Bicheira – Saiba o que é esta doença e como tratar

A maior incidência de casos de bicheiras é em períodos chuvosos e temperaturas mais altas


Quem tem animais de estimação sabe que eles estão constantemente sujeitos à inúmeras doenças e problemas diversos relacionados à saúde e bem-estar. Entre essas doenças, encontramos a bicheira, uma infestação da pele por larvas. Entenda mais sobre esse problema e saiba como tratar para deixar o seu bichinho novamente com a saúde em dia.

Como é transmitida e quais os efeitos?

A bicheira é uma doença transmitida por um mosquito, a mosca-varejeira – Cochliomyia hominivorax. Essa mosca deposita suas larvas – parasitas obrigatórios de animais de sangue quente, inclusive homens e bovinos – em ferimentos expostos, podendo causar lesões muito graves, uma vez que as larvas se alimentam da carne do ferimento. Com isso, os pequenos ferimentos acabam virando – caso não sejam vistos anteriormente – grandes buracos e causando, em casos extremos, a necessidade de amputação do membro lesionado, ou ainda a morte.

Bicheira

Foto: Reprodução

O que fazer para tratar?

É preciso que você tenha consciência de que esse é um problema pequeno que pode tornar-se algo muito sério. Por isso, nunca espere ou tente soluções alternativas: ao notar que seu bichinho está com bicheira, leve a um veterinário com urgência. Comumente, o ferimento possui, aproximadamente, 1,5 cm de abertura antes de começar a se expandir.  Nessa abertura ficam as larvas, podendo chegar a ter em um ferimento, aproximadamente 100 larvas.

Para a remoção das larvas, é preciso que sejam cortados os pelos da ferida e da área. Em seguida, a região deve ser lavada com água limpa e sabão de coco e deve ser aplicado um medicamento – indicado pelo médico veterinário – para matar as larvas facilitando a sua remoção. Com uma pinça, as larvas deverão ser retiradas e, em seguida, deve ser aplicada uma pomada cicatrizante e um repelente de insetos. Caso necessário, aplique antibióticos e siga corretamente o tratamento indicado pelo médico veterinário até o fim.

Época de maior incidência

Acredita-se, de acordo com a literatura relacionada ao assunto, que a maior incidência de casos de bicheiras seja em períodos chuvosos e em temperaturas mais altas. No entanto, existem casos em todas as épocas do ano.

O problema é muito mais comum em umbigos de recém nascidos, animais após a castração, além de animais que sofreram traumas que venham a formar feridas. Por isso, em casos como esses, fique atento aos sinais: uma ferida aberta com mau cheiro, sangramento e larvas.  O animal fica com vitalidade diminuída, e a contaminação dos ferimentos pode ser purulenta, piorando ainda mais o estado clínico do animal.

Como evitar o problema?

Para evitar o aparecimento das bicheiras, procure monitorar de perto os animais após procedimentos cirúrgicos ou ferimentos, mesmo que pequenos. É preciso, também, que sejam cuidados de perto os umbigos dos bezerros recém nascidos com álcool iodado a 5%.


Reportar erro