, ,

Cane corso italiano: saiba tudo sobre esta raça

O imponente cane corso italiano é um cachorro de personalidade forte, combinando com sua estrutura corporal. Desde filhote essa raça impressiona pelo porte e os músculos que vão ganhando forma com o crescimento do cão.

Já com relação as cores da pelagem é fácil encontrar um cane preto, cinza ou tigrado. Mas essas não são as únicas tonalidades da raça, podendo ser aceitos indivíduos fulvo com máscara cinza e fulvo com máscara negra.

Para os interessados nessa raça, é preciso saber que a venda no país ainda é tímida. Isso porque, o número de canis especializados em cane corso no Brasil ainda é baixo. Por tudo isso, o preço do cachorro costuma ser elevado.

Se você ficou curioso para conhecer mais sobre o cane corso, então acompanhe esse artigo até o final. Aqui você vai encontrar mais detalhes sobre temperamento, comportamento e características físicas dessa raça.

Temperamento e personalidade do cane corso

De acordo com a American Kennel Club (AKC), o cane corso é carinhoso com os membros da família. No entanto, é necessário cuidado com outros animais de estimação, pois a raça pode não ser tão sociável.

Cane corso preto

Essa raça é do tipo que gosta de agradar a todos da família (Foto: depositphotos)

Além disso, trata-se de um cachorro inteligente, mesmo apresentando dificuldades nos treinamentos por ter uma personalidade independente. Apesar disso, é leal ao tutor, gosta de agradar a todos que convivem com ele e é voluntarioso.

Dúvidas recorrentes

1. Qual preço do cane corso?

O preço de um cane corso filhote pode variar entre R$ 1 mil a R$ 5 mil. Mas é sempre importante lembrar que a compra de cães só deve ser feita após conhecer as circunstâncias nas quais se encontram as mães dos filhotes. Infelizmente, alguns canis exploram as fêmeas e deixam os animais viverem em situações desumanas. 

2. Cane corso se adapta em apartamento?

Trata-se de um cachorro de grande porte, por isso precisa de muito espaço. Portanto, não é recomendando criar um cane corso em apartamento, mas sim em casas com grandes ambientes externos ou chácaras.

3. É um bom companheiro para crianças?

É um cachorro naturalmente carinhoso com as pessoas da família. No entanto, pode assustar crianças muito pequenas devido ao tamanho que possui. Por essa razão, socialize o animal com os pequenos, mas sempre acompanhando esses primeiros contatos.

4. Cane corso late muito?

Mesmo sendo considerado um excelente cão de guarda, o cane corso só late quando é necessário. Por isso, fique atento as vocalizações desse animal, pois elas podem indicar que algo fora do comum está acontecendo.

5. Apresenta problema ao ficar sozinho em casa?

Também por ser um cão de guarda, costuma se adaptar bem quando está sozinho em casa. Portanto, se você passa muito tempo fora de casa, esse cachorro pode ser ideal para sua família.

6. Tem tendência a soltar muito pelo?

Apesar do pelo curto, o cane corso perde pelo durante todo o ano. Sendo assim, é necessário escovações diárias na pelagem, para evitar “dores de cabeça” com pelos espalhados pela casa.

Comportamento do cane corso

Como excelente cão de guarda, o cane corso apresenta-se como um exímio protetor do território e da família. Também costuma não se dar bem com outros cachorros, por essa razão a socialização se faz necessária desde filhote.

Além disso, necessita de exercícios constantes, tanto mentais como físicos. Caso essas necessidades não sejam atendidas, ele pode apresentar um comportamento inapropriado, como o de destruição.

Características físicas

Cuidados específicos

Para manter o cane corso saudável o tutor precisa suar, literalmente. Isso porque, esse cachorro precisa diariamente de longas caminhas ou corridas. Assim é possível deixar o cachorro feliz e satisfeito.

Além disso, é importante ficar atento à saúde desse pet. Ainda segundo a AKC, essa raça tende a ter problemas como displasia da anca, epilepsia idiopática, sarna demodécica e anormalidades na pálpebra.

Por tudo isso, o cane corso deve ser sempre levado a um veterinário de confiança. As consultas podem ser feitas, pelo menos, duas vezes ao ano ou quando se fizer necessário.

Mas claro, assim como todo e qualquer animal, essa raça também precisa de cuidados estéticos que podem influenciar na saúde. Por exemplo, dentes escovados, unhas aparadas, orelhas limpas e pelagem escovada.

Filhote de cane corso

O filhote de cane corso deve ser levado ao veterinário logo nos primeiros 45 dias de vida. Após exames laboratoriais, como o de sangue, o veterinário vai decidir se o pet está apto para receber a primeira vacina polivalente.

Esse procedimento pode ser dividido em três ou quatro sessões, com 21 dias de diferença entre uma e outra. Com isso, o cachorro fica protegido contra doenças virais, a exemplo da cinomose, parvovirose, hepatite etc.

A partir dos cinco meses de vida, o cãozinho também pode receber outras vacinas, como a que protege contra a picada dos vetores da leishmaniose. Além da vacina contra a raiva, uma zoonose muito grave que leva o animal à morte.

Também é necessário cuidados contra os parasitas internos e externos. Por isso que o veterinário pode recomendar remédios para combater e evitar vermes, carrapatos, pulgas e piolhos.

Por fim, mas não menos importante, os cuidados com a socialização e o adestramento do filhote. Essa fase inicial da vida do cãozinho é ideal para que ele possa aprender comandos, limites e a se comportar com outros animais e pessoas.

Curiosidades desta raça

Como o próprio nome já sugere, o cane corso italiano surgiu na Itália. Também é conhecido como cane di macellaio. Na Sicília foi utilizado como condutor de gado, cão de açougueiro e como cão de briga.

De acordo com a Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), o nome da raça deriva do latim  “cohors”, que significa “protetor, guardião da fazenda”. Já a classificação é mastiff, sendo um parente próximo do mastim napolitano.

Apesar do parentesco, essa raça não tem excesso de pele ao redor da boca. Por isso, não produz tanta baba, uma característica comum dos demais mastiffs.

Outra curiosidade sobre essa raça é que mesmo existindo desde o Império Romano, ela só foi importada para a América do Norte em 1988. Com isso, o reconhecimento pela AKC só veio bem mais tarde, em 2010.

Além de todos os detalhes sobre comportamento, personalidade e temperamento dessa raça, é importante ainda fazer um alerta aos interessados pelo cane corso. Infelizmente, alguns tutores cortam as orelhas desses animais por questões estéticas.

No entanto, essa prática é considerada crime no Brasil. Desta forma, tanto os proprietários como os profissionais que realizam a mutilação podem responder criminalmente. Enquanto os tutores podem pegar pena de detenção de três meses a um ano, além de multa, os veterinários podem perder o número do registro.

Expectativa de vida: 9 a 12 anos. Podendo variar para mais ou menos, dependendo do estilo de vida que o cachorro leva.

Origem do cane corso

Galeria

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

(Foto: depositphotos)

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.