10 raças de cães que vivem menos

Essa lista foi feita levando em consideração as informações dadas pela American Kennel Club (AKC)

Nem todo mundo sabe, mas existem certas raças de cães que vivem menos que outras. Na maioria dos casos, esses animais são de porte grande, como já foi comprovado cientificamente por uma pesquisa feita pela Sociedade para Biologia Integrativa e Comparativa (SICB, sigla em inglês).

De acordo com a corporação, o caso dos cães vai contra a “regra” dos mamíferos, onde quem é maior vive mais. E uma das possíveis explicações para esse fenômeno é que por serem maiores, os cachorros possuem maiores concentrações de radicais livres.

“Os cães de raça grande, com seu maior metabolismo de animais inteiros e trajetórias de crescimento mais rápidas, também mostram uma produção aumentada de pró-oxidantes e maior dano de peroxidação lipídica, assim, demarcando um mecanismo potencial para sua vida útil diminuída em comparação com cães de raça pequena”, confirma a SICB.

Para simplificar, o veterinário Adauto Minatti explica em vídeo publicado no canal de Isa Alcântra, que cães de grande porte têm “a expectativa de vida pouco menor porque o desenvolvimento deles é muito rápido. Então gira em torno dos 12 anos.”

Conheça as raças de cães que vivem menos

Essa lista das 10 raças de cães que vivem menos foi elaborada levando em consideração as informações dadas pela American Kennel Club (AKC).

1. Dogue de bordéus

O dogue de bordeaux vive entre cinco a oito anos

Essa raça é a que possui a expectativa de vida mais curta do mundo canino (Foto: depositphotos)

Dos 10 cães listados, o dogue de bordeaux é o que possui menor expectativa de vida. De acordo com a AKC, essa raça vive entre cinco a oito anos. 

Entre os possíveis problemas que afetam a saúde desse cachorro estão: displasia dos quadris e do cotovelo, e doenças cardíacas. Além disso, a raça possui um focinho relativamente curto, o que pode prejudicar na respiração.

Veja também: Nomes para raças de cachorros grandes

2. Boiadeiro montanhês de berna

De seis a oito anos é a expectativa de vida do boiadeiro montanhês de berna

Os problemas de saúde dessa raça diminuem sua expectativa de vida (Foto: depositphotos)

De seis a oito anos é a expectativa de vida do boiadeiro montanhês de berna. Também chamado de boiadeiro bernês, a raça pode enfrentar sérios problemas de saúde, o que diminui o tempo de vida.

Displasia dos quadris, atrofia progressiva da retina (APR) e câncer, são alguns dos problemas mais comuns nessa raça. Segundo a AKC, os cães desse tipo podem ainda sofrer com distúrbios da tireoide, estenose sub-aórtica e doenças dermatológicas.

3. Bloodhound (Cão de Santo Humberto)

O bloodhound pode viver entre sete e nove anos

A torção gástrica é o principal problema de saúde que acomete a raça (Foto: depositphotos)

Outro grande cão que tem o tempo de vida encurtado é o bloodhound. A raça também chamada de cão de Santo Humberto pode viver entre sete e nove anos. 

O problema que pode diminuir o tempo de vida desse cão é a torção gástrica, situação decorrente de exercícios físicos logo após a refeição.

4. Mastim napolitano

O mastim napolitano tem a expectativa de vida entre sete e nove anos

Assim como os cães de grande porte, o mastim napolitano tem expectativa de vida pequena (Foto: depositphotos)

Por ser tão grande, o mastim napolitano recebeu o apelido de “hipopótamo do mundo canino”. A raça de até 79 centímetros, vive pouco como muitos dos cães de grande porte. Nesse caso, a expectativa varia entre sete e nove anos.

O porte pode ser um problema, pois é grande demais para muitos tipos de casas, comem muito e possuem força considerável. Entre os problemas de saúde que afetam a raça estão: doenças oculares, degeneração do músculo cardíaco, timpanismo e displasia nos quadris. 

Veja também: 10 cães completamente felizes por serem grandes bobões

5. Mastiff inglês

O mastiff inglês pode viver de seis a 10 anos

Esse grandalhão pode desenvolver inúmeras doenças (Foto: depositphotos)

Considerado o “peso pesado do mundo canino”, o mastiff inglês possui uma expectativa de vida um pouco maior que a do seu parente mastim napolitano. Essa raça pode viver de seis a 10 anos.

De acordo com a American Kennel Club, o mastiff pode apresentar doenças sérias. Câncer de osso, linfoma, displasia do quadril ou do cotovelo, atrofia progressiva da retina (ARP) e retinopatia multifocal canina (RMC), são alguns exemplos.

6. Pastor alemão

O pastor alemão pode viver entre sete e 10 anos

Essa raça é uma das mais populares do Brasil, mas sua expectativa de vida não é tão grande (Foto: depositphotos)

Uma das raças mais conhecidas e queridas no Brasil, o pastor alemão, também está na lista das raças de cães que vivem menos. Animais desse tipo podem viver entre sete e 10 anos.

O cão super esperto dessa raça não está livre da displasia dos quadris. Além disso, uma grave deficiência no pâncreas pode restringir a habilidade do animal em digerir os alimentos, provocando perda de peso considerável.

7. Dogue alemão

 

O dogue alemão pode viver em média de oito a 10 anos

Essa raça é a mais alta do mundo canino (Foto: depositphotos)

O dogue alemão é considerado o cachorro mais alto que existe, por isso também está presente nessa lista. A raça pode viver em média de oito a 10 anos. 

Entre os problemas de saúde mais comuns da raça estão o câncer de osso, o timpanismo, a osteoartrite e a síndrome de Wobbler, causando desequilíbrio do animal. Doenças cardíacas também podem prejudicar a saúde desse cachorro.

8. Rottweiler

O rottweiler vive entre oito a 10 anos

Problemas de saúde podem diminuir a expectativa de vida dessa raça (Foto: depositphotos)

O robusto rottweiler também pode apresentar problemas de saúde que diminuem a expectativa de vida dessa raça. Geralmente, esse cão vive entre oito a 10 anos.

Problemas oculares, distúrbios hemorrágicos, defeitos cardíacos e câncer são alguns problemas comuns na raça. Além desses, o rottweiler está suscetível à obesidade e complicações dessa condição.

Veja também14 cães que continuaram fofos mesmo depois de grandes

9. São Bernardo

De oito a 10 anos é a expectativa de vida do São Bernardo

Esse gigante pode desenvolver problemas de saúde mais do que outras raças (Foto: depositphotos)

De oito a 10 anos é a expectativa de vida do São Bernardo. Essa raça amigável não vive muito devido aos problemas comuns de saúde.

Entre as possíveis doenças que acometem esse cão estão: o câncer nos ossos, o osteosarcoma, distúrbios de coagulação no sangue e problemas nas pálpebras.

10. Terra nova

O terra nova tem expectativa de vida que varia entre nove e 10 anos

Apesar de saudável, esse cão integra a lista das raças que vivem pouco (Foto: depositphotos)

O último animal na lista de raças de cães que vivem menos está o terra nova. Esse cachorro tem uma expectativa de vida que varia entre nove e 10 anos. 

Segundo a AKC, geralmente os cães dessa raça são saudáveis. Contudo, podem apresentar problemas de saúde como displasia dos quadris e do cotovelo, doença cardíaca e até estenose subaórtica. Nesse último caso, o cachorro apresenta estreitamento da artéria principal, causando falta de ar e até mesmo morte súbita.

Como prolongar a vida do cão?

Infelizmente, não há uma fórmula pronta para prolongar a vida do cão. Contudo, existem métodos que podem ajudar a dar uma qualidade de vida melhor ao cachorro.

Levando em consideração o veterinário Adauto, para dar uma vida mais digna ao animal é preciso “uma alimentação balanceada, de qualidade para o animal, sem excessos. Exercícios e avaliações periódicas no veterinário, sempre fazer um acompanhamento.”

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.