Para o cão é melhor jogos com brinquedos ou jogos com luta?

Mesmo que o morder esteja relacionado a uma necessidade do cachorro, esta não é uma atividade saudável

Não há dúvida com relação a inteligência que os animais possuem, tendo em vista que cada espécie tem sua forma de organização já estabelecida e difundida para as suas próximas gerações. Levando em consideração estas características, o neuropsiquiatra Jon Lieff desenvolveu uma lista classificando os animais quanto a sua inteligência. Neste catálogo, o profissional colocou os cães entre os 10 primeiros colocados, mais especificamente em nono lugar.

Os cachorros são considerados inteligentes pois conseguem aprender muito rápido, principalmente os que são treinados para serem cães de assistência. Toda esta habilidade pode ser trabalhada pelo tutor, porém deve ser iniciada logo cedo na vida do pet, pois os filhotes costumam aprender mais rápido e tudo o que eles desenvolverem nesta fase, vão acabar levando para a vida.

Um exemplo disso é com relação as atitudes que o animal possui quando ainda é filhote e que podem ser moldadas para ele crescer um adulto comportado, como no caso das brincadeiras.

Os filhotes devem aprender como brincar com brinquedos em vez de continuarem brincando de morder

Os filhotes aprendem fácil e levam os estímulos e ensinamentos para o longo da vida (Foto: depositphotos)

Entre os três e seis meses de idade, os cães começam a apresentar a troca de dentes e isso faz com que todas as brincadeiras do peludo envolvam mordidas, uma maneira de coçar a gengiva. Mas, será que é saudável influenciar este tipo de atitude no cãozinho só para satisfazer esta necessidade dele?

Moldando os comportamentos dos cães

Mesmo que o morder esteja relacionado a uma necessidade do cachorro, com relação a troca de dentes, esta não é uma atividade saudável para ser estimulada quando o animal é filhote. Isto porque, a não represália para esta atitude pode desencadear uma série de problemas comportamentais na vida adulta do cachorro. Como já foi dito, os filhotes aprendem fácil e levam os estímulos e ensinamentos para o longo da vida.

Veja também: Garantindo a diversão dos cachorros em casa

De acordo com a behaviorista Gwen Bailey, no livro “O Filhote Perfeito”, os cãezinhos precisam ser apresentados a outras opções de brincadeiras para se distraírem e aprenderem bons comportamentos.

“Os filhotes devem aprender como brincar com brinquedos em vez de continuarem brincando de morder, algo natural para eles. Um filhote que tenha permissão para brincar de morder os braços e as pernas das pessoas se tornará bem treinado nessas habilidades”, alerta a treinadora.

Para moldar este tipo de comportamento, o tutor precisa redirecionar a atividade de mordidas para apenas os brinquedos. Para fazer isso, basta oferecer opções de objetos para o peludo e sempre elogiar se ele utilizá-lo da maneira correta. Caso haja comportamento inadequados, repreenda o pet de maneira firme, mas sem violência.

Veja também: Agility: obstáculos e muita diversão para seu pet