Picadas de aranhas em cachorros. Como agir e tratar

Realizar os primeiros socorros é importante para evitar a propagação do veneno

Raramente o cachorro é picado por aranhas, tendo em vista que estes aracnídeos evitam ao máximo os animais domésticos. No entanto, quando esta situação ocorre, é preciso que o tutor tome algumas precauções para evitar que o animal sofra com as consequências deste acidente.

De acordo com a autora Amy D. Shojai, no livro “Primeiros Socorros para Cães e Gatos”, mesmo que existam espécies de aranhas não venenosas, a maioria delas são.

“Sinais de desassossego podem surgir 30 minutos depois da picada, mas algumas picadas venenosas só vão apresentar problemas até seis horas depois do acontecido”, alerta Amy. Portanto, é preciso agir de forma mais imediata possível, evitando consequências como choque ou paralisia das patas nos animais afetados.

Como agir a picadas de aranhas em cães?

Faça os primeiros socorros enquanto se dirige ao veterinário com o cão picado por uma aranha

Se o cão for picado por uma aranha, é preciso agir imediatamente (Foto: depositphotos)

Os primeiros socorros ajudam a controlar a propagação do veneno, mas o seu animal precisará de imediato de socorro médico”, explica a autora. Por esta razão, à caminho do veterinário, coloque em prática quatro técnicas para que o cachorro chegue com vida e com um quadro clínico estável.

Levando em consideração as informações dadas no livro, é preciso guiar-se nos seguintes passos:

Veja também: Descubra como tratar picada de abelha em cachorro

1. Restrinja os movimentos do animal

Quanto mais o cachorro se movimenta, correndo ou mesmo andando, mais chances há do veneno da aranha se espalhar pela corrente sanguínea do animal. Assim, os efeitos colaterais podem piorar drasticamente e alcançar o coração ou o cérebro do pet.

2. A região da picada deve se manter abaixo do nível do coração

O ideal é manter o animal quieto e com a região picada abaixo do nível do coração. Estas duas técnicas são utilizadas para retardar o avanço do veneno na corrente sanguínea e, consequentemente, evitar que o cachorro sofra com febre, dores e outros sintomas.

Veja também: Picadas de cobras em cachorros: como devo agir?

3. Lave a ferida

Outra forma de tratamento é lavando o ferimento com sabão e água gelada. Além de retirar as bactérias da região, eliminando a possibilidade de infecções, fazer uma higienização dessa área também facilita na diminuição de propagação do veneno.

4. Use compressas geladas

Há a possibilidade de após a mordida surgir edemas no local, é possível diminuí-los com o uso de compressas geladas. Para isso, depois que lavar a região afetada, use uma toalha embebida de água gelada e aplique por cima o gelo.

Além de diminuir o inchaço, a compressa ajuda a diminuir o afluxo do sangue, retardando o progresso do veneno na corrente sanguínea.

Veja também: Saiba como tratar picadas de moscas em cães

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.