, , ,

Mastim tibetano – Saiba tudo sobre essa raça

Mastim tibetano, mastiff tibetano ou mastin do Tibete. Não importa qual seja o nome, todas essas nomenclaturas fazem referência a um único cão responsável pela existência de todos os demais mastiffs.

Inicialmente, a raça teria sido criada na região do Himalaia, mas logo após foi extinta. Já no final da década de 1800, o mastim teria sido recriado pelos britânicos, conforme aponta o PhD em medicina veterinária e autor do livro “Cães”, Bruce Fogle.

Atualmente, a raça não é tão popular, principalmente no Brasil, mas mesmo assim é sempre utilizada em exposições europeias.

Temperamento e personalidade do mastim tibetano

O temperamento do mastim tibetano é calmo, mas quando o assunto é cuidar da família e do território, ele pode se tornar feroz. Com a família, a raça é afetuosa e dedicada. Já na presença de estranhos ou situações ameaçadores, transforma-se em reservado e territorial.

Mastim tibetano na neve

Essa raça é considerada calma, independente e protetora (Foto: depositphotos)

Desta forma, é possível dizer que o mastiff tibetano é protetor do lar e desconfiado com estranhos. Possui ainda uma personalidade independente, mas se treinado desde cedo torna-se um cachorro obediente. Com o adestramento consciente, a raça aprende a respeitar todos da família e a protegê-los.

Dúvidas recorrentes

1. Quanto custa um mastim tibetano?

Esta raça é considerada a mais cara do mundo, principalmente na China onde os cães dessa linhagem são considerados sagrados. Para se ter uma ideia, um barão do Norte da China já chegou a pagar R$ 2,531 milhões em um filhote de mastim tibetano.

Mas, é sempre importante lembrar que a compra de cães só deve ser feita após conhecer as circunstâncias nas quais se encontram as mães dos filhotes. Infelizmente, alguns canis exploram as fêmeas e deixam os animais viverem em situações desumanas. 

2. Adapta-se em apartamento?

O cachorro dessa raça pode ter de 61 a 76 centímetros e pesar de 34 a 72 quilos. Desta forma, é possível dizer que trata-se de um cão de porte gigante. Levando em consideração essa informação, não é indicado para morar em apartamento.

3. É um bom companheiro para crianças?

Mesmo com o porte enorme, o mastim tibetano é um ótimo companheiro para crianças. O cachorro vê as pessoas família como seres especiais que precisam de proteção, e isso inclui até a criançada.

4. Mastim tibetano late muito?

De acordo com informações da American Kennel Club (AKC), esse cachorro só late quando necessário. Mas por ser um bom cão de guarda, é importante que o tutor fique atento aos latidos desse animal, pois eles não são em vão.

5. Apresenta problema ao ficar sozinho em casa?

Por ser independente, a raça não apresenta problemas ao ficar só em casa. Contudo, é importante deixar o cachorro próximo de tudo o que ele precisa, a exemplo de água e comida.

6. Tem tendência a soltar muito pelo?

Ainda levando em consideração as informações da AKC, a muda de pelos desse animal ocorre apenas uma vez por ano. Nesse sentido, a raça não solta muito pelo. Contudo, a escovação da pelagem é importante e deve ser feita sazonalmente, uma vez que o mastim está entre as raças mais peludas.

Comportamento do mastim tibetano

Quanto maior o porte do cachorro mais tempo ele leva para amadurecer. Então, o mastim tibetano amadurece relativamente devagar. Em casa, a raça não é recomendada para tutores de primeira viagem, uma vez que precisa de cuidados especiais e demanda mais experiência dos donos.

Apesar de lidar bem com todos os membros da família, um cachorro desse tipo é ainda mais feliz quando vive em lares com crianças maiores. Por sua natureza, não é um animal que convive de forma amigável com outros cães, como também não aprecia a aproximação de estranhos.

Além disso, o mastiff tibetano não necessita de exercícios físicos intensos. Mesmo assim, é recomendado oferecer passeios diários a essa raça, evitando criar um cão com excesso de energia ou tedioso.

Cuidados específicos

Segundo o escritor especializado em animais de estimação e autor do livro “Cães”, David Alderton, existem alguns problemas comuns de saúde que afetam o mastim tibetano.

“Neuropatia desmielinizante hereditária canina, uma doença que provoca paralisia progressiva e leva à morte em quatro meses; displasia dos quadris, que leva o cão a mancar; problemas de tireoide que afetam o metabolismo”, são algumas das doenças citadas por Alderton.

Filhotes

Assim como todo cãozinho, os filhotes de mastim tibetano precisam ir ao veterinário tomar a primeira dose da vacina polivalente. Este procedimento deve ser repetido de acordo com a orientação do médico e serve para evitar que o cão contraia viroses como cinomose, parvovirose etc.

Além dos cuidados com a saúde, o tutor também deve se preocupar com a questão social da raça. É necessário socializar o filhote com a família desde cedo, inclusive aproveitar esta primeira fase da vida do cão para adestrá-lo.

Curiosidades desta raça

O que você faria com mais de R$ 2 milhões? Essa quantia é suficiente para comprar uma boa casa, um carro popular e manter a família por algum tempo, não é mesmo? Mas acredite, esse foi o montante pago por um mastim tibetano.

Dois milhões, quinhentos e trinta e um mil reais foi o valor exato do hong hong, cão da raça mastim tibetano, comprado por um barão no Norte da China. Mas afinal, por que esses cães são tão caros?

De acordo com especialistas, o mastim tibetano é um cachorro grande, muito peludo e considerado sagrado pelos chineses. Por essas razões, essa raça tende a ter um valor bem mais alto que os demais cães.

Os habitantes do Tibete acreditam que cada cão desse tipo carrega a alma de monges ou freiras que não eram bons o suficiente para reencarnarem em pessoas.

Outra curiosidade é que as fêmeas do mastiff tibetano só apresentam cio uma vez por ano, ao contrário de outras cadelas que são, normalmente, duas vezes. Com isso, é limitado o número de filhotes dessa raça.

Por fim, mais uma informação relacionada a esse cão: existe uma variação regional dessa raça chamada de bearded tibetan mastiff. Esse cão é metade do porte do mastiff e tem o pelo duro. Apesar de ser confiante e dedicado, é ainda mais raro fora do Tibete.

Expectativa de vida: 12 a 15 anos. Podendo variar para mais ou menos, dependendo do estilo de vida que o cachorro leva.

Origem do mastim tibetano

Tibete

Galeria de fotos

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.