, , , ,

Dálmata – Saiba tudo sobre esta raça

A origem do cachorro da raça dálmata é bastante controversa. Enquanto alguns estudiosos afirmam que o cachorro surgiu na Dalmácia (parte da Croácia), a American Kennel Club (AKC) afirma não haver provas dessa colocação. Para o órgão americano que reconhece e estabelece os padrões das raças, desenhos desse cão foram encontrados em paredes de tumbas egípcias.

No entanto, a raça só foi reconhecida oficialmente pela AKC em 1888. Desde então, a popularidade desse cãozinho só cresceu entre as pessoas de todo mundo. O ápice desse animal foi o livro de Dodie Smith, “101 Dálmatas“, que também virou uma obra cinematográfica de mesmo nome.

Temperamento e personalidade do dálmata

Cães com o temperamento do dálmata são amorosos, sensíveis e amigáveis com o ciclo de humanos de sua convivência. Já com os estranhos, os cachorros dessa raça se mostram reservados, mas aos poucos, com a convivência, as pessoas ganham a confiança desses pets.

O dálmata pode viver de 11 a 13 anos, dependendo do estilo de vida

O dálmata é uma excelente companhia para crianças mais velhas (Foto: Pixabay)

Inteligentes, os dals, como são chamados carinhosamente, têm uma personalidade leal com a família. Além disso, são protetores do lar, por isso são desconfiados com estranhos sem a presença do tutor. Confiáveis e adaptáveis são duas características fortes da personalidade dessa raça.

Dúvidas recorrentes

1. Quanto custa um dálmata?

Os preços de um dálmata filhote variam de vendedor. Os mais caros possuem pedigree, os mais baratos dificilmente. Entre os valores pode-se dizer que a base é de R$1 mil a R$ 2 mil. Mas é sempre importante lembrar que a compra de cães só deve ser feita após conhecer as circunstâncias nas quais se encontram as mães dos filhotes. Infelizmente, alguns canis exploram as fêmeas e deixam os animais viverem em situação desumanas. 

2. Adapta-se em apartamento?

Cães grandes e agitados como os dessa raça não são apropriados para viverem em apartamentos. Isto porque precisam de espaço para brincar e correr, além das caminhadas diárias que o tutor precisa fazer junto a seu animal de estimação.

3. É um bom companheiro para crianças?

O dálmata é uma excelente companhia para crianças mais velhas, pois ambos possuem uma alta energia. Já para crianças pequenas ou bebês, por exemplo, não são muito indicados pois trata-se de um cachorro grande e enérgico. Desta forma, pode não conseguir medir suas forças. Em todo caso, é importante que o tutor supervisione as brincadeiras entre eles.

4. Dálmata late muito?

De acordo com a American Kennel Club, este cachorro não tende a latir muito. As vocalizações nesse animal podem surgir em situações específicas, como brincadeiras, a chegada de alguém em casa ou até mesmo para avisar o tutor de algo estranho, uma vez que é um ótimo guardião.

5. Apresenta problema ao ficar sozinho em casa?

O cachorro dessa raça é muito afetuoso e por isso sente muito ao ficar em casa sozinho. Neste sentido, não é recomendado deixar o dálmata só por muito tempo. Além da companhia do tutor, o animal sente falta de interagir com o dono.

6. Tem tendência a soltar muito pelo?

Mesmo com uma pelagem curta e com poucas exigências de cuidado, o dálmata tem tendência a soltar muito pelo. Para diminuir esta característica, o dono precisa escovar a pelagem diariamente, eliminando os pelos mortos e deixando o cão ainda mais limpo.

Comportamento do dálmata

O dálmata é um cachorro muito forte e ativo, por isso necessita de exercícios físicos diariamente. Sendo assim, é ideal para um tutor que goste de praticar esportes, correr ou caminhar. Um cachorro perfeito para donos resistentes fisicamente. Além de passeios, é importante que o tutor interaja com o animal através de brincadeiras.

Como trata-se de um cão cheio de energia, o dal também se mantém alerta durante todo o dia. Por esta razão, é um bom guardião para a família toda.

Veja também: Como desenvolver o controle comportamental do cão

Outro comportamento desta raça é guiado pelo instinto ávido de caça, correndo atrás de ratos, por exemplo. Isto porque o cachorro já foi usado como retriever. No entanto, devido a esta característica o tutor precisa ter cuidado com cães de porte pequeno, para que o dálmata não corra atrás desses cachorrinhos.

Características físicas

Cuidados específicos

Assim como outros cães de raça, o dálmata pode sofrer com alguns problemas de saúde. Entre as doenças mais comuns que acomete esse animal estão as pedras nos rins ou na bexiga. As duas enfermidades ocorrem devido à deficiência metabólica que também pode ocasionar gota. Um outro problema é a surdez, que afeta em maior quantidade os dálmatas de olhos azuis.

Para evitar o surgimento destas doenças ou o desenvolvimento delas, é importante que o tutor esteja sempre em contato com o veterinário. Fazer check-up a cada seis meses ou buscar auxílio médico sempre que necessário são formas de cuidar da saúde do animal de estimação.

Veja também: Cuidados para se ter com um cão da raça dálmata

Filhotes

Os filhotes de dálmata são tão frágeis quanto os demais cães na fase inicial da vida. Isto porque o sistema imunológico desses pets não está completamente desenvolvido. Neste sentido, é necessário que o tutor preocupe-se em deixar o cartão de vacinas em dia, administrar o remédio de verme e tomar precauções, junto ao veterinário, para que o animal não crie pulgas nem carrapatos.

Curiosidades desta raça

Uma curiosidade relacionada a esta raça é que os filhotes nascem completamente brancos e só após duas ou três semanas é que as manchas pretas ou chocolate aparecerem. Ainda com relação as pintas, o padrão delas é individual. Em outras palavras, cada dálmata possui manchas únicas.

Veja também: As raças de cachorros que são mais medrosas que o Scooby-Doo

Expectativa de vida: 11 a 13 anos. Podendo variar para mais ou menos, dependendo do estilo de vida que o cachorro leva.

Origem do dálmata

 

Galeria de fotos

(Foto: Pixabay)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: Pixabay)

(Foto: depositphotos)

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.