Inspirado em game, campanha busca salvar animais do abandono

Os animais abandonados estão fantasiados de Pokémons, para ver se assim, alguém presta atenção neles. E no final aparece a mensagem: “Não capture, adote”


Você já deve ter ouvido falar no game Pokémon GO. O jogo que virou febre no mundo inteiro serviu de inspiração para ajudar a salvar os animais das ruas e do abandono.

O jogo é simples: basta pegar o celular, ligar o aplicativo e sair em busca de capturar os Pokémons que o jogo mostrar. A brincadeira virtual de “caça a animais silvestres” já teve mais de 100 milhões de downloads em menos de um ano.

A campanha Petmons, realizada pelo Instituto Luisa Mell, aproveitou a febre do jogo e buscou fazer uma crítica a relação digital e chamar atenção para as relações reais.

Na ação, os animais abandonados estão fantasiados de monstrinhos Pokémons, para ver se assim, alguém presta atenção neles. E no final da campanha aparece uma importante mensagem: “Não capture, adote”.

“Quem procurava bichinhos virtuais, encontrou os de verdade. Uma ideia simples, ajudou vários pets a encontrarem um novo lar”, comenta Luisa, no vídeo que divulga a ação.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), só no Brasil existem mais de 30 milhões de animais que vivem nas ruas. “Em cidades de grande porte, há um cachorro para cada cinco habitantes. Destes, 10% estão abandonados. No interior, em cidades menores, a situação não é muito diferente. Em muitos casos o número chega a 1/4 da população humana. Em São Paulo, o número do abandono chega a ultrapassar dois milhões”, complementa a fundadora do Instituto, Luisa Mell.

“Trouxemos o lúdico do mundo virtual para fortalecer a mensagem e conscientizar adultos e crianças sobre uma questão relevante para toda a sociedade. Queremos que cada vez mais as pessoas se beneficiem do prazer em brincar, cuidar e interagir com “bichos reais” e não apenas com os bichinhos dos games”, reforça Luisa.

Confira o vídeo de divulgação da campanha Petmons:

Pessoas interessadas em adotar alguns dos animais devem contato pelo e-mail: atendimento@ilm.org.br.

 


Informar erro