Saiba como escovar os dentes do seu cachorro corretamente

Quer cuidar da saúde bucal do pet?  Saiba como escovar os dentes do seu cachorro corretamente e assim dar adeus aos problemas dentários.

Isso porque, muitas das doenças que afetam os dentes são causadas pela falta de escovação. Sendo assim, é importante aprender como escovar, quais materiais usar e quais os momentos certos para isso.

Aprenda o correto: Como escovar os dentes de um cachorro?

De acordo com o médico veterinário Maurício Zago Flocke, antes de mais nada é preciso levar o animal para uma consulta com especialista.

Além disso, é necessário escolher as ferramentas para a escovação. Em entrevista para o site da Luísa Mell, o médico cita o que é importante.

Para escovar os dentes do seu cachorro corretamente faça movimentos circulares com a escova

As escovas de dentes devem ser apropriadas para uso canino, bem como as pastas (Foto: depositphotos)

“As pastas de dentes devem ser de uso exclusivamente veterinário. Não devemos usar pastas humanas. Existem escovas de dentes específicas para cães, que apresentam cerdas macias e tamanhos apropriados. As “dedeiras” também podem ser utilizadas e podem facilitar a escovação.”

Depois de conversar com o médico veterinário e comprar os itens necessários para a escovação, é hora de colocar a mão na massa.

Passo a passo de como escovar os dentes dos cães

1. Acalmando o cão e iniciando a escovação

Em primeiro lugar, chame o cão para iniciar o procedimento. Passando a mão no pelo do cão, explique o que vai acontecer. Em seguida, levante os lábios superiores para cima e inicie a escovação nos dentes da frente. Com movimentos circulares, passe a escova por todos os dentes frontais.

Veja também: Cães precisam escovar os dentes. Descubra o porquê

Após escovar os dentes na parte da frente, é hora de passar a escova nas laterais da boca do cão. Os movimentos circulares devem alcançar todos os dentes, inclusive os de trás, de ambos os lados.

3. Inclinando a cabeça do cão 

Para escovar a parte interna dos dentes caninos, é preciso inclinar a cabeça do animal. Empurrando levemente a cabeça do pet para trás, é possível ter acesso a parte interna dos dentes. E claro, sempre usando os movimentos circulares.

4. Finalizando a escovação

“O ideal seria que a escovação fosse realizada diariamente, por um período de 15 minutos”, indica Maurício. Mesmo que não seja possível de forma diária, o tutor deve no mínimo escovar os dentes do cão uma vez por semana.

A pasta indicada pelo veterinário é feita com substâncias que não fazem mal ao cão. Por esta razão, não tem problema se o animal engolir.

‘Meu cachorro não deixa escovar os dentes’: o que fazer?

Para os cachorros que dificultam a escovação, o zootecnista e adestrador Alexandre Rossi dá algumas dicas. São elas:

  • A escolha da pasta certa é muito importante. Algumas opções têm sabor de carne e são mais bem aceitas pelos animais. Por isso, é mais recomendado optar por essas mais atrativas;
  • Não se aborreça no início. Como é uma atividade nova, tanto para você como para o cão, é comum ter dificuldade no começo. Muitas escovas de dentes vão ficar pelo caminho, por terem sido mordidas e destruídas;
  • Para facilitar no início, Alexandre recomenda o uso das dedeiras. Pois são mais fáceis de manuseá-las na boca do cão.

Além das dicas dadas pelo famoso Dr. Pet, a veterinária Michele Venturini complementa com algumas sugestões.

Não indicamos fazer escovação dos dentes com escova durante a fase de troca [dos dentes] pois o cão pode sentir desconforto e começar a associar escovação com algo ruim”, explica a especialista em odontologia canina da Clínica Odontovet.

Contudo, a médica recomenda que a escovação seja apresentada ao filhote desde cedo. E mesmo respeitando a troca de dentes, o tutor deve iniciar o contato com a boca do cão na primeira fase da vida do bichinho.

Veja também: O processo da troca de dentes nos cachorros

“Para acostumar o cão a deixar escovar, pode-se, toda vez que for manusear a boca, dar uma recompensa para ele para que ele já comece a associar positivamente o ‘deixar mexer na boca’ com algo positivo. Assim, futuramente será mais fácil condicioná-lo para deixar escovar os seus dentes.”

Condicionado o cão a escovar os dentes

Para conseguir escovar os dentes do seu cachorro corretamente acostume-o desde filhote

Durante a troca de dentes não é recomendado realizar a escovação (Foto: depositphotos)

De acordo com Michele, o cão começa a trocar os dente com três a cinco meses de idade. Durante essa fase, os dentes e a gengiva ficam mais sensíveis e pode ocorrer do cão começar a ter um “bafinho”.

Com isso, a veterinária recomenda que o tutor acompanhe a troca. “É importante acompanhar esta troca para ver se todos os dentes de leite caem antes do permanente erupcionar e para acompanhar o posicionamento do dente permanente”, alerta a dentista de cães.

Mesmo com o incômodo desse período, o tutor deve iniciar o processo de adaptação do cão. Mas sem a escovação propriamente dita.

Veja também: Como resolver problemas nos dentes do meu cachorro. Veja dicas

“Assim, nesta fase de troca, indico diariamente passar as mãos sobre o focinho do cão, passar os dedos dentro da boca, sobre a gengiva como que escovando. Sempre que fizer isso, é importante dar uma recompensa para o pequeno para que ele tenha um condicionamento positivo.”

Entre as possíveis recompensas citadas pela veterinária estão: um pequeno “snacks”, uma bolinha de raçao, brincar com uma bola ou até mesmo um carinho mais efusivo.

“Também indico nomear o ato, para ele aprender que quando você disser ‘vamos escovar os dentes’ ele já associe aquele momento em que sua boca será manipulada e ele ganhará algo depois”, finaliza Michele Venturini.

Por que é importante escovar os dentes dos cães?

Para a especialista em odontologia canina, existem muitas doenças que afetam os dentes dos cães. Porém, a principal delas é a doença periodontal ou periodontite, causada pelo excesso de placa bacteriana presente na boca.

“A doença periodontal surge porque ainda não temos o hábito de escovar os dentes dos cães todos os dias e de levá-los ao dentista uma vez por ano em média”, ressalta Michele.

Mesmo que a placa bacteriana seja algo normal no cão, o acúmulo dela torna-se prejudicial ao animal. Com esse excesso, os dentes tornam-se alvos do tártaro. Consequentemente, gengivas (gengivite), ossos e ligamentos (periodontite) são afetados.

Segundo a veterinária,  “85% dos cães com três a cinco anos de idade já estão comprometidos” com a periodontite. E entre os primeiros sinais estão: bafo, dor, incômodo para comer e os cães tendem a ficar mais quietos.

Diante desses sintomas, o tutor deve buscar auxílio médico com urgência. “O ideal é não deixar a doença passar da gengivite pois uma vez que ocorre a destruição dos tecidos mais internos, o processo é irreversível, sendo muito difícil voltar ao estado normal”, aconselha a médica.

Além disso, Michele Venturini recomenda que os tutores de raças de pequeno porte tenham ainda mais atenção.

Veja também: Como a alimentação pode afetar os dentes dos cachorros

Poodle, maltês, pincher, york, shitzu e outros “são mais predispostos a terem a doença periodontal porque a boca deles é bem pequena, os dentes são mais próximos facilitando o acúmulo da placa”.

Por fim, a melhor maneira de cuidar da saúde bucal do cão é sabendo escovar os dentes do animal corretamente. Além disso, a ida ao dentista uma vez por ano é essencial.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.