Como devo tirar farpas do meu cão?

Lembrando que as situações complexas devem ser realizadas em uma clínica veterinária

Como os cães possuem muito pelo, suas peles estão bem protegidas, tanto do frio como de outros agentes externos que possam machucá-las, a exemplo de farpas ou espinhos. Porém, existem algumas partes dos cachorros que possuem pouca pelagem e por isso a pele fica mais exposta a sofrer com os corpos estranhos.

Entre todos os tipos de cães, os que mais estão propensos a apresentar um problema como esse são os cachorros de caça, pois são os que mais estão no meio do mato, lago, campos etc. Todavia, o resultado destas aventuras nem sempre é favorável para os animais que podem sair muito machucados com elementos que fincam em suas peles.

De acordo com Amy D. Shojai, no livro “Primeiros Socorros para Cães e Gatos”, é difícil olhar de fora a profundidade da farpa ao entrar no animal, mas é possível dizer que, em alguns casos, o animal pode correr risco de vida.

Não serão todas as vezes que você poderá tirar farpas do cachorro em casa, vai depender da gravidade

Cachorros de caça são mais propensos a farpas na pele (Foto: depositphotos)

Primeiros socorros para cão com farpas no corpo

Não são todas as vezes que você pode socorrer o cachorro em casa, pois existem situações mais complexas que devem ser realizadas em uma clínica veterinária. “Sempre que um cachorro ou um gato tiver uma lasca ou um pedaço de madeira enfiado profundamente no peito ou no tronco, são necessários cuidados médicos o quanto antes. Farpas pequenas nas patas normalmente podem ser retiradas com pronto atendimento”, explica Shojai.

Farpas nas patas: como proceder?

 

1. Imobilize o animal e corte o pelo ao redor da farpa

O primeiro passo é segurar firme o animal com o auxílio de outra pessoa, fazendo uso ainda de uma focinheira. Por mais que você e seu cachorro tenham uma relação de confiança, trata-se de um momento de dor para o pet e por isso ele pode atacar qualquer um que queira mexer no ferimento. Em seguida, tose o pelo do animal, para que ele não atrapalhe procedimento. A dica é usar tosadores elétricos ou barbeadores elétricos. Tesoura deve ser sua última opção.

Veja também: Meu cachorro está mancando: o que devo fazer?

2. Limpe o local e a pinça

Depois que os pelos forem retirados, limpe o local com água e sabão, de preferência antisséptico. Neste momento, é importante ter cuidado para não se machucar ou empurrar ainda mais a farpa para dentro do pet. Além disso, lave também a pinça usando álcool em gel nas pontas, depois água e por fim uma compressa de gaze para enxugar.

3. Remova a farpa

Abra um pouco a pele ao redor da farpa e com a ponta da pinça, puxe o elemento fincado no seu animal. Pode ser que este seja o momento mais dolorido para o cachorro, por isso lembre de alertar ao seu ajudante para segurar firma o peludinho.

4. Faça o ferimento sangrar

Quando a farpa entra no animal, ela pode levar consigo diversas impurezas capazes de infeccionar o local. Por esta razão, é indicado espremer a área do furinho, fazendo com que o sangue saia e junto com ele os detritos também.

5. Lave o local

Finalize limpando o ferimento, para isso utilize mais uma vez o sabão antisséptico e água corrente. Em seguida, enxugue bem a região, com uma toalha ou gazes limpas. Se preferir, pode colocar alguma pomada ou spray para cicatrização e para evitar possíveis inflamações.

Veja tambémEspinho de ouriço ou porco-espinho em cachorro: como retirar?