de seguir as orientações anteriores, é o momento de escolher um ambiente calmo.

De acordo com a clínica especializada em oftalmologia animal, a Oftalmo Vet, é ideal colocar o cão sobre uma mesa, pois esse é um espaço plano e que difere da dominância que o cão tem do chão.

Começar limpando o olho do cão

Já com o animal em cima da mesa, o tutor deve começar limpando o olho do pet. A ideia é eliminar toda sujidade ou secreção que estiver nessa região.

Para isso, é preciso umedecer um algodão ou gaze com soro fisiológico. Com delicadeza, deve-se passar o material no olho do cachorro. Por fim, pode enxugar a área com uma gaze seca.

Conter o animal e aplicar o colírio

Com o olho limpo, é o momento para explicar ao animal o que vai acontecer. Depois, deve-se segurar o cão envolvendo o braço pelo pescoço do pet e apoiando a cabeça dele contra seu peito.

O polegar da mão que está envolvendo o pescoço do cão vai ser usado para puxar a pálpebra inferior do animal para baixo.

Enquanto isso, com a outra mão deve ser aplicado o colírio diretamente na bolsa de tecido que se formou na ação anterior. Nesses casos, não se faz necessário espalhar a gota do remédio. Assim que o cão piscar, o medicamento vai se difundir.

Outras dicas de como aplicar colírio no cão

Seguindo os passos anteriores, o tutor vai conseguir aplicar o colírio no cão. Mas é importante estar atento a alguns cuidados para sair tudo conforme o planejado.

Para facilitar a vida do tutor, a Oftalmo Vet dá algumas dicas:

  • Sempre antes de usar o colírio, deve-se agitar o medicamento. Além disso, é necessário verificar a data de validade, principalmente se o produto for de uso contínuo
  • Ao aplicar o colírio, é importante manter uma certa distância entre a ponta da embalagem e o olho do cão. Isso porque, como não é uma situação casual na vida do cachorro, ele pode se estressar e tentar sair da posição inicial. Caso o colírio esteja muito próximo, acidentes podem acontecer. Por isso, manter uma distância segura é o mais recomendado
  • Para aplicar o colírio no olho do cachorro, é mais indicado que seja uma gota por vez (caso a dosagem seja mais de uma gota). Isso porque, ao aplicar mais de uma gota, o remédio vai acabar escorregando para fora do olho. Sendo assim, o medicamento não é absorvido. Para evitar desperdícios e garantir o sucesso do tratamento, é recomendado seguir essa dica
  • A Oftalmo Vet indica armazenar o colírio na porta da geladeira, caso o cão sinta um desconforto ocular durante a aplicação do produto
  • No processo de pós-aplicação, o tutor deve estar atento ao comportamento do animal. Por exemplo, não deve ser permitido ao cão que esfregue os olhos com a pata ou passe a cabeça em alguns objetos
  • Para os animais que estão utilizando mais de um colírio durante o tratamento, é recomendado que entre um produto ou outro seja respeitado um tempo de 10 minutos. Essa regra também vale para as pomadas, que devem ser aplicadas por último
  • Por fim, depois que finalizado o processo de aplicação do colírio, o tutor deve dar um petisco ao cão. Essa atitude serve para recompensar o animal pelo bom comportamento diante do momento do remédio.

Quando levar o animal ao veterinário?

Todas as informações anteriores são importantes para quem já levou o animal no veterinário e o profissional já indicou o tratamento ideal para o caso. Mas a pergunta é: quando levar o animal ao veterinário?

No caso dos problemas oftalmológicos, o tutor deve estar atento aos sinais que o cão apresenta. De acordo com o veterinário oftalmologista da Oftalmo Vet, Arthur de Andrade, o cachorro pode apresentar alguns sintomas de que algo não está bem com a saúde dos olhos.

Blefaroespasmo é um dos sinais clínicos citados pelo médico. Para quem não sabe, esse nome difícil indica “quando o animal pisca excessivamente os olhos, ou mesmo permanece com um ou os dois olhos fechados”, informa Arthur. Ainda segundo o especialista, esses sinais são característico de dor ocular.

Outro indício de problema oftalmológico é a presença de secreção em excesso. Quando o cão remela e o tutor limpa os olhos do animal uma vez por dia, trata-se de uma situação natural. Contudo, quando se faz necessário repetir a limpeza em um único dia, é importante buscar ajuda médica.

Mais sinais de problemas oftalmológicos

Coceira excessiva na região dos olhos e aumento da produção de lágrima podem ser indicativos preocupantes. Em alguns cães, os pelos ao redor dos olhos ficam manchados.

Também pode surgir a hiperemia. “Caracterizada pela vermelhidão dos olhos, é um dos principais sinais clínicos encontrado na oftalmologia veterinária, pois está presente na grande maioria das enfermidades”, explica o médico.

Por fim, o oftalmologista Arthur de Andrade ainda cita mais dois sinais clínicos, são eles: a buftalmia e a perda ou dificuldade visual. No primeiro caso, há um aumento do volume do globo ocular.

Já na perda ou na dificuldade visual, o comportamento do cão pode ser alterado. O animal passa a ficar mais quieto, calmo e permanece em um só lugar. E pode começar a tropeçar nos móveis da casa.

Por isso, se o cão está apresentando alguns desses sintomas, o mais recomendado é levá-lo ao veterinário. Após identificar o problema, o médico pode receitar colírios ou pomadas. E caso queira, você pode questionar ao especialista a melhora forma de aplicar colírio no cãozinho.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.