Por que cães de raça são tão suscetíveis a doenças?

90% de todas as raças foram criadas nos últimos 100 anos, quando a criação de raças para competição virou febre entre os ricos


O canal do Youtube ‘Adam Ruins Everything’ publicou um vídeo no qual explica os motivos pelos quais os cães de raça são tão suscetíveis a doenças.

Raça pura não é real

Um dos motivos para a fragilidade dos cães de raça é que eles não são reais. “Não só as raças puras estão cheias de doenças como não são reais. Nós a inventamos. Na verdade, cachorros vira-latas são cachorros nos seu estado natural e saudável. Raças puras são uma manipulação genética que os humanos inventaram apenas por entretenimento”, esclarece a publicação.

Ingleses inventaram as raças puras

Por que cães de raça são tão suscetíveis a doenças?

Foto: depositphotos

90% de todas as raças foram criadas nos últimos 100 anos. A história começou quando na Inglaterra Vitoriana do século XIX, a criação de raças para competição virou febre entre os ricos. Isso despertou a curiosidade dos cientistas que começaram a criar raças e as classificavam como ‘raças puras’.

Raças puras são frágeis

Um estudo descobriu que 10 mil cachorros da raça pug têm a mesma diversidade genética que 50 indivíduos. Toda essa consanguinidade faz com que essa raça seja tão doente quanto qualquer outro que seja considerado ‘puro’ e mais: ele é mais doente que um cachorro comum.

Doenças mais comuns em cães de raça

60% dos Golden Retrievers morrem de câncer. Um terço dos King Charles têm crânios muito pequenos para o seu cérebro. O Dogue Alemão tem o coração tão pequeno que não suporta o seu corpo.

Essas situações seriam provocadas pela manipulação genética em busca da raça perfeita.Como exemplo temos a raça Bulldog. Há um século, ele era uma raça bonita e saudável. Mas, tantos anos de procriação sanguínea trouxeram os seguintes problemas para a raça:

– Dificuldade para respirar por conta do seu nariz amassado;
– Uma cabeça muito grande que dificulta o seu nascimento sem auxilio médico veterinário;
– O rabo nasce para dentro;
– A raça pode ter displasia no quadril;
– Expectativa de vida baixa, de apenas 6 anos.

O vídeo conclui com os seguinte conselho: “a insistência de que todos os cães atendam os nossos padrões arbitrários está fazendo com que eles fiquem doentes e morram. Quando for pegar um cão não se preocupe com a raça dele, pegue um filhote de vira-latas. Ele será feliz, sadio e 100% natural”.

 

Quer assistir ao vídeo na íntegra? Veja aqui:


Informar erro