Mielopatia: doença canina que vitimou o cachorro da ex-presidente Dilma

O fiel companheiro de Dilma tinha 14 anos, já apareceu na campanha presidencial de 2010 e portava mielopatia, uma doença degenerativa


Nego, o labrador preto da ex-presidenta Dilma Rousseff, que já foi visto diversas vezes passeando com a dona pela península dos Ministros e áreas nobre de Brasília, precisou ser sacrificado devido a uma grave doença.

O fiel companheiro tinha 14 anos, já apareceu na campanha presidencial de 2010 e portava mielopatia, uma doença degenerativa. Por orientação de veterinários, a ex-presidenta optou por sacrificar o cão para abreviar o sofrimento do animal.

Mielopatia degenerativa em cães

A doença é degenerativa, crônica e não possui cura. A mielopatia impede que o cachorro caminhe normalmente, apresentando dificuldades para locomoção na parte traseira.

mielopatia-doenca-canina-que-vitimou-o-cachorro-da-ex-presidente-dilma

Foto: reprodução/Diário do Poder

O andar do cachorro acaba ficando  descoordenado. No entanto, o animal não possui nenhuma dor, mas chega ao ponto em que não consegue mais caminhar. A doença afeta mais os cães de grande porte com mais de oito anos de idade, mas também pode atingir os pequenos e felinos,em casos raros.

É possível também que ocorra a diminuição do reflexo ciático superior e a atrofia dos membros pélvicos.

A causa da mielopatia ainda não é conhecida, mas suspeita-se que tenha origem genética.Existem especialistas que acreditam que ela possa ser uma doença autoimune. Apesar de não haver cura ou algum procedimento cirúrgico que possa diminuir a doença, com a fisioterapia e a reabilitação é possível retardar a patologia ou controlar os sintomas dela.

A eutanásia é uma opção escolhida por muitos donos e veterinários, mas ela deve ser uma decisão muito bem pensada e discutida com diversos especialistas. A mielopatia só é confirmada através de exames histopatológicos.


Reportar erro