Como saber se seu cão está sendo bem alimentado

Os animais de estimação são criados de acordo com a disponibilidade de seus tutores. Por exemplo, quando os responsáveis têm mais tempo durante o dia, pet recebe mais atenção, cuidados e mimos. Já quando os papais humanos são mais ocupados, o cãozinho tem que acostumar a passar mais tempo sozinho, mas isso não quer dizer que o amor é menor.

De maneira semelhante ocorre com relação à alimentação do cachorro. Em outras palavras, quanto mais tempo o tutor dedica às refeições do animal, mais saboroso e nutritivo será este momento para o peludo. Atualmente, existem dois tipos de alimentações que conseguem satisfazer às necessidades nutricionais do cãozinho: a ração e a alimentação natural.

Alimentação tradicional através das rações

Atualmente, os dias das pessoas estão mais agitados e esta situação implica até mesmo nas suas próprias refeições, que acabam sendo mais rápidas. De uma maneira semelhante, ocorre com a alimentação dos pets. Assim, por serem mais práticas e, aparentemente nutritivas, as rações são utilizadas pelos tutores a fim de suprir as necessidades do animal.

Para que seu cão esteja bem alimentado vale apostar em produtos ricos em nutrientes

Existem no mercado pet várias opções de ração (Foto: depositphotos)

Todavia, para que o peludo esteja bem alimentado e com os nutrientes em dia é preciso levar em consideração alguns aspectos como a qualidade do produto, a idade e o peso do cachorro. Isto porque, existem no mercado pet várias opções de ração, como a standartpremium e super premium.

Além destas características, a alimentação é dividida para cães filhotes, adultos e idosos. Algumas marcas ainda inovam e produzem alimentos específicos para cadelas grávidas, animais diabéticos etc.

Por isso, antes de comprar a ração é preciso conversar com um médico veterinário de sua confiança. Pois, além de indicar a melhor opção para o seu peludo, o profissional também vai explicar as quantidades ideais que devem ser oferecidas ao pet, levando em consideração o peso e as necessidades de cada animal.

Veja tambémMeu cachorro não quer comer, o que fazer

Alimentação natural: um caminho alternativo

Mesmo sendo a opção mais indicada pela maioria dos veterinários, as rações têm seus pontos negativos. O principal deles é o fato de serem produzidas através de processos químicos, com substâncias sintetizadas em laboratórios. Por esta razão, tutores com o auxílio de profissionais especializados em saúde canina criaram um tipo de alimentação alternativo: a alimentação natural.

Também chamada de AN, este tipo de refeição não é composta por restos de comida dos humanos. Pelo contrário, é uma alimentação planejada e cozinhada especialmente para o cachorro. Na preparação, alguns ingredientes não podem fazer parte do cozinhamento, a exemplo da cebola que possui uma substância capaz de provocar anemia no animal.

Para colocar em prática este tipo de alimentação, que é saudável e nutritiva, é preciso tempo do tutor, pois além de precisar cozinhar para o peludo é preciso buscar informações junto aos veterinários sobre quais itens podem compor o prato do peludo e quais merecem ser descartados.

Veja também: Quando devo trocar a ração de filhote para a de adulto?

Informações adicionais

Vale ressaltar que além da refeição propriamente dita, o cachorro pode receber outros alimentos de forma balanceada. Em outras palavras, os petiscos estão liberados, mas de maneira controlada. De uma maneira geral, os petiscos podem compor até 10% da alimentação diária, mais que isso o pet pode deixar de fazer as alimentações principais e até mesmo ganhar peso desnecessário.

Além destes cuidados, o tutor precisa entender que o organismo canino não consegue produzir determinados nutrientes, a exemplos dos ácidos graxos, como o ômega-3; vitaminas, como a D; e até mesmo alguns aminoácidos essenciais.

Desta maneira, é importante repor estes conteúdos no corpo do peludo, que pode ser através da alimentação ou por meio da suplementação. Converse com o médico veterinário e saiba como agir para garantir melhor saúde e qualidade de vida para o seu melhor amigo de patas.

Veja tambémSabia que o chocolate pode causar intoxicação nos cachorros? Entenda

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.