Fenda palatina em cães

Entenda o que é fenda palatina, os sinais clínicos, como e por quais motivos acontece em cães


Você já deve ter ouvido falar em fenda palatina, se não por esse nome, pelo nome de “Goela de Lobo”, pelo qual é popularmente conhecida. A anormalidade pode ser percebida principalmente quando o cão é filhote, pois quando este vai mamar pode apresentar quadros de engasgo.

Muitos tutores, devido à falta de informação, não tomam os cuidados necessários, fazendo com que os cães adoeçam com pneumonia, pois quando mamam, o leite acaba indo diretamente para os pulmões.

O que é?

A fenda palatina nada mais é do que uma abertura no céu da boca, que pode afetar o palato duro ou o palato mole, fazendo com que exista uma ligação da boca com a região nasal.

Existem animais que apresentam ainda as fendas labiais, também conhecidas como lábios leporinos – não sendo, no entanto, obrigatória a ocorrência conjunta dos dois.

Fenda palatina em cães

Foto: Reprodução

Causa

Os animais que apresentam fenda palatina a tem por origem congênita, ou seja, é algo que apresenta já no nascimento. Acredita-se que a principal causa desta anormalidade genética seja a consanguinidade, ou seja, o cruzamento de animais da mesma família – caso comum em cães de raça quando tutores cruzam animais para gerar filhotes para venda.

Sinais e sintomas

É possível perceber, normalmente, os sinais clínicos já nos primeiros dias de vida do filhote. As características de um filhote com este problema, normalmente envolvem engasgos na amamentação, fissura facilmente observada ao abrir a boca do filhote – pode ser larga ou mais estreita -, além de que, pode acontecer de sair leite pelo nariz do animal durante a amamentação.

Podem acontecer ainda alguns sinais de pneumonia, como febre, anorexia, dificuldade respiratória, prostração, coma e morte – principalmente em cães recém-nascidos.

O que fazer?

É preciso que, ao perceber que o filhote apresenta estes sinais e sintomas, você o leve até um profissional, pois somente ele poderá fazer o diagnóstico final.

O tratamento deve ser feito quando o animal atingir uma idade segura para receber anestesia, e se dá unicamente por meio de uma cirurgia. O médico veterinário deve tomar a decisão do tempo da cirurgia e realizar um tratamento para a pneumonia aspirativa, caso exista, antes mesmo do procedimento cirúrgico.

Para prevenir este problema e outros decorrentes dessa má formação, é preciso avaliar o palato no animal assim que o animal nascer, pois evita que o filhote acabe morrendo devido às consequências e falta de informação.


Reportar erro