Saiba como evitar que seu cão tenha fraturas dentro de casa

Os pisos escorregadios também podem causar lesões nos cachorros e, por isso, merecem atenção

Costumamos achar que dentro de casa é sempre o ambiente mais seguro, principalmente quando pensamos em acidentes. Mas a verdade é que até mesmo nos lares há perigos que podem colocar em risco a saúde e bem-estar do seu animal de estimação.

É extremamente comum acontecer dentro de casa alguns acidentes domésticos envolvendo os cachorros. Muitos chegam a fraturar ossos na tentativa de, por exemplo, pular do sofá, cadeira ou até mesmo do colo dos tutores.

Quando essas fraturas acontecem nos cachorros, geralmente, elas costumam afetar principalmente os ossos rádio e ulna distal (antebraço) ou de úmero distal (braço), ou ainda pode acontecer uma luxação coxofemoral. Mas lesões nos dedinhos e queixo também aparecem com bastante frequência nos acidentes domésticos.

“Essas lesões são bastante comuns em cães de porte micro e toy, mas também nas raças de estrutura mais delicada, como os galgos”, comenta o veterinário Bruno Lins, para o portal Mais Bichos do Correio Braziliense.

Acidentes domésticos com cães

O tratamento de fraturas é feito quase que de maneira predominante com cirurgia

É possível evita alguns dos principais acidentes domésticos (Foto: depositphotos)

Os pisos escorregadios também podem causar lesões nos cachorros, podendo o animal sofrer uma fratura ou até mesmo uma lesão no ligamento. “Na maioria das vezes, no entanto, esses escorregões acentuam problemas ortopédicos já existentes. Ou seja, sobrecarrega um animal que tenha displasia de quadril ou luxação de patela”, revela a veterinária.

E é preciso ficar muito atento à essas fraturas, pois algumas delas podem ser graves ao ponto de precisarem de intervenção cirúrgica. “Hoje, o tratamento de fraturas é feito quase que de maneira predominante com cirurgia, para mobilização precoce e um retorno da atividade física mais rápido. Então, normalmente a cirurgia é sim indicada para um prognóstico melhor”, revelou o veterinário Bruno Lins ao portal.

Veja tambémOssos dos cachorros idosos e os cuidados necessários

Cães maiores sofrem impacto proporcional

Esses acidentes podem acontecer com qualquer tipo de raça e porte, mas os cães maiores têm mais sobrecarga e podem se prejudicar mais quando acontece algum tipo de queda.

“Quanto maior a altura, maior o risco. Mas é importantíssimo frisar que isso é bem variável. Para um yorkshire e um pinscher, por exemplo, pular do colo do proprietário já é considerado uma altura grande. Mas já vi na prática clínica o caso de um galgo que caiu de um sofá de 30 centímetros e fraturou o rádio e ulna (antebraço). Então, é bem proporcional ao tamanho, mas qualquer altura para esses cães mais delicados já é um risco”, revela.

Adaptações para evitar acidentes

Mas não é preciso pânico;  segundo especialista é possível evita alguns dos principais acidentes domésticos, fazendo uso de itens como instalação de escadinhas ou rampas e uso de ceras antiderrapantes.

“Atividade física de baixo impacto com grande frequência e baixa intensidade também podem ajudar a prevenir lesões, assim como fisioterapia e exercícios aquáticos (hidroesteira)”, revela a veterinária.

Como saber se meu cachorro teve uma lesão

Infelizmente algumas fraturas podem passar despercebidas pelos tutores. Quando elas não são devidamente tratadas, podem ter uma cicatrização mal sucedida resultando em alguns outros danos da saúde do animal.

Mas o cachorro sempre apresenta alguns sinais específicos quando existe algo de errado, principalmente com o bem-estar do mesmo. Por isso fique sempre atento ao comportamento do seu pet.

Veja tambémPrincipais doenças respiratórias em cães

Observe, por exemplo, se seu cachorro está evitando se apoiar com um dos membros no chão ou se está chorando ou mostrando algum incômodo sempre que você toca em alguma parte do corpo dele.

O que fazer se o cachorro se lesionar?

Caso você perceba alguma lesão, leve o animal diretamente ao veterinário. Enquanto espera o atendimento, procure deixar o cão imobilizado para impedir que o problema se agrave ainda mais.

Estanque o sangue

Se você também observou algum tipo de sangramento, também leve-o ao pronto socorro, mas enquanto isso, procure uma forma de estancar o sangue. Use um curativo estéril ou pano limpo para realizar o procedimento. Cuidado na pressão que você coloca no ferimento para não agravar alguma possível lesão.

Imobilize o focinho

Mesmo que o seu cachorro seja um animal extremamente dócil, normalmente na hora da dor eles ficam mais estressados, consequentemente um pouco mais agressivos. Na hora do socorro busque imobilizar também o focinho do animal para evitar que ele morda você ou outra pessoa.

Mantenha a calma

Procure manter sempre a calma na hora de prestar o atendimento ao seu cão e passar confiança para ele. É normal quando o cachorro vê seu tutor muito agitado e aflito, ele apresentar exatamente o mesmo comportamento. O ideal é manter o pet tranquilizado.

Não dê remédios

Se você não possui nenhum entendimento da área veterinária, não dê ao seu animal remédios, pomadas ou produtos caseiros sem o consentimento de um especialista da área. Isso pode agravar ainda mais a situação e colocar em risco a vida do cachorro.

É preciso ainda manter muito cuidado na maneira como você pega o cachorro na hora de levá-lo ao veterinário, pois qualquer movimento errado pode agravar o quadro clínico do animal.

Utilize maca

Pegue um objeto completamente reto para fazê-lo de maca. Use também um cobertor para manter a temperatura corporal do animal e evitar possíveis choques.

Na volta para casa

Depois que o seu cão tiver o devido atendimento médico e voltar para casa, alguns cuidados ainda devem ser tomados. Fique sempre atento ao membro que está em recuperação para que o se cachorro não magoe ou alguém faça isso, pisando em cima, por exemplo.

Deixe o animal o mais tempo possível em repouso. Coloque-o em um lugar confortável para ele ficar quietinho e ponha perto dele água e comida, para ele não precisar se deslocar muito quando tiver necessidades.

Não deixe o animal sozinho e abandonado, pois isso pode deixá-lo amedrontado e inseguro. Se você se sentir confortável para isso, busque fazer companhia ao seu cão nesse momento de recuperação.

Veja também: Veterinária esclarece sobre o consumo de leite por cães