Coprofagia: o cão comendo cocô

Distúrbios severos no pâncreas ou no intestino podem ser uma das causas desse problema


O termo coprofagia deriva do grego: copro significa “fezes” e fagia significa “comer”. O hábito de alguns cães de comer fezes é considerado bastante nojento pelos tutores e pode variar desde as próprias fezes até fezes de outros animais, como coelhos, cavalos e até mesmo a caixinha de areia dos gatos. Mas por que os cães fazem isso?

De onde vem a vontade de comer fezes?

Existem muitas teorias que tentam explicar porque os cães comem fezes, mas ainda não se sabe ao certo porque isso acontece. Muitas pessoas dizem que falta algum nutriente em sua dieta, mas, normalmente, os cães com esse comportamento não tem qualquer deficiência com relação à nutrição.

Existem alguns problemas de saúde que podem estar relacionados, sim, à coprofagia, como o caso de distúrbios severos no pâncreas ou no intestino, anemias graves que são causadas por infestações de parasitas, ou também em caso de fome.

É bom, portanto, levar seu cão a um médico veterinário para que sejam descartadas as possibilidades mais danosas à vida do cão.

Coprofagia: o cão comendo cocô

Foto: Pixabay

Outras causas

Existem ainda outras causas, como a dos cães que são mantidos em canis ou em ambientes pequenos e sozinhos por longos períodos, que podem comer fezes por ansiedade ou estresse. Cães que são punidos por seus donos por defecar no local errado podem começar a pensar que defecar é errado, e não o local, e acabar comendo para esconder “a prova do crime”.

Existe ainda uma teoria que gira em torno de um hábito passado de geração em geração: lobos e coiotes muitas vezes, quando está difícil encontrar alimento, comem as próprias fezes. Animais herbívoros têm suas fezes ricas em vitamina B, e alguns cães e lobos, segundo pesquisadores, podem ingerir as fezes desses animais para obter a vitamina.

As fêmeas que têm crias, normalmente, comem as fezes de seus filhotes para, provavelmente, esconder a sujeira dos possíveis predadores.

Como evitar que o cão coma cocô?

A melhor maneira é, com certeza, manter o quintal ou canil, ou área em que o pet fica, livre das fezes. Limpe sem que o cão veja, preferencialmente, pois se ele ver que você está limpando, vai associar que o que ele defeca não deve estar ali, e passará a comer para “ajudar”.

Existem tutores que adicionam pimenta em molho ou em pó nas fezes do cão e conseguem evitar o problema, mas ainda existe a possibilidade de o cão continuar gostando do sabor. Há ainda medicamentos que podem ser dados ao cão (ou ao gato, coelho e etc, quando o cão come as fezes deles) para deixar o cocô com um gosto realmente muito ruim, afastando o cão.

Se seu cão come fezes de qualquer animal, ao leva-lo para passear, mantenha-o sempre na coleira, podendo evitar que ele coma fezes encontradas na rua, por exemplo. Se seu cão come as próprias fezes ou de outros animais da casa, você pode tentar deixar brinquedos à disposição para atrair mais a atenção dele. Se o brinquedo não funcionar, lambuze com algo que possa ser gostoso para ele.

Faça bastantes exercícios com o cão de forma que ele fique mais relaxado, pois isso pode ser causado por estresse.

Outra fator que pode ajudar é a mudança na alimentação: consulte o veterinário para entender melhor a alimentação com base em proteína hidrolisada. Outro hábito relacionado à alimentação que pode ajudar, é aumentar o número de refeições e reduzir a quantidade das porções, sempre mantendo a quantidade total que ele come durante o dia.

Se o cão come cocô da caixa de areia do gato, pode ser um pouco mais complicado. Use a criatividade: coloque a caixa de areia dentro de uma caixa de papelão com uma abertura que o gato consiga passar, e vire a abertura para a parede, com um espaço pequeno demais para os cães. Outra ideia é colocar a caixa dentro de um armário com uma abertura que somente o gato consiga passar. Mas atenção: se o gato não conseguir passar, ele deixará de usar a caixa, então cuidado, ok?

Perigos

A ingestão de fezes não é apenas um ato “nojento”, mas pode transmitir doenças. Os cães que estão habituados a ingerir fezes podem adquirir parasitas como giárdias, coccídeos, áscaris e tricurídeos. É preciso examinar os cães com mais frequência e tratá-los com medicamentos adequados.


Reportar erro