Como agir em casos de emergências veterinárias

Emergências veterinárias exigem medidas rápidas e precisas de profissionais para salvar a vida dos animais


As emergências veterinárias são aquelas situações que exigem medidas rápidas e precisas, com a necessidade do auxílio de profissionais capacitados para salvar a vida dos animais de estimação. As ocorrências podem ser variadas, desde ferimentos causados por brigas e quedas até paradas cardiorrespiratórias.

A primeira providência é manter-se calmo e evitar que o cão se machuque mais ou mesmo que acabe ferindo outra pessoa em decorrência da dor. É muito importante não medicar o animal ou oferecer comida, e sim procurar o veterinário com urgência. Lembre-se de sempre manter mais de um número de plantão veterinário à mão, pois esse tipo de situação é sempre grave e representa riscos de morte para os animais.

Identificação de emergência veterinária

A primeira hora do animal após o acidente (chamada de “hora de ouro”) é considerada a mais importante para que as medidas tomadas para salvá-lo sejam efetivas. A hora de ouro pode ser mais longa em alguns bichinhos e mais curta em outros, pois depende do funcionamento do metabolismo de cada animal.

Para que haja um atendimento rápido e eficiente do cão em estado de emergência, é necessário que o diagnóstico seja feito de maneira precisa, com a indicação dos tipos de medidas que devem ser tomadas. Não apenas os profissionais devem ser bem capacitados para atuar em uma situação dessas, mas a estrutura também deve permitir o trabalho do veterinário, com a presença de equipamentos e ferramentas necessárias para a realização do diagnóstico e demais procedimentos necessários.

Como agir em casos de emergências veterinárias

Foto: Reprodução

Principais emergências veterinárias em cachorros

Confira a seguir algumas causas que mais comuns que levam os bichinhos às situações de emergências veterinárias:

Falta de ar

A falta de ar nos cães é agravada pelo estresse e calor, que aumentam bastante a demanda de oxigênio no organismo. A dificuldade respiratória acaba em um ciclo de falta de ar – necessidade de oxigênio – estresse – falta de ar.

Para ajudar um cãozinho nesta situação, é fundamental que o dono mantenha a calma. Providencie ar fresco e gelado, mas não coloque o ventilador diretamente voltado para o cachorro. Acalme e refresque o bichinho o máximo possível enquanto o leva para o veterinário.

Intoxicação por venenos

O envenenamento de cães e outros animais, como os gatos, não é muito incomum, seja ele devido a acidentes ou por atos criminosos. A maior parte desta intoxicação acontece com os produtos para matar ratos, como o chumbinho.

Os efeitos podem aparecer nos animais em um período que varia entre cinco e dez minutos após a ingestão do veneno, causando desde vômitos e diarreias até convulsões e fortes tremores, podendo levar o animal à morte, dependendo da quantidade do produto ingerido e do porte do cão.

Reações alérgicas

Alimentos, picadas de insetos e contato com plantas são algumas das causas que podem levar a reações alérgicas nos bichinhos de estimação. Estas reações também devem ser tratadas como emergências veterinárias, pois causam sintomas que vão desde uma simples coceira, passando pelo inchaço da laringe e a consequente obstrução das vias respiratórias, até convulsões e o colapso cardiovascular.

Fique sempre atento aos ambientes por onde o seu cachorro anda para preveni-lo deste tipo de emergência veterinária.

Convulsões

Os cães convulsionando sofrem de contrações musculares involuntárias, incluindo a musculatura da mandíbula. Puxar a língua do animal para fora apenas é válido em situações de engasgamento, porque pode ajudar a liberar a traqueia.

Nos casos de convulsão, preste atenção ao ambiente para evitar trauma enquanto o cão se debate. Caso a convulsão dure mais de 2 minutos, use um cobertor grosso para transportar o pet e evitar mordidas. As convulsões aumentam a temperatura corporal, por isso não o cubra.

Picadas por insetos e animais peçonhentos

As consequências das picadas de insetos ou animais peçonhentos nos cães variam de acordo com o tamanho do animal e com a sua imunidade. As picadas podem causar alergias simples ou muito graves e os sintomas são muito variados, incluindo tremores, inchaços na região picada, vômitos, dificuldades respiratórias e diarreias.

Quedas

As quedas simples ou de lugares muito altos podem causar desde fraturas nos membros até problemas mais graves na parte interna dos animais.

Torção gástrica

Quando um cão sofreu torção gástrica e está com o abdômen dilatado, a única coisa a ser feita é levá-lo ao veterinário o mais rápido possível. O animalzinho poderá estar em choque e com muita dor na região abdominal. Levante-o devagar e com cuidado, passando um braço entre o pescoço e as patas dianteiras; e o outro por trás das patas traseiras, evitando contato com a barriga.

Diarreias e vômitos

As diarreias e os vômitos são sintomas de uma grande variedade de doenças, inclusive graves e provocar a desidratação do cãozinho. Estes sintomas devem ser analisados atentamente pelos profissionais de emergência, a fim de que sejam realizados o diagnóstico e tratamento corretos.

Paradas cardiorrespiratórias

A parada cardiorrespiratória é extremamente grave, podendo levar o animal a óbito imediatamente ou em pouco tempo. O atendimento deve ser feito urgentemente para que ele tenha maiores chances de recuperação.


Reportar erro