Gastrite em cães: saiba como tratar

Você sabia que os cães também podem sofrer com a gastrite? Descubra as causas, consequências e tratamentos


Você com certeza já ouviu falar da gastrite ou conheceu alguém que lidava com esse problema de saúde, não é mesmo? Trata-se de uma inflamação da mucosa que reveste as paredes internas do estômago, podendo ser aguda ou crônica. Para os cães, a situação é bastante semelhante, também variando entre esses dois tipos da doença.

Gastrite aguda

No caso da aguda, a causa é, principalmente, a ingestão de alimentos contaminados, objetos estranhos, plantas tóxicas, substâncias químicas ou medicamentos irritantes, mas existem também causas infecciosas, virais e bacterianas. Entre os principais sintomas estão o vômito, falta de apetite, mal-estar, febre e dores abdominais.

O tratamento e diagnóstico somente poderão ser feitos por orientação médica veterinária. Os exames clínicos e complementares determinarão o estado do paciente, o que fará com que o veterinário determine o tratamento mais indicado.

Gastrite em cães: saiba como tratar

Foto: Pixabay

Gastrite crônica

A crônica, por sua vez, tem como principais causas microorganismos como o helicobacter, reações alérgicas e resultado de doenças inflamatórias crônicas e/ou autoimunes. Entre os principais sintomas estão o vômito e falta de apetite. O diagnóstico é feito por meio de exame clínico, endoscopia e, quando necessário, biópsia. Para tratar é preciso seguir o tratamento indicado pelo médico veterinário, além de fornecer alimentação equilibrada.

Prevenção

A prevenção para a gastrite em cães é bastante simples. Não permita que o cão tenha acesso aos produtos químicos da casa, nem ao lixo, pois a ingestão poderá ser um fator gatilho para a doença. Além disso, ofereça rações completas que ajudem a proteger a saúde de seu pet e procure mantê-lo longe do estresse e de distúrbios emocionais, que podem acabar trazendo gastrite, tanto aguda quanto crônica.

É importante, antes de iniciar o tratamento, identificar a causa e, por isso, procure sempre orientação médica ao mínimo sinal da doença. A administração de medicamentos deve ser feita somente com orientação e supervisão médica, pois se for ministrado um medicamento errado, poderá agravar a doença.


Reportar erro