Como identificar e tratar a sarna em cachorro?

Existem 3 tipos de sarna, e uma delas pode ser transmitida para humanos ⚠️


A sarna é uma doença causada por diferentes tipos de ácaros. Ela é caracterizada pela coceira intensa e feridas pelo corpo. Antes de realizar qualquer medicamento caseiro, deve-se estar atento ao fato de que além da sarna, existem outras doenças de pele com essas características, portanto, nada substitui a necessidade de visita a um veterinário.

Existem três tipos distintos de sarna. E ao contrário do que muito se pensa, o contágio não é feito apenas de cão para cão. Esses ácaros podem estar presentes também nos sofás, mantas e até nos brinquedos do seu pet. Por isso, a higiene do seu bichinho é importante. Deixe-o sempre limpinho, assim como os lugares que ele dorme e brinca.

Dos três tipos de sarna, apenas um é zoonose, ou seja, transmissível para os humanos. É o sarcóptica. O contágio se dá pelo contato direto com o animal ou com seus objetos. O ácaro penetra a pele humana, causando muita coceira, bolhas e vermelhidão. Após algumas semanas a sarna se cura sozinha, pois os ácaros não conseguem se reproduzir em humanos.

Como identificar e tratar a sarna em cachorro?

Foto: Pixabay

Sarna sarcóptica (escabiose)

Esta é a sarna transmissível para o homem. É também o tipo mais comum, causado pelo ácaro sarcoptes scabei. Afeta cachorros de todas as idades, em qualquer época do ano. Os ácaros atingem os níveis mais profundos da pele e se reproduzem rapidamente, causando muita coceira e dor. A coceira é tão intensa que os cãezinhos não conseguem parar de se coçar, chegando até a morder a própria pele. Outros sintomas são:

  • Queda e ausência de pelo;
  • Pele avermelhada, com feridas e crostas;
  • Perda de apetite e, consequentemente, perda de peso.

O diagnóstico será feito por um veterinário que poderá coletar, por meio de raspagem, uma amostra da pele. Normalmente, o tratamento é tópico (aplicado diretamente na região) e realizado através de banhos especiais. Só em alguns casos é executado por meio de medicação oral ou injetável.

Sarna otodécia ou sarna de ouvido

É chamada assim porque atinge apenas essa parte do corpo. Não é zoonose. É causada pelo ácaro otodectes cynotis. Provoca coceira intensa no ouvido, o que pode gerar feridas. Outro sintoma é o acúmulo de cerúmem (cera) na região auricular. Se não tratada, pode evoluir para uma otite.  É transmitida de cães para gatos ou vice-versa.

O médico veterinário irá recolher um pouco da cera para realizar exames e então emitir o diagnóstico. O tratamento é feito por meio de remédios específicos para ouvidos e banhos anti-ácaros.

Sarna demodécica (sarna negra)

Não é zoonose, não é transmissível pelo contato, mas é genética. É o tipo mais temido pelos donos de cachorros. É ocasionada pelo ácaro dermodex canis. O interessante é que esse tipo de ácaro está presente em todos os cães, mas só atingem aqueles com uma falha imunológica. Os principais sintomas são:

  • Lesões em alguns locais que podem se alastrar por todo o corpo;
  • Feridas com secreções e cheiro forte;
  • Queda de pelo ao redor dos olhos.

O diagnóstico é feito pelo veterinário através de recolhimento de amostra, da mesma forma que a escabiose. O tratamento, nesse caso, é longo, e feito com banhos especiais e aplicações tópicas. Em alguns casos, é necessário aplicar injeção. Para evitar que volte, é aconselhável o cuidado para que o sistema imunológico do cãozinho esteja sempre alto. Não há cura, apenas o controle.


Reportar erro