Ausência de CIO em cadelas: entenda o fenômeno

Há variações desse fenômeno nos cães: o ‘cio seco’ ou ‘cio silencioso’


Alguns donos de cadelas se preocupam porque o animal não apresenta sinais de ter entrado no cio, e acreditam que isso tornará impossível o animal ter filhotes.

Na verdade, todas as cadelas entram no cio, porém, algumas não apresentam sangramento, condição denominada “cio seco” ou “cio silencioso”, em que o dono só saberá que a fêmea canina entrou no cio pelo aumento (inchaço) da vulva. Se você está preocupado com a ausência de cio da sua cadelinha, fique tranquilo, pois há exames que diagnosticam e cuidam de tal condição.

CIO seco ou CIO silencioso

O ciclo estral das cadelas é composto de quatro fases, a saber: proestro, estro, diestro e anestro. Na fase de proestro e em condições normais, são observados o início dos sinais comuns do cio, como o edema vulvar e o sangramento.

Ausência de CIO em cadelas: entenda o fenômeno

Foto: Reprodução/ internet

Já o cio silencioso ou cio seco, caracteriza-se pelo não aparecimento dos sinais típicos da fase. Geralmente, quando ocorre o cio seco, não há o comprometimento da fertilidade da cadela, pois, embora os sinais físicos não estejam presentes, os aspectos hormonais e a ovulação ocorrem normalmente.

No entanto, o cio seco é motivo de um número muito grande dos casos de infertilidade em canis e exige atenção e cuidados especiais. É extremamente importante que o início do proestro seja diagnosticado, bem como a fase fértil (correspondente a fase chamada estro), em que os cruzamentos devem ocorrer.

Como diagnosticar e cuidar do cio silencioso?

O dono que deseja que a sua cadelinha procrie deve ficar bastante atento, pois, além do cio silencioso, o animal pode ter ausência da secreção ovariana. Caso não tenha cães machos na propriedade, a ausência de cio poderá ser diagnosticada por meio do exame de citologia vaginal. Não ocorrendo o sangramento torna-se difícil saber quais serão os dias férteis, o que dificulta a procriação.

O exame de citologia vaginal é simples e facilmente realizado por um clínico veterinário, a partir da análise do material colhido. Neste exame, é detectado o dia da ovulação, para que o dono saiba quando a cadela estará pronta para cruzar.

Se houver dúvida quanto ao fato de a fêmea canina ter estado ou não no cio, poderá ser realizado um exame de dosagem hormonal, indicando se ela está na fase denominada diestro. Neste exame ocorre a colheita de sangue para a obtenção do soro.

Quando houver dúvidas referentes a qual fase do ciclo a fêmea está, ou no caso de cio seco repetidas vezes, o dono deve procurar um veterinário para que as melhores indicações e exames sejam feitos.


Reportar erro