Saiba quais são as doenças mais comuns de algumas raças de cão

Há 300 doenças genéticas causadas por cruzamentos forçados. Por isso, antes de comprar um cão de raça, procure saber mais sobre o histórico do pet


Diversas questões são levantas quando o assunto é a compra de animais de raça. Não que esses animais não mereçam um lar e precisam ser amados, pelo contrário, seja de raça ou vira-lata, todos os animais devem ter o direito à alimentação, saúde e moradia adequadas. O problema está na falta de cuidado que alguns tutores têm ao comprarem um cão. Não conhecer o vendedor, os pais do filhote e nem em quais condições eles vivem, são alguns dos erros mais comuns cometidos por aqueles que querem um pet de raça.

Saber como os animais vivem e quais são os pais do cachorro a ser comprado pode impedir que você financie crimes contra animais ou tenha problemas futuros com relação à saúde de seu filhote. Isso porque, alguns criadores, se preocupam mais com o dinheiro do que com o bem-estar de seus procriadores. Para se ter uma ideia, há 300 doenças genéticas causadas por cruzamentos forçados. Além disso, quanto mais próximo o grau de parentesco entre os cães, maior é a chance do animal desenvolver doenças. Veja a seguir quais são os problemas de saúde que mais atingem determinadas raças.

Saiba quais são as doenças mais comuns de algumas raças de cão

Foto: Pixabay

1. Lulu da Pomerânia/ Spitz Alemão

Estes animais sofrem com dois problemas de saúde muito comuns, o deslocamento da patela (rótula) e a degeneração da retina. A primeira doença é campeã no Lulu, pois 40% dessa raça convive com a rótula saindo do lugar constantemente, o que causa dor e, a longo prazo, artrite. Já o segundo problema, pode levar a cegueira.

2. Chihuahua

A pequena estatura desses peludinhos está associada a um problema muito sério que ocorre devido ao aumento de fluidos cerebrais, a chamada hidrocefalia. Esse volume aumenta a pressão do cérebro, causando fortes dores, perda das funções cerebrais e em casos mais graves, a morte do cachorro.

3. Pug

Os cães desta raça foram criados para terem o focinho curto, por essa razão, o ar quando inalado não tem tempo o suficiente para ser resfriado e enviado devidamente para os pulmões. Esta situação gera aumento da temperatura corporal do pug. Frente a isso, não é indicado que esses cães façam muito esforço, principalmente, em dias muito quentes. Caso contrário, a crise respiratória pode ser tão forte que leva o pet a morte.

4. Basset Hound

Por ter orelhas muito grandes, o basset hound corre o risco muito grande de ter inflamações no canal auditivo provocadas por germes que usam esse meio para afetar a saúde do animal. Além disso, são pequenos, compridos e pesados. Todos esses fatores contribuem para dificultar a vida desses cães no momento do cruzamento. Desta forma, precisam de uma ajudinha do tutor.

5. Dobermann

Aproximadamente 40% dos cães dessa raça acima de oito anos, sofrem com insuficiência cardíaca e com o acúmulo de líquido no pulmão. Esse problema ocorre devido aos ventrículos do coração que se dilatam e, consequentemente, o músculo cardíaco enfraquece quando vai contrair e bombear o sangue de maneira apropriada.

6. Collie

Lindos e muito peludos, o collies sofrem com uma anomalia nos olhos. Aproximadamente 90% dos cães dessa raça têm esse problema que afeta o nervo óptico e a retina.

7. Golden Retriever

Displasia coxofemoral é uma doença bem típica de animais de grande porte. Esta enfermidade surge porque a cabeça do fêmur não se encaixa corretamente na bacia. Isso desgasta e dificulta a locomoção com as patas traseiras, muitas vezes os animais precisam recorrer a cadeiras de rodas para se locomoverem. Outro problema enfrentado por essa raça é o desgaste da articulação do cotovelo.

8. Dálmata

Esta é a raça que mais sofre com a surdez e ela pode até ser identificada antes que aconteça. Por exemplo, de acordo com estudiosos, o dálmata que tem mais parte branca no corpo está mais propenso a desenvolver essa deficiência. Até 30% dos animais dessa espécie ficam surdos de um ouvido, enquanto que 10% tem o problema auditivo nos dois.

9. Pastor Alemão

Um grande problema de saúde que afeta cães da raça pastor alemão se refere as articulações e coordenação das patas traseiras. Isto ocorre devido a anca ser mais baixa que a cernelha, que é o ponto mais alto das costas do animal. Este desequilíbrio no corpo dos pets é comum nos que participam de competições e exposições. Porém, não é saudável para o peludo, uma vez que, ao ter esse problema, as patas traseiras se abrem como as de um sapo.

10. São Bernardo

Esta raça é uma das maiores que existem. Mesmo demonstrando força, este gigante sofre com um grave problema gástrico. Esta enfermidade é caracterizada pela dilatação do estômago devido os gases. O órgão se estende de forma descontrolada e acaba provocando uma torção em si mesmo. Frente a isso, o animal é prejudicado pelo suprimento de sangue e alimento para os órgãos que compõe o sistema digestivo.


Reportar erro