Cuidados para se ter com um cão da raça dálmata

Apesar de ser um cão aparentemente forte, o dálmata possui fraquezas com relação à saúde. Além disso, exige uma série de cuidados relacionados à criação


Quem nunca se encantou com tanta fofura contida no filme “101 Dálmatas”? Esta raça, além de ter um porte charmoso, ganha o coração das pessoas por ser fiel ao tutor, companheira, divertida e ainda por ser versátil, sendo sociável com os demais cães e outras espécies de animais.

Com pessoas estranhas o dálmata pode ser cauteloso e desconfiado, mas se elas estiverem acompanhadas de seu tutor, tudo fica bem mais fácil de encarar.

Entretanto, apesar de ser um cão bonito e aparentemente forte, o dálmata também possui algumas fraquezas com relação à saúde. Além disso, exige uma série de cuidados específicos relacionados à criação. Por estas razões, quem pretende ter um animal desta raça ou quem já divide a vida com um desses, é importante ficar atento a algumas questões para proporcionar a eles uma vida mais saudável e com qualidade.

Cuidados necessários para se ter com um cão dálmata

Foto: depositphotos

Saúde do dálmata

Assim como todo animal, o dálmata merece ir ao veterinário duas vezes ao ano, no mínimo. O tutor também deve levá-lo para clínicas veterinárias sempre que for necessário, pois não se deve deixar para depois a saúde desses pacotinhos de amor.

Contudo, além da atenção às consultas é preciso atentar aos problemas de saúde que são comuns em cães desta raça, como a surdez e o desenvolvimento de urolitíase.

É imprescindível que o tutor procure fazer exames periódicos no canal auditivo do cão. Também é necessário ter um cuidado maior com relação aos rins do pet, tendo em vista que a urolitíase é um problema que atinge este órgão.

Neste último caso, o problema costuma ser frequente pois o dálmata tem uma incapacidade de transformar o ácido úrico em alantoína, provocando o surgimento de cálculos urinários também conhecidos como pedras nos rins.

Mais qualidade de vida

O dálmata é um cão muito carinhoso e que gosta de receber muita atenção, por isso não faz o tipo independente. Se ele não recebe os afagos do tutor ele pode se tornar um cão deprimido. Desta forma, é ideal que o animal tenha interação com o dono, seja através de conversas, carinhos ou brincadeiras.

Outra característica desta raça que deve ser levada em consideração é a alta energia. Isto significa dizer que, o dálmata precisa de exercícios físicos diários, por isso acaba sendo um ótimo companheiro de corridas e caminhadas.

Por ser um animal muito ativo e de porte grande, não é indicado para apartamentos, pois ele precisa de espaço para brincar e gastar os níveis de energia que possui.

Estética da raça

Com relação ao pelo deste animal as preocupações são mínimas, pois trata-se de uma pelagem curta que não necessita de tosa. Contudo, ainda é preciso atentar aos banhos semanais, pois são animais que vivem em constante movimentação.

Também é bom ter um cuidado com a escovação diária para diminuir os pelos mortos. Além disso, o dálmata possui tendência à queda de pelos, assim é importante escolher junto ao veterinário um shampoo anti-queda e a melhor ração para o pet.


Reportar erro