Como posso saber se o meu cão está assustado e o que devo fazer?

Alguns sintomas de medo em cães são: choro, latidos excessivos, tremores, fugas ou até mesmo muita agitação

Para os tutores de primeira viagem muitas perguntas sobre a forma como cuidar dos cães podem ser feitas, por mais simples que elas pareçam. “Como posso saber se o meu cão está assustado e o que devo fazer?” pode ser um desses questionamentos.

Até mesmo pessoas que já criaram animais antes podem fazer essa indagação. Isso porque, cada cão tem o seu próprio universo, com temperamento, personalidade e comportamentos singulares.

Por exemplo, dois cães da mesma raça podem sentir medos diferentes. Enquanto um pode sentir medo de fogos, outro pode temer a presença de pessoas. Cada sentimento desse surge devido as situações de vida distintas.

Então, como saber se o cão está assustado?

Quando um cachorro está assustado, ele reage de forma diferente. Por isso é importante estar atento aos sintomas e  ao comportamento do animal, para assim descobrir o que de fato lhe causa medo.

Os sintomas do temor são clássicos: o cão passa a querer se esconder da situação, treme, chora ou late, apresenta muita agitação e pode até fazer xixi ou cocô fora do lugar de costume. 

O que deve ser feito quando o cão está assustado?

Antes de querer agir, o tutor precisa entender qual é o medo do cão. Não há como combater os temores do animal, se não focar na raiz do problema. Em outras palavras, cada tipo de medo pede uma atitude diferente do tutor. As dicas a seguir vão orientar os donos a agir conforme os limites de cada pet.

Cachorro assustado

A primeira coisa a se fazer, é descobrir a causa do temor canino (Foto: depositphotos)

1. Cachorro com medo de fogos

O som dos fogos pode assustar os cães pois esses animais possuem uma audição sensível. Nesse sentido, o que para os humanos é um simples som, para os animais é um barulho estarrecedor.

Para controlar o cachorro com medo de fogos algumas dicas podem ajudar, como deixar o animal sempre acompanhando de alguém ou colocá-lo em um ambiente onde ele se sente seguro.

De acordo com o especialista em psicologia canina, Alexandre Rossi, em vídeo publicado no canal do YouTube o tutor pode usar de remédios recomendados pelo veterinário.

“Eu não aconselho dar nenhum remédio pro cachorro se você não tiver testado junto a com supervisão do veterinário. Porque alguns ansiolíticos podem ter o efeito oposto“, afirma o especialista. Ainda segundo Dr. Pet, alguns medicamentos podem deixar o cão mais excitado.

Além disso, tampões de ouvido podem funcionar para amenizar o barulho. Outra dica é a técnica do Tellington touch, uma amarração com panos. 

É importante também não deixar o cão amarrado ou em lugares altos, evitando acidentes fatais que surgem devido a agitação. Colocar o cão no colo ou acariciá-lo em meio ao surto pode ser ainda mais prejudicial.

Veja tambémSaiba diferenciar o xixi do seu cão quando for por medo ou excitação

2. Cachorro com medo de outros cachorros e gatos

É muito comum que o cão tenha medo de outros devido a falta de socialização na fase filhote. Especialistas em psicologia canina recomendam que o cachorro só seja retirado da mãe e dos irmãos a partir do quarto mês.

Durante todo esse período, o filhote aprende a conviver com outros animais de maneira natural. Mas, quando isso não ocorre e o cão adulto tem medo de outros cachorros ou gatos, é necessário colocar em prática outras medidas.

Antes de mais nada, o tutor não pode sentir medo durante a adaptação para não transmitir essa sensação para o animal. Nesse sentido, o dono precisa ser o líder e demonstrar confiança ao cachorro.

Outra dica é associar a presença de outros animais com coisas boas. Por exemplo, enquanto o cachorro medroso estiver com outros pets no mesmo ambiente, o dono deve oferecer carinho, petiscos, brincadeiras.

Com o tempo, o cão vai entender que não tem problema em ficar com outros no mesmo ambiente. Pelo contrário, passar um período com outros animais é sinal de ganhar atenção, carinho e mimos do tutor.

3. Cachorro com medo de chuva e trovão

O medo dos cachorros da chuva e do trovão surge, quase sempre, pela mesma razão do medo dos fogos. Por ter uma audição aguçada, o animal tende a se assustar com facilidade ao ouvir o barulho causado pelas tempestades.

Para eliminar esse medo, pode-se usar as mesmas técnicas ensinadas no primeiro tópico. Além de oferecer um lugar confortável e seguro para o pet,  o tutor também pode usufruir de outras técnicas como a do pano.

4. Cachorro com medo de gente

Geralmente, esse tipo de trauma surge no cachorro devido a um histórico de maus-tratos sofrido pelo animal. Os cães que sofrem com a violência podem demorar um tempo para se acostumarem com a presença do ser humano.

Nesses casos, é preciso que o tutor tenha paciência. Mostrando ao animal que existe um lado bom nas pessoas e que ele pode voltar a confiar nelas. Ser gentil, dar carinho e demonstrar o amor ao animal são passos indispensáveis.

5. Cachorro com medo de passear

O pavor de passeios pode ser proveniente do medo de carros, motos ou até mesmo das pessoas e animais em volta. Para eliminar esse problema, o dono precisa se comportar como líder e ter o controle da situação.

Veja também15 cães que têm os medos mais bobos que você já viu

Demonstrar que os passeios são momentos legais e divertidos pode ser uma saída viável. Oferecer petiscos e fazer carinhos no cão, ajuda ele a se sentir mais confortável. Aos poucos, o cachorro deixa de ficar assustado e passa a curtir com o tutor.

O que fazer com cachorro com medo de fogos de artifício

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.