Como ajudar filhotes que choram a todo momento

O pet pode chorar ao chegar no novo lar justamente pelo ambiente desconhecido. Mas, também pode ser tédio, pedido de atenção e até mesmo dor


Chorar, latir, rosnar ou grunhir são formas de comunicação que um filhote dispõe para tentar conseguir algo em troca.

Por isso são comportamentos extremamente comuns entre os pequenos peludos, pois estes ainda não sabem agir de outra maneira para alcançar seus desejos.

Desta forma, é preciso que os tutores, principalmente os de “primeira viagem”, exercitem a paciência e tentem descobrir por qual motivo o novo morador está choramigando pelos cantos da casa.

Sendo assim, é possível tomar medidas que previnam ou ensinem o correto ao pet.

Por quais razões um filhote chora?

como-ajudar-filhotes-que-choram-todo-momento

Foto: depositphotos

A principal razão pelo qual o pet, ainda novinho, chora ao chegar no novo lar é justamente o ambiente desconhecido. Acostumado a ter sempre os irmãos e a mãe por perto, os filhotes se veem sozinhos dentro de um lugar totalmente novo e com pessoas estranhas.

Mesmo recebendo o carinho necessário dos tutores, este é um novo mundo a ser descoberto e isso pode causar medo e insegurança em um filhote. O choro, quando relacionado a este motivo, é mais comum na hora de dormir, tendo em vista que ele não tem mais a família biológica por perto.

Além dessa característica, o cãozinho que sofre com a falta dos parentes pode ficar andando de um canto a outro, como se estivesse procurando algo ou alguém.

Outras razões que fazem um cachorro chorar permeiam o tédio, pedido de atenção e até mesmo dor, indicando que alguma coisa não está funcionando bem no organismo.

Dicas para amenizar o choro do filhote

  • Caso o tutor tenha condições, o mais indicado é adotar dois animais de uma vez. Desta forma, as chances dos cãezinhos chorarem são mínimas, pois eles terão a companhia do outro na hora de dormir e durante o dia;
  • Se adotar dois de uma vez não é possível, então é preciso tomar algumas medidas para que o pet sinta menos saudades da família biológica. Para isso, o tutor pode colocar um ursinho com cheiro da mãe do filhote para que ele possa dormir perto de algo que lembre um ambiente já conhecido;
  • Manter a paciência em dia é uma ótima forma de lidar com essa fase de adaptação do animal em casa. Sendo assim, é importante não ceder aos pedidos de atenção contínuos do pet. Por exemplo, se ele precisa ficar em determinado local por um período, mas não gosta deste espaço ele vai chorar até ser retirado. Um tutor sem paciência e que atende aos “caprichos” do filhote, sinaliza que ele consegue o que quer com choro e isto não é a melhor forma de ensinar bons modos ao peludinho;
  • O tédio pode causar irritação no pet, por isso é indicado que o tutor exercite o animal. Caso o peludo ainda não tenha idade para sair na rua, ele pode desfrutar de brincadeiras e interação dentro de casa mesmo;
  • Todavia, se todas as opções anteriores já foram tentadas e mesmo assim o animal apresenta um comportamento irritativo é  melhor levá-lo ao veterinário. Isto porque, o choro pode ser uma reação a dores e o profissional de saúde canina vai saber como proceder nestes casos.


Reportar erro