Obesidade em cães: saiba tudo sobre este assunto

Cães obesos possuem muitas limitações. Para oferecer uma melhor qualidade de vida ao seu pet, aprenda como evitar a obesidade ou formas de curá-la.


A obesidade é um problema sério que afeta os humanos. Mas se engana quem pensa que esse mal não atinge os animais, inclusive, os cães. Estudos mostram que cerca de 30% dos cachorros estão obesos e que os que fazem parte desta estatística acabam vivendo dois anos a menos que cães saudáveis.

Esses números assustadores abrangem muitos cãezinhos e afeta não só a saúde deles como o emocional dos seus donos. Se você ficou preocupado e quer saber se seu pet possui obesidade ou não, fique atento as formas de descobrir.

Entender o problema e os prejuízos que ele pode causar nos cães são maneiras imprescindíveis de atenuar a obesidade e acabar com esse carma que afeta muitos bichinhos.

Causas da obesidade

  • Sedentarismo: Os animais não podem frequentar academias quando estão se sentindo gordos. A forma dos cães praticarem esportes é junto aos donos, que podem escolher passear com o pet ou brincar de jogar a bolinha. São atividades simples que todo tutor deve fazer. Mas, se não faz, o cão acaba sem ter nada de interessante para executar e fica naquela: comer e dormir.
  • Grandes quantidades de comida: O filhote come de três a quatro vezes ao dia. Já o adulto só precisa de duas refeições por dia para manter a qualidade de vida. Não exagere na quantidade e nem nas vezes quando o assunto for a alimentação do seu cão. O fato dele engordar não é culpa própria, mas sim de quem põe “montanhas” de ração para o pet.
  • Oferecer comidas impróprias: Se a refeição apropriada para os cachorros deve ser controlada, imagine as impróprias? Os animais não possuem a mesma capacidade dos humanos para digerir os nossos alimentos. Por isso “Dê a César o que é de César”. Nada de alimentar o cão com suas comidas, principalmente as gordurosas.
  • Estresse: Os cães também se estressam. Se não brincam, não saem para passear ou se são perturbados em momentos de descanso, acabam se estressando. Caso eles fiquem estressados, podem querer devorar tudo que vier pela frente e, se for comida, melhor ainda!

Como saber se meu cão está obeso?

Obesidade em cães: saiba tudo sobre este assunto

Foto: Reprodução/ internet

O resultado mais exato e correto você só terá de um especialista, por isso se o dono já desconfia de que algo não está bem, o melhor é levar no veterinário. Porém, existem testes que podem ser feitos em casa mesmo, a fim de descobrir se o cão está ou não acima do peso.

Fique atento a três partes do corpo do cão. Veja se ele apresenta cintura, ela costuma ser formada depois da barriga (olhando por cima). Cães que possuem o corpo reto tendem a ter excesso de gordura.

Depois observe o pescoço do cão, isso se ele não apresentar muitos pelos. Se nessa região faltar dobrinhas, fique atento. Por fim, toque dos lados da barriga do pet, não sentir as costelas é um sinal preocupante.

Outros fatores podem te ajudar a obter um pré-diagnóstico. Se o cão é muito sonolento, perde o fôlego rapidamente, tem dificuldade de andar, levantar ou se subir escadas é um sacrifício, o dono deve ficar em estado de alerta.

Consequências da obesidade em cães

  • Perda eficácia do sistema imunológico: Facilitando o surgimento de outras doenças;
  • Menor expectativa de vida: Como já dito, cães obesos tendem a viver dois anos a menos que cães saudáveis;
  • Problemas nas articulações e na coluna: Dificultando a locomoção dos cães;
  • Problemas respiratórios: Cães obesos perdem o fôlego mais rápido;
  • Diabete: A obesidade aumenta as taxas de açúcar no sangue, fazendo com que os pets sejam propensos ao diabetes;
  • Problemas cardíacos: Pelo fato de engordarem muito, há um acúmulo de gordura nas partes do corpo, inclusive no coração;
  • Tumores: Obesidade aumenta o risco de desenvolvimento de tumores maléficos nos cães;
  • Problemas gastrointestinais e infecções: O acúmulo de gordura em cachorros é muito perigoso, por tampar artérias pode ocasionar inúmeras infecções.

Como tratar da obesidade canina

Por ser um problema sério, a obesidade não pode ser atenuada com receitas sem a supervisão de um médico. Cortar a alimentação do cão, para ele fazer um regime rigoroso, não é recomendável em nenhuma hipótese, tendo em vista que você poderá fazer mal ao pet, ao invés de ajudá-lo.

O tutor pode praticar mais exercícios com o cachorro e sem medo. Mas comece com sessões pequenas. Caminhadas de 15 minutos são ideais.

Associar à alimentação do pet verduras como cenoura, alface, brócolis, além de frutas como a maçã, auxilia a diversificar as refeições e a manter uma vida mais saudável para o cão.

Jamais ofereça ao seu amigo de quatro patas comidas gordurosas, principalmente o chocolate, que possui substâncias tóxicas ao animal.

Por fim, exercícios na água são uma ótima alternativa. Além de não forçar as articulações dos cães, garantem resultados positivos em menos tempo de treino.


Reportar erro