Verão: saiba como cuidar bem do seu pet durante a estação

Será que o meu cãozinho pode entrar na piscina? O cloro faz mal? Devo passar protetor solar no meu pet? Confira as dicas da veterinária Fernanda Devito


Com a chegada do verão, muitos tutores têm dúvidas de como cuidar de seus pets durante a estação mais quente do ano. Será que os cães podem entrar na piscina? É necessário aumentar a quantidade de banhos e tosas?

Além destes e outros questionamentos, o verão também traz a necessidade de maior atenção e cuidados redobrados, uma vez que os riscos de queimaduras e pragas, como os carrapatos, são maiores.

Fernanda Devito, médica veterinária da Petland Pinheiros, explica qual é a melhor forma de cuidar da saúde dos pets durante o verão.

Cuidados com cães no verão

Verão: saiba como cuidar bem do seu pet durante a estação

Foto: depositphotos

Será que o meu cãozinho pode entrar na piscina? O cloro faz mal? Devo passar protetor solar no meu pet? Confira a seguir as dicas da veterinária Fernanda Devito:

Na hora do passeio

Os tutores não devem levar os cães para passear entre 10h e 15h, pois nesse período há maior emissão de raios UV, que podem provocar queimaduras e câncer de pele. Além disso, o chão também fica muito quente no verão, o que pode acabar queimando as patinhas do animal.

Os pets também podem nadar?

Os cães são ótimos nadadores, mas, para evitar qualquer tipo de problema, os tutores devem ficar atentos. A veterinária Fernanda Devito afirma que o ideal é que a piscina não seja muito funda e que tenha degraus para facilitar a saída dos pets. No caso de filhote, o bichinho só deve entrar na água com algum acompanhante. Após o “mergulho” do animal de estimação, o tutor deve lavá-lo com água abundante para retirar o excesso do cloro e outras substâncias. A Dra. Devito ainda alerta sobre água nos ouvidos dos pets: se o animal balançar muito a cabeça ou coçar as orelhas, o tutor deve procurar um médico veterinário.

O protetor solar é necessário?

De acordo com a médica veterinária da Petland Pinheiros, o protetor solar é especialmente importante para os pets que têm a pele rosada e poucos pelos. As partes mais expostas, como o focinho e as orelhas, precisam de maior atenção por parte dos tutores. A especialista ainda afirma que o filtro solar deve ser acima do fator 30 e, se o cão entrar na água, é necessário reaplicar o produto.

Banho e tosa

De acordo com a Dra. Devito, “os banhos ajudam os animais a se sentirem mais dispostos e frescos no calor, portanto, aumentar a frequência pode beneficiar o animal.” A tosa é importante porque os pelos esquentam a pele dos animais, podendo até causar alergias e infecções. “O pelo e o subpelo dos pets são como isolantes térmicos que os protegem das baixas temperaturas, com isso, é ideal que o pet esteja tosado para que ele não sinta ainda mais os efeitos das temperaturas elevadas”, explica a veterinária da Petland Pinheiros.


Informar erro