A importância da vacinação em cães desde filhotes

As duas maiores causas de morte em cães devem-se à contração de duas doenças que podem ser evitadas com a vacinação, são elas: a raiva e a cinomose


Os cães, assim como os humanos, precisam receber vacinas ao longo da vida. Enquanto a sociedade se previne contra determinados vírus, os cães que recebem corretamente as vacinações ficam imunes à outras espécies desses agentes infeciosos.

A recomendação dos veterinários é que as aplicações sejam iniciadas ainda filhotes e se propaguem da maneira indicada pelo especialista.

O modo de administração depende muito do material utilizado pelo médico veterinário. Geralmente, costuma ser aplicado a primeira dose com 45 dias e outras três no intervalo de 21 dias. Em seguida, o tratamento deve ter continuidade anualmente.

A importância da vacinação em cães desde filhotes

Foto: depositphotos

Qual a importância da vacinação?

As duas maiores causas de morte em cães devem-se à contração de duas doenças que podem ser evitadas com a vacinação, são elas: a raiva e a cinomose.

Além destas, a vacina pode proteger o cachorro contra outras patologias, a exemplo da leptospirose, parvorirose, traqueobronquite infecciosa etc. Todas estas e outras doenças causam um enorme risco à saúde dos cães e a forma mais eficaz de evitar é por meio da vacinação.

Vale ressaltar que a vacinação só pode ser feita quando o animal está saudável, isto porque, com a saúde debilitada, o cãozinho poderá apresentar um quadro clínico ainda pior e a vacina não vai conseguir alcançar à finalidade, perdendo assim a eficácia.

Outro ponto que merece destaque a respeito do processo de vacinação do filhote e a eficácia desses soros é o modo de aplicação. Este deve ser feito pelo veterinário e com instrumentos que o médico considera mais confiável. Por esta razão, não adianta comprar vacinas importadas e aplicar em casa mesmo, é preciso todo um acompanhamento com o especialista em saúde canina.

Aplicação das vacinas

As vacinas são, na verdade, produzidas com antígenos de determinada doença, isto é, partículas de uma patologia. Ao ser aplicada no organismo do animal, o sistema imunológico dele não vai reconhecer estas substâncias e irão produzir células para combatê-las.

Já na segunda dose, o corpo já vai saber quais são os anticorpos necessários para eliminar o corpo que era desconhecido. No final do ciclo das vacinas, o animal terá um organismo protegido e suficientemente forte para reagir à elementos invasores.

Para realizar o cronograma de vacinação em filhotes, leve-os ao veterinário para se certificar que a saúde do pet está bem. Em seguida, com a autorização do médico, o animal recebe a primeira dose. Em cães que já são adultos, mas que o tutor desconhece o histórico clínico dele, é aconselhável realizar os mesmo procedimentos que um filhote. Lembre-se, a melhor forma de demonstrar amor para o animal é preocupando-se com a saúde dele.


Reportar erro