O que é cinofobia?

Segundo a psicóloga Rosa Carvalho, os sintomas da cinofobia incluem tremores, sudorese e insegurança

O significado de cinofobia é o que popularmente as pessoas chamam de medo de cães. Trata-se da aversão total a cães. Um problema psicológico que tem causas, sintomas e tratamento.

De acordo com a psicóloga e especialista em psicoterapia cognitiva comportamental, Rosa Carvalho, a cinofobia é um medo irracional de cães. No blog pessoal da profissional, ela explica quais as possíveis razões dessa fobia.

“Pessoas com cinofobia geralmente possuem experiências traumáticas com cães no passado, como serem mordidas ou atacadas quando crianças, ponto a partir do qual a fobia começou a se manifestar”, informa Rosa Carvalho.

Sintomas da cinofobia

A pessoa que apresenta um temor doentio de cães pode demonstrar sintomas bem mais específicos. Esses vão além de apenas um desconforto com a presença desses animais.

A cinofobia geralmente tem relação com alguma experiência traumática com cães

O medo que algumas pessoas têm de cães se chama cinofobia (Foto: depositphotos)

“Muitas vezes já atendi pacientes que apresentavam um medo irracional de cães. A ponto de se sentirem ameaçados dentro de um consultório onde não havia cão algum, somente por falarem no assunto”, lembra a psicóloga.

Segundo Rosa Carvalho, os sintomas da cinofobia incluem tremores, sudorese e insegurança. Além disso, o paciente pode ter crises de choro e aceleração cardíaca.

Ter a sensação de que vai ser atacado por um cachorro é outra forma da cinofobia manifestar-se no paciente. Isso mesmo que se leve em consideração a raça ou tamanho do animal.

Para a especialista em psicoterapia cognitiva comportamental, muitos dos pacientes não entendem o porquê do problema. Essa situação se agrava ainda mais, pois a maioria se sente constrangida ao procurar ajuda.

Veja também: Como perder o medo de cachorros?

“Muitos [dos pacientes] se sentiam envergonhados quando o assunto era questionado, talvez, por não saberem o motivo real desta fobia, porém quando vinham acompanhados de seus pais ou cônjuge; estes informavam se havia tido um trauma anterior ou não”, ressalta a psicóloga com relação aos seus pacientes.

Cura da cinofobia: Como tratar o medo de cachorros?

A cinofobia pode ser tratada a partir de terapias

A maioria dos pacientes têm vergonha de procurar ajuda profissional para tratar o problema (Foto: depositphotos)

O medo de cães pode ser tratado com a ajuda de um psicólogo. “Na terapia cognitiva comportamental, podemos trabalhar com duas técnicas: a dessensibilização sistemática e a técnica de exposição, onde conseguimos ótimos resultados”, explica Rosa Carvalho.

De acordo com informações no site do psicólogo clínico Fernando Magalhães, a terapia cognitiva comportamental (TCC) é um método psicoterapêutico.

“A TCC ensina-lhes as técnicas para identificar os seus padrões de pensamento, regras, formas de pensar, hábitos e atitudes que estão na origem dos problemas psicológicos e aprender pensamentos, atitudes, crenças, comportamentos, filosofias, estratégias mais úteis que podem incorporar no seu dia a dia para melhorar o seu bem-estar”, explica Fernando.

Com a terapia, o paciente passa a compreender o porquê do medo. A partir disso, é possível pensar em alternativas que consigam combater esse sentimento de pavor.

Veja também: 15 cães que têm os medos mais bobos que você já viu

Existe tratamento para cinofobia que pode talvez ter ótimos resultados: O paciente é estimulado a ficar ao lado dos cães, adestrados, para que, brincando com eles, perca seu medo. Se o paciente vir que o cão não faz mal a ele e é capaz de brincar, o mesmo vai gradativamente perdendo o seu medo”, relata a psicóloga Rosa Carvalho.

Lidando com as fobias

O paciente precisa aceitar a cinofobia, não tentar fugir dela, mas tentar resolvê-la

Segundo especialista, lutar contra o medo, em geral, só piora o quadro (Foto: depositphotos)

Para o psicólogo clínico Fernando Magalhães, as fobias podem ser tratadas em algumas etapas. Primeiro “é preciso compreender o mecanismo de luta ou fuga e de como podemos aprender uma resposta automática de medo.”

O especialista indica que o paciente precisa aceitar o medo que possui e não enfrentá-lo. Entender a situação que impõe pavor e não tentar fugir dela.

“Aprender a gerir corretamente as emoções é muito importante pois a tendência habitual de lutar contra o medo, em geral só piora”, alerta o psicólogo.

Nos passos finais dessas etapas, o paciente junto com um profissional precisam “corrigir” os erros de pensamentos que surgem diante de cada situação.

“Posteriormente, numa fase final da terapia são usadas técnicas usadas como a dessensibilização sistemática, a modelação, a exposição imaginária, o relaxamento aplicado, etc”, finaliza Fernando.

Veja também: Cachorro com medo de colocar a coleira. O que fazer?

Já com relação ao tratamento a base de farmacológicos, especialistas afirmam que não apresenta resultados positivos e de longa duração. Além disso, esse tipo de procedimento pode resultar em dependência dos pacientes em remédios.

Sendo assim, para combater os sintomas da cinofobia e as causas desse problema psicológico, pacientes precisam enfrentar mesmo o medo dos cães. Estar na presença dos cachorros, aos poucos, pode reverter essa fobia.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.