Inalação de fumaça pelos animais. O que fazer nesses casos?

Quando os cães entram em contato com estas substâncias, as suas gengivas podem mudar de cor

Quando há um incêndio, as pessoas logo se preocupam com as queimaduras externas que esta situação pode provocar em quem estava presente no acidente. No entanto, a maioria das mortes provocadas em incêndio se deve mais pela inalação de fumaça do que pelas queimaduras. Isto porque, o fogo provoca a formação de um gás que interrompe as partículas de carbono no ar, produzindo a fumaça.

De acordo com Amy D. Shojai, no livro “Primeiros Socorros para Cães e Gatos”,  existem cinco elementos na fumaça que provocam doenças no organismo, são elas: acroleno, benzeno, formaldeído e monóxido de carbono.

Quando os cães entram em contato com estas substâncias, as “suas gengivas podem mudar de cor, tornando-se pálidas ou azuis [cianóticas] por falta do oxigênio”, alerta a autora.

Assim, diante desta situação, o tutor deve socorrer o animal de maneira rápida e segura. Em seguida, deve procurar um veterinário de confiança, para tratar do animal.

A fumaça pode ser insidiosa e matar horas ou dias depois de ter sido inalada

A inalação de fumaça é uma emergência médica da maior importância (Foto: depositphotos)

“A inalação de fumaça é uma emergência médica da maior importância, e precisa de cuidados médicos imediatos, mesmo que pareça que seu animal tenha se recuperado. A fumaça pode ser insidiosa e matar horas ou dias depois de ter sido inalada”, explica Amy.

O cachorro inalou fumaça? Saiba o que fazer

1. Procure um lugar seguro e verifique os sinais vitais do pet

O primeiro passo, sem dúvidas, é levar o animal para longe do local incendiado. Pois quanto mais tempo ele permanecer no local com fumaça, maiores são os riscos do animal morrer.

Veja também: Cão intoxicado com monóxido de carbono? Saiba como ajudar

Depois que o pet for retirado do local, preste atenção nos sinais vitais do cachorro. Caso ele não esteja respirando, é necessário fazer uma respiração artificial. Ou se os batimentos cardíacos não estejam correspondendo, é preciso fazer uma ressuscitação cardíaca.

2. Transporte o cão com cuidado

Depois de averiguar como está os batimentos cardíacos e a respiração do animal, é hora de transportá-lo até o veterinário mais próximo.

Para isso, é necessário que você coloque-o em uma caixa escura ou de transporte. Pegar no colo não é uma boa alternativa, pois o cachorro pode ficar eufórico e sua respiração vai aumentar, consequentemente. Como ele estará com dificuldades na respiração por falta de oxigênio, esta movimentação pode ser prejudicial a saúde do animal.

Veja também: Principais doenças respiratórias em cães

Ao colocá-lo no carro, lembre-se de ligar o ar condicionado. Isto porque o ar fresco é mais fácil para ajudar na respiração.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.