Saiba como ocorre o tratamento de abscessos em cães

Normalmente, essas infecções não são perigosas, mas se não tratadas com urgência e da maneira correta podem desencadear problemas ainda mais graves


Abscessos surgem de feridas que se não cicatrizadas corretamente, permitem o alojamento de bactérias. Assim, esses germes ficam presos sob a pele e provocam uma infecção purulenta. Nesses casos, a ida em um veterinário é imprescindível, pois só um médico especializado saberá fazer a drenagem dessa inflamação e receitar medicamentos ideias para que o tratamento possa ter continuidade em casa.

Normalmente, essas infecções não são perigosas, mas se não tratadas com urgência e da maneira correta podem desencadear problemas ainda mais graves. Além disso, esses ferimentos podem atingir a camada superficial da pele do animal, mas também, em raras situações, podem ocorrer no interior do corpo. Geralmente, é complicado perceber o abscesso no animal. Porém, alguns sintomas podem revelar ao tutor de que a saúde do pet não está em perfeitas condições.

Saiba como ocorre o tratamento de abscessos em cães

Foto: Reprodução/ internet

Sinais de abscessos em cães

  • A área afetada fica quente, vermelha e inchada;
  • Um ferimento com pus, que ao estourar, sai um corrimento amarelado, verde ou sanguinolento, que causa um mal-cheiro;
  • Febre pode surgir, em torno de 40 ºC a 41 ºC;
  • Pode ocorrer a perda de pelo no local afetado;
  • O local fica dolorido.

Tipos de abscessos

Existem dois tipos de abscessos e apesar de um ser mais simples que o outro, ambos necessitam de atenção. O mais comum são ferimentos na camada exterior do corpo do animal, isto é, a pele. Esses podem ser causados por ferimentos provenientes de brigas, cortes ou machucados. Mas também, causados por infecções, à exemplo da dermatobiose formada por moscas varejeiras.

Ferimentos podem surgir no interior do corpo do animal, atingindo alguns órgãos, como o fígado. Essas situações são mais sensíveis, e os animais que se encontram assim precisam de atenção veterinária o quanto antes. Desta forma, você evita uma contaminação geral do organismo do seu peludo e cuida da saúde do pet. 

Tratamento para essas infecções

A única atitude de um tutor que se preocupa com o bem-estar do seu animal, é levar o cão para uma clínica veterinária mais próxima. Como já foi mencionado, só um profissional capacitado poderá fazer a remoção correta das substâncias que produziram o abscesso no animal. Ao fazer a cirurgia de drenagem do pus, o animal poderá ir para casa e receber as medicações receitadas pelo profissional de saúde canina.

Se o machucado for em uma área onde o animal possa alcançar é necessário o uso do colar elizabetano, pois só desta forma o animal terá o tratamento ideal sem interrupções. Jamais tente estourar, espremer ou furar os abscessos em seus animais. Nem tão pouco, receite remédios por conta própria. Assim você estará colocando em risco a saúde do seu melhor amigo.

Prevenção

Assim como todas as doenças, a melhor forma de tratamento é a prevenção. Nesse caso, algumas medidas podem ser colocadas em prática para evitar o surgimento de abscessos. São elas:

  • Não deixe que seu cachorro saia sozinho, ele pode se machucar em brigas ou até mesmo com algum objeto pela caminhada. Passear só com a coleira e com o tutor;
  • Assim que perceber algum ferimento no pet tente tratá-lo, fazendo a higienização diária, livrando a possibilidade de germes se alojarem no ferimento;
  • Em casos de dúvidas, procure sempre a opinião de um especialista. Só um veterinário está capacitado para receitar medicamentos e indicar formas de tratamentos.


Reportar erro